Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio
Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio
Áudio Analógico de Portugal
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalÚltimas imagensPublicaçõesRegistarEntrar
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

 

 O Gira-Discos: Um animal desconhecido...

Ir para baixo 
2 participantes
AutorMensagem
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 8268
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 58
Localização : França

O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: O Gira-Discos: Um animal desconhecido...   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... EmptyQui Nov 03 2022, 10:36

Não sabia aonde meter este topico que no fundo é uma reflexão aberta sobre um elo do sistema que nos pareçe simples e familiar ora que na realidade é um ser desconhecido e deveras complexo. Isto poderia ter sido feito no "Phono geral" pois tal é o lugar destes animais, ou no "Restauro & DIY" pois podemos abordar truques e astucias de funcionamento e amelhoração... mas visto que vamos analisar o animal na sua globalidade pareçe-me que aqui no "Audio Geral" seja mais o seu lugar:

Quase em vias de extinção hà uns anos atràs o Gira-Discos voltou às florestas e planicies do audio e multiplica-se como os coelhos. Familiar pela "forma" mas desconhecido pelo "fundo" vamos tentar todos juntos compreender como este animal vive, quais os habitos, os inimigos e o ecosistema que lhe é o mais favoravel. A "forma" de base é invariavel e consiste globalmente numa base rotativa (prato) acompanhada de uma peça semi fixa que acompanha a curvatura do disco (braço) e prolongada por uma peça que capta os micro-sucalcos gravados nas espiras do disco (célula). A partir desta base comum tudo o resto são diferenças... o animal existe em todos os tamanhos e pesos, a sua estética pode variar muito assim que a anatomia interna. Sendo o fruto de uma evolução natural e submetido às regras da seleção natural o animal teve uma evolução rapida modificando três vezes a sua motricidade: Nasceu como idler (rodinha), passou à correia e acabou com uma motricidade directa mas todos os exemplares coabitam no mesmo ecosistema. O braço também teve uma evolução vertiginosa e passou da simplicidade à ultra-complexidade tanto na forma, nos materiais que na mecanica. A célula em contrapartida teve uma evolução inicial aonde se desdobrou em duas familias (a MC e a MM) mas desde então a evolução fez-se nos detalhes mas sém revolução aparente...

O quotidiano do animal é de ler as espiras dos nossos discos com a maior precisão possivel e isto explica o seu percurso evolutivo mas como qualquer animal o Gira-Discos tém predadores naturais que o perseguém e a seleção natural obrigou-o a se proteger deles... os seus inimigos mortais são estes três:

1_A estabilidade da rotação

2_As resonâncias

3_As vibrações


A partir daqui a coisa torna-se mais clara pois tudo, absolutamente tudo, o que diferencia as diferentes gerações, formas, materiais e tecnologias tém como objectivo de minimisar a influência destes três inimigos afim de ler os sucalcos com a maior precisão possivel. Mas, pois hà sempre um mas, o nosso animal é sensivel às doenças e estas são tão mortais quanto os predadores naturais... ora aconteçe com este animal que as suas doenças e os seus inimigos são exactamente os mesmos! Aprender a compreender quando é que ele està a ser atacado pelos inimigos (fenomeno externo) ou pela doença (fenomeno interno) é o primeiro passo para poder ajudar o nosso animal a sobreviver. Tal é o modesto objectivo deste topico...

PS: Não tenho o tempo, ném a paciência ou pachorra para escrever longos textos como no passado e deixo o espaço aberto para as reflexõies de todos os que se interessam à leitura dos vinis. O problema està posto e a equação é simples... resolver, bem ou mal, estes três problemas determina Tudo. Consoante o que desejam ouvir, e sobretudo como, vai ser necessario interferir com estes três fenomenos e metê-los a traballhar no sentido do que querem obter como resultado sonoro. Se querem a maior neutralidade possivel é necessario eliminar os três, se querem um som fino basta resolver as duas primeiras e metade da terceira, se querem um som envolvente e encorpado basta resolver a primeira e deixar os outros fazer o resto, se querem um magma sonoro denso e energetico deiixem os três problemas invadir o animal e o resultado serà assegurado...

A leitura vinil é um processo muito simples e extremamente complicado! Qualquer gira da terra, e sém excepção, é capaz de ser mau mas ném todos são capazes de ser bons! Compreender estes três problemas e o que queremos fazer com eles vai determinar as escolhas e isto é simples e complicado... não é por acaso que os construtores mais sérios fabricam os pratos, o braço e a célula, pois é, isso é a unica maneira de controlar o resultado!...

tomaz e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 8268
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 58
Localização : França

O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: Re: O Gira-Discos: Um animal desconhecido...   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... EmptyQui Nov 03 2022, 11:37

O ERRO

Existém muitos mitos quanto à educação deste animal mas hà um que é o problema dos problemas ao ponto de se tornar no pecado original! Esse erro é de pensar que um bom prato com um bom braço e uma boa célula dà como resultado um bom gira-discos... seria tão simples ora que nada é simples na vida deste animal que se torna em mais do que um erro, é o ERRO!...

Existém pratos suspendidos, ultra-suspendidos, rigidos e semi-rigidos... existém pratos pesados, medios e leves... existém pratos a correia, idler ou direct-drive... existém braços direitos, encurvados, pesados ou leves, com pivôs, rolamentos, facas ou uni-pivôs... existém braços tangenciais... existém células MM e MC de pesos e eficiências diferentes... existém diamantes conicos, esféricos, elipticos, supra-elipticos... existém estiletes de formas e materiais diferentes e tudo isto é determinado pela função e o objectivo. Pensar que tudo isto pode trabalhar bem junto, apesar da compatibilidade, é esqueçer que estas diferenças criam uma especialidade. Cada uma destas sub-familias resolve parcialmente, ou quase totalmente, um problema e cria outros... sém ver o problema na sua globalidade é impossivel de casar uns com os outros pois o resultado torna-se numa lotaria...

Porque razão os Lenco assentam em quatro molas?... porque o braço tém facas! Porque razão o TD124 assenta em quatro borrachas semi-rigidas e não em molas?... porque o braço tém pivôs! Porque razão os braços da Rega téem rolamentos?... porque isso isola melhor as vibrações dos pratos não suspendidos! Porque razão um unipivô num Rega ou num TD124 é uma heresia?... porque ele acumula as vibrações dum prato rigido! Porque razão um unipivô num prato ultra-suspendido é uma heresia?... porque ele aumenta os erros de tracking laterais! Porque razão um braço Rega num gira suspendido é uma heresia?... porque ele aumenta a filtragem vibratoria o que é desnecessario neste caso e perde a rigidez que é primordial neste caso!... Poderiamos passar o dia a dar exemplos assim e a mostrar que muitas vezes a ssociação de um prato com um braço e uma célula estraga mais do que resolve... independentemente da qualidade intrinseca de cada elemento. Um gira discos é a soma de um prato, um braço e uma célula montados num sistema fechado aonde a simbiose entre os três elementos deve conduzir aos resultados desejados. Se o desejo é de obter um bom resultado (leitura fiel das espiras) a associação destes três elementos tém que resolver ao maximo a santa trindade jà citada antes... em contrapartida se o objectivo é de obter um som especifico as associações heréticas podém ajudar ao resultado: um Garrard 301 montado em rigido com um SME 3012 e uma Ortofon SPU é uma garantia de som "meloso"...

Da mesma maneira que não se passeia um gato em trela e não damos croquetes de gato aos cães os nossos Gira-Discos devem ser tratados e alimentados consoante as suas necessidades que são proprias a cada raça!...

Toca a botar faladura e isto vai com o tempo e as trocas progredir...

tomaz e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
Fernando Salvado
Membro AAP



Mensagens : 462
Data de inscrição : 02/03/2018
Localização : Parede

O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: O Gira-Discos : Um animal desconhecido   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... EmptyQui Nov 03 2022, 12:48

Um tema que me é particularmente agradável...
e que espero possa ser continuado a desenvolver pelo Paulo e outros...
A minha colaboração não pode ser mais do que apresentar algumas imagens ilustrativas.
O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Img_7410
O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Img_7411
Ir para o topo Ir para baixo
Fernando Salvado
Membro AAP



Mensagens : 462
Data de inscrição : 02/03/2018
Localização : Parede

O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: O Gira-Discos : Um animal desconhecido   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... EmptyQui Nov 03 2022, 12:54

...e ainda mais Lencos !O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Img_7412
O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Img_7413
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 8268
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 58
Localização : França

O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: Re: O Gira-Discos: Um animal desconhecido...   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... EmptyQui Nov 03 2022, 18:50

Qualidades e defeitos!

Fernando Salvado escreveu:
...e ainda mais Lencos !
O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Img_7410

No mundo dos Gira-Discos estes dois elementos vão quase sempre juntos, como se fossém inseparaveis! Resolver um problema (qualidade) conduz a fazer apareçer outro problema (defeito)... isto aconteçe pois a função deste aparelho exige elementos contraditorios a todos os niveis! O disco tém de ser metido em rotação o que cria vibrações... o prato tém de ter um corpo ou uma caixa o que cria resonâncias... os motores electricos téem polos o que conduz a uma rotação não linear que faz flutuar a velocidade e assim de seguida e estamos a falar apenas do prato, com o braço e a célula é a mesma coisa... um plinto pesado acumula as vibrações que se dissipam mais lentamente ora que um plinto leve dissipa rapidamente as vibrações mas é sensivel às resonâncias, um problema esconde sempre outro! O amigo Fernando Salvado ofereçeu-nos um exemplar dos seus "animais" então vamos imaginar como poderiamos superficialmente analisar e amelhorar este gira da Lenco:

O Lenco L75 é muito conhecido e como qualquer gira possui qualidades e defeitos. A sua qualidade principal é a inteligência da sua concepção então nesse ponto não tocamos em nada... os defeitos mais conhecidos são o seu plinto original e o braço que acumulam resonâncias! Afim de resolver estes problemas vamos fazer um exercicio de logica aplicada: Qualquer caixa possui uma resonância natural e a presença de um (grande) motor no interior excita e aumenta a amplitude das resonâncias... basta abrir a caixa fazendo grandes buracos nas paredes laterais para minimisar o fenomeno! O tubo em aluminio do braço também acumula resonâncias que se amplifiam durante a leitura pela vibração da agulha... basta encher o tubo com espuma de poliuretano e colar com araldite a concha para modificar a frequência de resonância amelhorando a rigidez! Isto pareçe simples, e é, mas não chega para "amelhorar" o velho Lenco... na realidade ele "modificou-se" mas não "amelhorou"! A modificação do plinto amelhorou as resonâncias mas diminuiu a rigidez e o gira tornou-se mais sensivel au "rumble"... quanto ao braço a mofificação da frequência de resonância tornou-o também mais sensivel ao "rumble" e as duas novas frequências de resonância conduziram a um pico nos médios que torna o som magro e quase agressivo, não é uma boa solução! Estão a compreender porquê nestes aparelhos o plinto e o braço são mudados por outros... mas que braço e plinto escolher para resolver os problemas sém trazer outros equivalentes ou diferentes?... uma questão simples cuja resposta é demasiado complexa e é por isso que os Lenco's modificados apareçem em todas as formas e feitios, para o melhor mas também para o pior Wink

Fernando Salvado gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
Conteúdo patrocinado





O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty
MensagemAssunto: Re: O Gira-Discos: Um animal desconhecido...   O Gira-Discos: Um animal desconhecido... Empty

Ir para o topo Ir para baixo
 
O Gira-Discos: Um animal desconhecido...
Ir para o topo 
Página 1 de 1
 Tópicos semelhantes
-
» Gira-Discos para idiotas ou... Gira-Discos idiota
» This is MYSPACE...
» giradiscos com mau som
» Gira-discos
» Meus aparelhos

Permissões neste sub-fórumNão podes responder a tópicos
Áudio Analógico de Portugal :: Áudio Geral-
Ir para: