Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio
Áudio Analógico de Portugal
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalPublicaçõesRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

 

 Os meus melhores de 2019

Ir em baixo 
AutorMensagem
Alexandre Vieira
Membro AAP
Alexandre Vieira

Mensagens : 6670
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 50
Localização : The Other Band

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptySeg 6 Jan - 21:30

Isto dos melhores discos tem muito que se lhe diga, porque muitas vezes quando ouvimos música em dado momento estamos mais recetivos do que em outros. Para mim os melhores discos são aqueles que tocam sem parar em dado momento e que antes de ouvirmos pela primeira vez, parecem que já existiam ou seja já faziam parte de nós.

Este foi um ano enorme para música na minha opinião com muitos autores a fazerem trabalhos enorme com muito bom gosto. Claro que existiram algumas deceções e até discos incompreendidos, e que talvez, num futuro próximo, sejam sujeitos a uma reapreciação e colocados no seu devido lugar.

Por outro lado, devido à enorme profusão de autores, só poderei analisar aqueles que me foram dados a conhecer.

Assim em ordem crescente, do terceiro lugar para o primeiro começaria com o belíssimo:


Os meus melhores de 2019 Calexicoironandwine-yearstoburn-3000px-1553141183-640x640



Calexico And Iron & Wine – “Years to Burn”

Aqui está um disco que demorou muito tempo a ser editado,  pois foi em 2005, que Calexico e Iron & Wine se reuniram pela primeira vez em In The Reins, uma combinação sublime de seus exclusivos pontos fortes. Eles trouxeram para esse registo o melhor um do outro. Já sou fã de ambos os projectos  faz muito tempo e adorei absolutamente o In The Reins. Que eles, mais cedo ou mais tarde, fizessem mais registos juntos, parecia uma coisa certa e inquestionavelmente muito agradável.

Joey Burns e Paul Niehaus apareceram no contíguo disco da Iron & Wine, mas aparentemente todos tinham suas próprias estradas para trilhar. Por outro lado o projecto Calexico se afastou de mim a ponto de não encontrar minhas cópias amadas de The Black Light e Hot Rail, deixadas para trás em algum lugar que não me lembro. Como qualquer artista que continua aprimorando e ampliando seu som, chega um momento em que você não deseja mais acompanhá-lo. Já o projecto de Iron & Wine vivi de maneira estranha e repentina entre o magnífico "Walking Far From Home" que me fez as delícias e a restante discografia, que me deixou apático em relação ao projeto, deixando-o do o seguir de todo.

Embora eu não tenha muito a ver com ambos os projetos faz uns alguns anos, quando vi Years To Burn virando a esquina da secção de discos da Fnac, foi como encontrar um velho amigo. Eu estava animado. Muito por culpa dos Calexico e do seu, recomendado por um amigo, magnifico The Thread That Keeps, que tinha acabado de comprar, embora tenha sido editado em 2018, que simplesmente adorei!

Tudo isso é para dizer que posso ter erguido algumas expectativas irreais. Na primeira audição, parecia que tinha cometido um enorme erro ao comprá-lo, pois tinha ainda muito presente o magnifico registo dos Calexico que anteriormente fiz menção. Ou seja, comecei a fazer comparações diretas, pelo que tive que me abstrair, tive enorme dificuldade em fazê-lo, mas assim que consegui, denotei que na maioria das vezes o Years To Burn é um enorme prazer que uma pessoa pode ser envolvida faz há alguns anos. Muitas vezes, é tão silencioso e íntimo que é como se eles estivessem tocando na sala da frente e não quisessem acordar ninguém dormindo no andar de cima, os vocais mal se elevando acima de um sussurro, mas tão melodicamente sem esforço que, que damos por nós a querer cantá-las imediatamente. É um álbum que deve ter espaço em qualquer discografia, discreto, mas muito, mas mesmo, equilibrado.

Eles vão andar por aí em digressão, penso que será um concerto imperdível também.
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
TD124

Mensagens : 5849
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 54
Localização : França

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyTer 7 Jan - 12:26

Alexandre Vieira escreveu:
...Este foi um ano enorme para música na minha opinião com muitos autores a fazerem trabalhos enorme com muito bom gosto. Claro que existiram algumas deceções e até discos incompreendidos, e que talvez, num futuro próximo, sejam sujeitos a uma reapreciação e colocados no seu devido lugar. ...

A ideia de partilhar os albums que nos pareçem ser os melhores de um ano que vém de fechar é boa, e isto por vàrias razões. De um lado hà a partilha do que nos toca e que é sempre uma janela aberta sobre a nossa personalidade, sensibilidade ... e de outro a possibilidade de descobrir obras que nos passaram despercebidas ou foram incompreendidas. As palavras dos outros ressoam sempre em nòs, mesmo quando não estamos de acordo e por vezes o tempo faz-nos mudar essa primeira opinião. Pessoalmente do que escutei a colheita de 2019 é razoavelmente boa, sém ser inesquecivel. Vàrias decepções da parte de artistas que aprecio muito e algumas boas coisas da parte de outros, mas sém a faisca da irreverência ou da alteridade assumida ... estes três discos que escolho, parecendo-me ser do que escutei a excepção à regra e por acaso (ou não) são todos obras femininas !...

Os meus melhores de 2019 Tres10

(3)Jessica Pratt_Quiet Signs : Uma guitarra folk que toca arpégios e acordos minimalistas acompanha uma voz de anjo, éterea. Por momentos plana a atmosfera de uma Linda Perhacs e a influência da Joanna Newsom mas sém pretensão, tudo é simplicidade aqui. Esta obra que magnifica os amores inocentes encontra sempre o tom justo entre tensão e harmonia. Poderia ser uma obra simplista ou maneirista mas a artista consegue em permanência insuflar uma autenticidade que toca o auditor. Uma obra que é mais complexa do que a sua simplicidade dà a pensar e menos pretenciosa do que a sua perfeição vocal poderia pretender ... e é neste espaço ténue que a Jessica Pratt tal uma equilibrista consegue hipnotisar o auditor. Uma obra em suspensão que busca em permanencia o equilibrio, a harmonia ...

(2)Angel Olsen_All Mirrors : A antiga corista do Bonnie 'Prince' Billy atinge o seu auge em solo com este magnifico album. A penultima obra "My Woman" jà nos deixava indicios sobre a progressão artistica da rapariga, mas nada nos preparava para esta bofetada. Aonde a Jessica Pratt fala de amor com a obcessão do equilibrio ... aqui é todo o contràrio e em permanência a Angel Olsen diz-nos que nada é simples ném perfeito. Todas as faixas desviam e inclinam-se numa dança sombria, por vezes épica e doutras melancolica. Os arranjos que alternam (ou misturam) synthpop e instrumentos a cordas são magnificos de tensão. A sua voz que alterna potência e fragilidade ganhou em textura e vibrato e atinge um auge absoluto na ultima faixa (em video abaixo). Um grande, grande album ...

(1)Lana Del Rey_Norman Fucking Rockwell : O talento, quando existe, arrebenta um dia ou outro aos olhos de todos ... era evidente que este album ia apareçer, a questão era de saber se seria o segundo ou o terçeiro album da Lana Del Rey, finalmente foi o quinto. Ela que é uma especialista a baralhar as cartas, como se fosse o negativo de uma Nina Hagen, apareçe aqui mais ambigua que jamais. Por detràs da façada de diva lisa "à la Lynch" a artista desenrola o seu jogo de espelhos e despeja a sua visão crua e lucida sobre uma america em perdição, longe do American Dream. O habitual tom nostalgico torna-se aqui em areias movediças que vão engolir até sufocação o auditor. Nenhuma faixa é calibrada para a radio e ném sequer hà um verdadeiro hit, sòmente canções de autor com arranjos subtilmente ciselados para acentuar os seus demonios, que se tornam nossos apòs a audição. Por debaixo do sol californiano e do eterno verão sò hà desilusão, hipocrisia, ilusão e podridão ...




Ouçam esta beleza absoluta ... raro, rarissimo hoje em dia !!!

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alexandre Vieira
Membro AAP
Alexandre Vieira

Mensagens : 6670
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 50
Localização : The Other Band

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyTer 7 Jan - 15:34

TD124 escreveu:
Alexandre Vieira escreveu:
...Este foi um ano enorme para música na minha opinião com muitos autores a fazerem trabalhos enorme com muito bom gosto. Claro que existiram algumas deceções e até discos incompreendidos, e que talvez, num futuro próximo, sejam sujeitos a uma reapreciação e colocados no seu devido lugar. ...

A ideia de partilhar os albums que nos pareçem ser os melhores de um ano que vém de fechar é boa, e isto por vàrias razões. De um lado hà a partilha do que nos toca e que é sempre uma janela aberta sobre a nossa personalidade, sensibilidade ... e de outro a possibilidade de descobrir obras que nos passaram despercebidas ou foram incompreendidas. As palavras dos outros ressoam sempre em nòs, mesmo quando não estamos de acordo e por vezes o tempo faz-nos mudar essa primeira opinião. Pessoalmente do que escutei a colheita de 2019 é razoavelmente boa, sém ser inesquecivel. Vàrias decepções da parte de artistas que aprecio muito e algumas boas coisas da parte de outros, mas sém a faisca da irreverência ou da alteridade assumida ... estes três discos que escolho, parecendo-me ser do que escutei a excepção à regra e por acaso (ou não) são todos obras femininas !...
Os meus melhores de 2019 Tres10

(3)Jessica Pratt_Quiet Signs : Uma guitarra folk que toca arpégios e acordos minimalistas acompanha uma voz de anjo, éterea. Por momentos plana a atmosfera de uma Linda Perhacs e a influência da Joanna Newsom mas sém pretensão, tudo é simplicidade aqui. Esta obra que magnifica os amores inocentes encontra sempre o tom justo entre tensão e harmonia. Poderia ser uma obra simplista ou maneirista mas a artista consegue em permanência insuflar uma autenticidade que toca o auditor. Uma obra que é mais complexa do que a sua simplicidade dà a pensar e menos pretenciosa do que a sua perfeição vocal poderia pretender ... e é neste espaço ténue que a Jessica Pratt tal uma equilibrista consegue hipnotisar o auditor. Uma obra em suspensão que busca em permanencia o equilibrio, a harmonia ...

(2)Angel Olsen_All Mirrors : A antiga corista do Bonnie 'Prince' Billy atinge o seu auge em solo com este magnifico album. A penultima obra "My Woman" jà nos deixava indicios sobre a progressão artistica da rapariga, mas nada nos preparava para esta bofetada. Aonde a Jessica Pratt fala de amor com a obcessão do equilibrio ... aqui é todo o contràrio e em permanência a Angel Olsen diz-nos que nada é simples ném perfeito. Todas as faixas desviam e inclinam-se numa dança sombria, por vezes épica e doutras melancolica. Os arranjos que alternam (ou misturam) synthpop e instrumentos a cordas são magnificos de tensão. A sua voz que alterna potência e fragilidade ganhou em textura e vibrato e atinge um auge absoluto na ultima faixa (em video abaixo). Um grande, grande album ...
(1)Lana Del Rey_Norman Fucking Rockwell : O talento, quando existe, arrebenta um dia ou outro aos olhos de todos ... era evidente que este album ia apareçer, a questão era de saber se seria o segundo ou o terçeiro album da Lana Del Rey, finalmente foi o quinto. Ela que é uma especialista a baralhar as cartas, como se fosse o negativo de uma Nina Hagen, apareçe aqui mais ambigua que jamais. Por detràs da façada de diva lisa "à la Lynch" a artista desenrola o seu jogo de espelhos e despeja a sua visão crua e lucida sobre uma america em perdição, longe do American Dream. O habitual tom nostalgico torna-se aqui em areias movediças que vão engolir até sufocação o auditor. Nenhuma faixa é calibrada para a radio e ném sequer hà um verdadeiro hit, sòmente canções de autor com arranjos subtilmente ciselados para acentuar os seus demonios, que se tornam nossos apòs a audição. Por debaixo do sol californiano e do eterno verão sò hà desilusão, hipocrisia, ilusão e podridão ...



Ouçam esta beleza absoluta ... raro, rarissimo hoje em dia !!!

Ena logo de uma vez, envias três....até pareço um poeta! Os meus melhores de 2019 933723

E logo três em que detive alguma atenção!

E logo três belíssimos trabalhos!

Mas a surpresa será os dois outros que me faltam, um deles não lembra a ninguém e ganha o meu prémio: uma sardinha no seixal, para o melhor do ano!

Mas excelente apontamento! Os meus melhores de 2019 874774 Os meus melhores de 2019 874774 Os meus melhores de 2019 874774
Voltar ao Topo Ir em baixo
nbunuel
Membro AAP
nbunuel

Mensagens : 2482
Data de inscrição : 07/07/2010

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyTer 7 Jan - 15:55

Nas minhas sugestões só cabem mulheres
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
TD124

Mensagens : 5849
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 54
Localização : França

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyTer 7 Jan - 16:43

nbunuel escreveu:
Nas minhas sugestões só cabem mulheres
...

Grande album sim senhor ... efectivamente um dos melhores de 2019 Os meus melhores de 2019 843159

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry


Última edição por TD124 em Qua 8 Jan - 19:33, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
TD124

Mensagens : 5849
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 54
Localização : França

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyQua 8 Jan - 19:32

TD124 escreveu:
... Eu nunca ouvi este disco, nem ouvi falar...(EDIT) Os meus melhores de 2019 317942

Ò Sr Alexandre Vieira ... tornou-se uma moda de vir escrever (dentro) nos meus posts !!!

Eu nunca escrevi a frase acima e venho de a encontrar no meu ultimo post  Os meus melhores de 2019 447836

Faça là favor de escrever no seu nome e deixe as minhas participações no estado de origem Os meus melhores de 2019 524928826

Os meus melhores de 2019 933723

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alexandre Vieira
Membro AAP
Alexandre Vieira

Mensagens : 6670
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 50
Localização : The Other Band

Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 EmptyQua 8 Jan - 20:05

TD124 escreveu:
TD124 escreveu:
... Eu nunca ouvi este disco, nem ouvi falar...(EDIT) Os meus melhores de 2019 317942

Ò Sr Alexandre Vieira ... tornou-se uma moda de vir escrever (dentro) nos meus posts !!!

Eu nunca escrevi a frase acima e venho de a encontrar no meu ultimo post  Os meus melhores de 2019 447836

Faça là favor de escrever no seu nome e deixe as minhas participações no estado de origem Os meus melhores de 2019 524928826

Os meus melhores de 2019 933723


Os meus melhores de 2019 447836

Tenho que o deixa de fazer no telemóvel...

Shame on me... Os meus melhores de 2019 933723
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Os meus melhores de 2019 Empty
MensagemAssunto: Re: Os meus melhores de 2019   Os meus melhores de 2019 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Os meus melhores de 2019
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Música Geral-
Ir para: