Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio
Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio
Áudio Analógico de Portugal
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalPublicaçõesRegistarEntrar
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

 

 Historia de um aparelho (de A a Z...)

Ir para baixo 
5 participantes
AutorMensagem
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 12:48

Historia de um aparelho (de A a Z...) Arno10

O meu filho ontém acabou por perceber que jà existém vàrios clones do seu amplificador e que o seu apelido jà é um pouquito conhecido no mundo audiofilo... até me perguntou porque razão ele não tinha uma participação nos beneficios! Neste momento aonde este aparelho vai passar para uma fase de distribuição pela via doutra empresa, açeitei o seu repto de mostrar a evolução deste projecto que começou hà dez anos atràs. Como digo sempre um aparelho comercial é do DIY feito em série e a unica diferença são os diferentes niveis de industrialisação. Existe sempre uma ou vàrias ideias iniciais e depois vém a modelisação, a experimentação, a fabricação, a optimisação e enfim a comercialisação. Achei que seria giro, e talvez mesmo interessante, de mostrar como uma ideia evolui até se tornar numa realidade comercial... mesmo se neste caso a historia tém raizes atipicas mas, é o que faz a sua singularidade e graça. Este topico poderà ajudar a compreender o que se esconde por detràs de um aparelho e mesmo de re-lembrar alguns conçeitos à volta do audio. Também pode ser o momento para dessacralizar alguns pontos de vista audiofilos ditos puristas pois aqui audio rima com brinquedo! Participem quanto queiram no topico pois as vossas perguntas, ideias e comentàrios serão bem vindas... evitem simplesmente as questões comerciais pois não é um topico de propaganda e ainda menos de publicidade, é pura partilha e gozo. A historia dos ARNOamp jà foi contada por aqui então vou relembrar rapidamente mas com mais detalhes o percurso do aparelho. Tudo começou hà dez anos atràs antes do quarto aniversario do meu filho mais novo...

Vai continuar...

mannitheear e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 13:42

Historia de um aparelho (de A a Z...) Microp10

Na minha loja eu vendia a marca Scandyna que nessa época existia em vàrias cores e que mais pareciam umas colunas da Lego... disse-me que seria giro de ofereçer um pequeno sistema ludico e brincalhão (de criança) para os quatro anos do meu filho. Infelismente não consegui encontrar um amplificador pequeno e divertido que fosse o companheiro ideal das MicroPod que véem na foto. Acabei por me dizer que o ideal seria que eu o fizesse mas entre a falta de tempo e de ideias estava bloqueado. Diz-se por aqui que a sorte faz bem as coisas e dias depois deparo-me com um electricista que vinha fazer uma reparação e que tinha consigo uma caixa de liga de aluminio relativamente pequena e quadrada. Pedi-lhe para me mostrar e disse-me que isso faria um châssis à prova de bala para um audio-brinquedo... as ideias começaram a afluir! Começei a ver os componentes que tinha no atelier e a pensar no depois pois... ofereçer um sistema, mesmo pequeno, a um puto é como lhe ofereçer uma bateria, a paz vai desaparecer! Decidi que o aparelho seria pouco potente mas a minha consciência audiofila dizia-me que teria de ser com um bom som, decidi de fazer um micro SET... sim isso mesmo, um amplificador em classe A com um triodo de saida por canal. Começei a buscar entre as peças que tinha aquelas que podiam servir e pouco a pouco a "coisa" começou a tomar forma. Tendo em conta os meus objectivos tive que pensar "out of the box" mas rapidamente começei a encontrar soluções eficazes e pragmaticas para os multiplos problemas que o projecto representava. Não se esqueçam que o aparelho tinha que ser pequeno, a vàlvulas e resistente aos pontapés, manipulações, choques e outra caricias de uma criança de quatro anos, um pesadelo audiofilo! À medida que ia juntando as peças crescia um entusiasmo e excitação pois via que o brinquedo seria mesmo "audiofilo"...

Vai continuar...

ricardo.canelas gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 15:12

Historia de um aparelho (de A a Z...) Arno_111

Dois meses depois e um mês antes do aniversario o ARNO original (N° zero) nasceu e admito que nesse momento estava orgulhoso. O aparelho tinha representado vàrios desafios pelo que jà expliquei atràs mas o resultado ultrapassava as minhas expectativas. O que devia ser um brinquedo, e era, embarcava num pequeno espaço soluções a sério que foi necessario miniaturizar e fiabilizar... era uma forma de audio-bonzaï! O aparelho utilisava transformadores de saida japoneses, alimentações reguladas, filtragem da alta-tensão por gyrator e componentes de nivel audio em todos os sectores. Escolhi grandes botões adaptados aos dedos duma criança e selectores capazes de resistir à vontade irresistivel de os partir. Vàrias proteções activas e passivas foram implementadas para proteger o aparelho (e o miudo obviamente) contra as projeções liquidas e de objectos ou os choques violentos indo até à destrução das vàlvulas. Deixei cair vàrias vezes (de proposito) o aparelho de 60cm na alcatifa sém que deixe de funcionar... era, e é ainda, um tanque de guerra. Uma saida de auscultadores foi implementada por detràs afim de criar e obter o silêncio de vez em quando. Uma vez o aparelho testado e acabado decidi de dar-lhe o seu nome e assim ficou até aos dias de hoje... sém que eu saiba, e vão compreender porquê, o ARNOamp vinha de nascer. Chegando até aqui penso que voçês se perguntam como o amplificador soa: Bom, diria que nada mal para um brinquedo! Com 1.5W é evidente que as diferenças dinamicas estavam atenuadas com as pequenas MicroPod e era ainda mais nitido com as ProAc Ref8 que tinha nessa época. Em contrapartida o médio apresentava aquela reprodução sedutora e irreal, pois mais bela que na realidade, comum a alguns SET's classicos bem conseguidos. Com auscultadores de baixa impedância a sonoridade do aparelho é muito mais rapida, dinamica e mesmo "magica" consoante o auditor... hà pessoas que adoram o som SET classico. Apesar das limitações apresentadas o brinquedo impressionou alguns dos meus amigos pela fineza e liquidez da modulação assim que pelos timbres organicos e complexos, isto criou mesmo em alguns o interesse pelos SET's mais a sério. Esta historia deveria ter ficado por aqui mas o futuro decidiu que não seria assim...

Vai continuar...

mannitheear gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 15:56

A história já vai no terceiro capítulo e a malta com a cabeça às voltas nem escreve. Laughing

O Paulo já me fez revisitar outros tópicos, esse "pequeno" amplificador já nos fez (veja-se lá a tentação) oferecer um espacinho na nossa sala para testes. Agora que o Paulo usa a metáfora do bonsai, fiquei a pensar se não ficaria bem onde na nossa sala tem uma pedra que marca o lugar de um amplificador e neste momento mora um bonsai. bounce

Vou seguir a ler e trabalhar mais um pouquinho, espero para ver como decidiu passar da fórmula STE para o Híbrido que será dado ao mundo na sua terceira encarnação (pelo que entendi). Wink
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 17:22

José Miguel escreveu:
... espero para ver como decidiu passar da fórmula STE para o Híbrido que será dado ao mundo na sua terceira encarnação (pelo que entendi). Wink

A historia ainda està curta e o caminho da ascensão é longo... ainda mais quando se passa de uma brincadeira para algo de muito mais sério, tentando preservar a inocência inicial! Quanto a dar ao mundo não creio que seja assim... o projecto "Arno" jà fechou nas minhas mãos e pelo que sei serà exclusivo para a França  Wink
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 17:43

Não vou tentar tirar "nabos da púcara", acompanharei o desenrolar da história e das ideias. Wink

O resto fica para outras/futuras conversas, continue a narrativa que um leitor atento já tem.
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 18:05

Historia de um aparelho (de A a Z...) Arno_210

Durante vàrios anos o ARNO fez-se discreto e foi mais o palco de diversos jogos do que o coração de um micro sistema. Pouco o ouvi no quarto do meu filho e muito poucas vezes o tirei de là para escutar fora... o amplificador viveu um retiro discreto e com muito pouco trabalho. Acabei por esqueçer a sua existência e mesmo no quarto do meu filho ném reparava na sua presença. È giro como algumas coisas apareçem, empolgam-nos e depois desaparecem complétamente num silencioso desinteresse... foi o caso deste aparelho. Muitos anos depois uma amiga entra no quarto dele e dà-se de caras com o aparelho e uma forma de revelação apareçe. Ela rasga-se de elogios à volta do aparelho e pede-me para lhe fazer um que ela desejava meter na sua cozinha. Expliquei-lhe que não era possivel pois não o queria repetir e ao mesmo tempo disse-lhe que não era um aparelho a sério e que a sua fraca potência era uma deficiência importante. Ela argumentou que não buscava potência mas musica de fundo e que ao mesmo tempo um objecto tão insolito poderia valorisar o design da sua cozinha... disse-me mesmo que poderia o mostrar a outras pessoas que seriam interessadas de certeza. Emprestei-lhe o micro sistema que de nada servia no quarto e de uma maneira inesperada o som agradou-lhe e a outras pessoas também. Esta realidade levou-me a açeitar de fazer um clone mais evoluido na potência e no design... decidi também de fazer um par de colunas que tivessem uma sinergia correcta com o aparelho e de lhe integrar um DAC. O novo desafio era de fazer um aparelho que pudesse visualmente passar de brinquedo a objecto design... sém perder alguns dos genes iniciais que o tornavam singular ném apareçer como um amplificador convencional. Decidi que faria uma série limitada de cinco aparelhos, todos diferentes, e que depois encerrava o projecto "Arno". Puz-me ao trabalho mas de novo as coisas não se passaram como esperado...

Vai continuar...

masa, mannitheear, ricardo.canelas e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySeg Nov 22 2021, 23:21

Historia de um aparelho (de A a Z...) Arno_f10

Quando começei o primeiro clone do ARNO tinha apenas quatro certezas: O amplificador seria a valvulas, mais potente e iria utilisar a mesma caixa e botões pois tal era a identidade visual, e singular, do primeiro modelo... o resto estava ainda por definir. Decidi de fazer um design minimalista para romper o aspecto técnico do primeiro dando-lhe uma aparência mais contemporanea e isso criou dificuldades técnicas suplementares. Os transformadores de saida estariam escondidos o que me levou a mandar fazê-los sob medida com um nucleo em ferro e niquel... isto permitiu de reduzir um pouco o tamanho sém perder a qualidade, bem ao contrario. Visto que o interior do primeiro jà estava cheio neste modelo o problema de espaço ainda aumentou pela adição dos transformadores de saida no interior do chassis... era o preço do novo design. Decidi de ter apenas o botão de volume metendo o interruptor na traseira e um selector automatico. O chassis foi parcialmente polido para criar reflexos frios e as valvulas foram iluminadas pela base. Ao nivel tecnico misturei algumas soluções do primeiro com novas astucias afim de ganhar espaço e de obter uma sonoridade diferente. Optei por dois pentodos ligados em pseudo triodo o que me permitiu de obter 2.5W, ou seja, quase o dobro da potência do primeiro. O Arno N°1 vinha de nascer e com ele uma visão diferente do projecto, apesar dos pontos comuns acima citados. A sonoridade deste aparelho apareçeu bem diferente do original: Muito fino, aéreo, transparente e algo feminino... a sua rapidez suave cria a surpresa a quém o escuta. A potência de 2.5W que continua muito limitada trava as grandes amplitudes dinamicas mas paradoxalmente o som apareçe aberto, esculpido e dotado de uma grande transparência apesar do volume sonoro limitado. Este aparelho foi uma (boa) surpresa para mim e de uma certa maneira perturbou-me... começei a pensar que talvez fosse possivel de fazer algo a sério neste projecto. O segundo aparelho da série foi uma reinterpretação deste mas o terçeiro mereçe ser mencionado aqui...

Vai continuar...

mannitheear, ricardo.canelas e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 10:02

Historia de um aparelho (de A a Z...) Arno310

O terceiro Arno representa de uma certa maneira o auge da fase1 e o paradigma aqui muda quase radicalmente, vamos là compreender! Até aqui todos os amplificadores deste projecto eram "Spuds", isto quer dizer que eles utilisavam uma unica valvula para a entrada e a saida... a parte de préamplificação e a parte de potência era feita pelo mesmo elemento. No Arno N°3 no interior de cada vàlvula existem dois modulos separados (triodo + Pentodo) então o aparelho funciona como qualquer amplificador vàlvulado com um andar de entrada e outro de potência. No intuito de conseguir meter todos os componentes no espaço exiguo da caixa os circuitos impressos estão montados em mezzanine (sobrepostos) afim de ocupar todo o espaço. O transformador toroidal blindado està no interior e o DAC também foi blindado... este aparelho é pesado e utilisa transformadores de saida sob medida de origem americana. O aparelho continua a ser um classe A SE mas desta vez montado em pentodo ultra linear e não em triodo então é chamado um SEP. Os botões foram mudados para lhe dar um aspecto mais hifi e o design, apesar de relativamente sobrio, é mais tecnico do que os anteriores. O aparelho atinge os 4W então possui quase três vezes a potência do Arno original... sabia que estava a tocar os limites deste exercicio de estilo e que seria dificil, talvez impossivel, de continuar a multiplicar a potência exponencialmente. Para algumas pessoas 4W em SET ou SEP jà é suficiente com colunas sensiveis, para mim continuava insuficiente, sobretudo em classe A. O som deste aparelho é muito proximo do Arno original com um médio melodioso e um baixo-médio onctuoso. Estamos verdadeiramente no arquétipo das vàlvulas classicas na apresentação sonora mas com uma amplitude dinamica mais larga e acelarações fulgurantes... este ultimo elemento equilibra a tonalidade sombria e acaba por lhe dar uma sonoridade singular. Este aparelho é aquele que possui uma restituição sonora mais completa sém ser, paradoxalmente, aquele que agradou mais ou com melhor som. Este Arno entrando nos limites técnicos, para os ultimos dois seria necessario mudar de estrada, assim fiz...

Vai continuar...

Fernando Salvado gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 11:49

Historia de um aparelho (de A a Z...) Pause10

Aqueles que tiveram a paciência de ler os primeiros seis episodios devem estar admirados pela obcessão, deveras desrazoavel, que transpira desta historia. Trata-se de uma brincadeira que se torna séria sém abandonar a sua componente ludica e descontraida. È uma série de aparelhos que se sucedem sém se copiar tecnicamente mas também sém deixar de ter uma identidade comum. Fala-se de gastar energia e tempo a fazer amplificadores relativamente complexos, e caros, que ném sequer mereçem um lugar num modesto sistema de sala. Estamos a falar de aparelhos que deveriam entrar num espaço imaginario do audio e que seria a hifi decorativa. Mesmo eu, lendo o que jà escrevi, não posso deixar de ver neste exercicio de estilo uma forma umbilical de criar por criar desprovida de objectivo concreto em termos de audio. Do que me lembro dessa época, que não é tão longinqua quanto isso, estava partilhado entre o gozo do desafio intelectual e o absurdo do resultado... tinha entrado em modo circular entre eu e o meu ego. O cumulo de tudo isto é que os aparelhos agradavam e as encomendas apareciam... afinal, mesmo a arte decorativa se vende bem actualmente. Consciente apesar de tudo isto do arrogante vazio deste projecto, decidi de guardar o rumo e sò fazer os cinco aparelhos que tinha decidido... isto deixava-me espaço para devanear intelectualmente nos ultimos dois. Devo dizer para que compreendam que, fora o primeiro, os outros Arno não eram feitos por encomenda... eu decidia de tudo, fazia o aparelho e depois o primeiro que o comprava era dele! Até aqui todos os aparelhos tinham sido comprados por mulheres mas o Arno3 teve uma outra historia. Um amigo arquitecto ouviu-o com as minhas ProAc Ref8 e gostou tanto que decidiu o comprar para casar com umas ProAc anniversary... argumentei que não era um aparelho do nivel dessas colunas, longe mesmo, mas ele estava decidido, queria um Arno com essas colunas e fazer um sistema de raiz! Açeitei e passei um acordo com ele... se o N°4 fosse superior ao N°3 com as ProAc, e do seu agrado, ele ficaria com ele e trocàva-mos os aparelhos coisa que açeitou imediatamente. Enfim um objectivo concreto vinha de nascer e o proximo Arno representava um desafio intelectual entusiasmante...

Vai continuar...

ricardo.canelas e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 13:09

Historia de um aparelho (de A a Z...) Infarn10

Em frente da folha branca para construir o Arno N°4 as minhas escolhas eram multiplas. Podia tentar de fazer uma ultima tentativa a vàlvulas e ir buscar os 7W, podia fazer um transistorisado de 20W, utilisar modulos em classe D e ir buscar os 50W ou escolher uma via hibrida entremeada com estas outras soluções. Afinal o audio é como a cozinha, ingredientes e reçeitas não faltam desde que se saiba o que queremos comer e como cozinhar. Foi finalmente o objectivo do casamento com as ProAc que me ajudou na escolha, assim que o respeito pela identidade visual dos Arno. Um puro transistorisado ou classe D faria desaparecer as vàlvulas que para mim faziam parte da identidade do aparelho... fazer um hibrido com modulos em classe D para a potência era um risco subjectivo e potencialmente aumentava os problemas de fiabilidade! Finalmente era no dominio do hibrido a transistores que eu estava mais à vontade e poderia vergar o resultado... foi a direção que tomei. Apesar do que digo, na minha cabeça havia muitas mais duvidas do que certezas pois fazer um aparelho tão pequeno que possa rivalisar com os grandes não é simples. As minhas soluções habituais não podendo ser utilisadas por falta de espaço tive que mergulhar no meu pragmatismo quotidiano... tinha que projectar um amplificador e não um exercicio de estilo. Tendo na mente a regra do Akiiro Tanaka que diz: a potência é inversamente proporcional à qualidade de reprodução... decidi artificialmente de limitar a potência à volta dos 10W. Tal era a potência do meu amplificador da época (hibrido inversado) que casava lindamente com as ProAc e que seria o meu ponto de comparação. Optei por um IC (circuito integrado) da Sanken que jà conhecia e por um andar a vàlvulas simetrico com pouco ganho alimentado como os transistores. Tudo foi cablado fio por fio para poder modificar à vontade e bem me deu... passei vàrias semanas a tentar equilibrar o complexo andar hibrido com transistores Jfet que oscilava e fazia fogos de artificio, um pesadelo, um inferno! Acabei por estabilisar tudo e tive como recompensa um aparelho que os anglo-saxões apelidam de rock stable! Finalmente foi quando o liguei para escutar que pela primeira vez compreendi o velho lema audiofilo: Os grandes aparelhos nascem da dor... alguns vinhateiros também dizém isso do vinho. Tinha um aparelho cinco vezes mais barato do que o meu, dez vezes mais leve e cinco vezes mais pequeno que se batia mano a mano com ele. Este Arno vinha de provar que o projecto podia ser algo mais do que uma brincadeira ou hifi decorativa... o que ouvia era um verdadeiro amplificador feito para funcionar num sistema de sala e entusiasmar. Pela primeira vez os meus amigos olham para um Arno de uma maneira admirativa no lugar da condescendência habitual... eis um brinquedo que mete medo! Foi batisado de InfArno para foneticamente lembrar o inferno que foi... meti-lhe uma led vermelha potente para lembrar o fogo luciferiano e como era de esperar o meu amigo levou-o para a casa dele desde o dia que o escutou. O ultimo Arno poderia ter sido uma variante à volta deste mas seria demasiado simples, não foi o que se passou...

Vai continuar...

ricardo.canelas e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 13:32

A história ainda nos reserva mais episódios ou capítulos, mas finalmente chegou o que apresenta o Arno Amp. nas "vestes" que mais me entusiasmam (esteticamente falando).

A número 4 ficou com uma aparência robusta e industrial, a presença dos dissipadores não o torna bruto, desde logo por evidenciar a fragilidade de um componente como a válvula. Wink

Paulo, não sei se já o disse, mas pode apresentar as medidas da caixa (também em altura)?
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 14:51

José Miguel escreveu:
... mas finalmente chegou o que apresenta o Arno Amp. nas "vestes" que mais me entusiasmam (esteticamente falando)...

As diferentes estéticas dos Arno não fazém a unanimidade, como era de esperar, mesmo se na globalidade são aparelhos que arrancam um sorriso quando são vistos pela primeira vez. Admito que o meu preferido é um dos da Fase1 e por vezes digo-me que para deixar de pensar definitivamente neste projecto ainda me faltam, para mim, dois Arno:

Um que seria tecnicamente um Fase3 mas com alguns codigos estéticos do meu preferido da Fase1...

E um em duas caixas que seria uma forma de no cost object aonde poderia devanear até aos meus limites...

Quém sabe um dia... para a tranquilidade da mente, sobretudo o ultimo scratch

PS: A altura da caixa é à volta dos 6cm...

ricardo.canelas e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 18:33

A evolução estética do amplificador foi no sentido da simplicidade e das linhas que se complementam (o quadrado da caixa com a circunferência da protecção do transformador), ficou mais "amigo" do ambiente doméstico.

Gosto da versão 1, ainda com ar industrial (que prefiro), mas seria muito bom ver até onde poderia levar o conceito com as duas caixas (alimentação externa por exemplo). Pense nisso, talvez o amplificador para o seu caminho de Tábula Rasa. Smile

Paulo, as outras medidas são 15x20cm? (largura e profundidade)

O seu móvel com um desses "pequenos" em cima é das que me (nos) ficou sempre na memória. Wink
Ir para o topo Ir para baixo
Alexandre Vieira
Membro AAP
Alexandre Vieira


Mensagens : 8395
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 51
Localização : The Other Band

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 19:01

Tópico espectacular!

Muitos parabéns! Historia de um aparelho (de A a Z...) 754215 Historia de um aparelho (de A a Z...) 754215 Historia de um aparelho (de A a Z...) 754215
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 20:23

Historia de um aparelho (de A a Z...) 131

O ultimo dos Arno da Fase1 foi uma encomenda deveras especial e de novo um desafio tecnico. Um bom amigo veio com uma colega de trabalho aqui a casa porque ela queria um sistema baseado no Arno e seria necessario que tanto o DAC quanto o Phono fossem integrados. A rapariga era uma grande amadora de post-rock e rapidamente apreçiei a sua relação com a musica, especialmente com o vinil! Meter numa caixa tão pequena o amplificador, um DAC e um Phono de qualidade era muito complicado e em termos audiofilos quase um suicidio. Pela primeira vez neste projecto fiz uma grande limpeza e apliquei a frase do Saint Exupery que faz o meu lema aqui no AAP, ou seja, atingir a simplicidade absoluta. O complexo andar de entrada do N°4 foi simplificado até aos ossos... o CI da Sanken foi substituido por un françês da STMicroelectronics e cada ponto do circuito foi revisitado e optimisado. Pela primeira vez neste projecto trabalhei alternando medida, escuta e comparação com o N°4 assim que com o meu amplificador... as ProAc Ref8 e as D18 foram as colunas de referência (uma monitora e uma de chão). A simplificação do projecto permitiu-me de utilisar componentes de qualidade superior e mesmo de fabricar algumas peças fundamentais sob medida... permiti-me mesmo de apariar os componentes sensiveis e trabalhar com tolerâncias muito mais ajustadas. A potência passou para 15W e optimisei a alimentação para a resposta impulsional afim de optimisar a rapidez subjectiva. O design foi levado até um minimalismo extremo aonde o actor principal é a caixa ela mesma. Apesar de não ter encontrado grandes problemas técnicos o N°5 foi a mais demorada realisação do projecto Arno... a alternância entre medida, comparação e escuta critica é um processo longo e fastidioso. No fim o projecto estava alcançado e objectivamente o ultimo aparelho da Fase1 era o melhor... subjectivamente jà é outra conversa mas, num projecto é preciso saber quando começar e quando acabar, a obcessão é mà companheira. Dei o amplificador à sua proprietaria e para mim o projecto Arno vinha de encontrar o seu epilogo e de que maneira... de um brinquedo de audio ele tinha passado pelo objecto decorativo e acabava como amplificador a sério, no fundo de mim estava contente com o caminho mas menos com o desfecho... ficou-me a andar às voltas este projecto. A historia deveria se acabar aqui mas na época não percebi que o Arno N°5 abria a Fase2...

Vai continuar...

mannitheear e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyTer Nov 23 2021, 21:03

José Miguel escreveu:
... seria muito bom ver até onde poderia levar o conceito com as duas caixas (alimentação externa por exemplo). Pense nisso, talvez o amplificador para o seu caminho de Tábula Rasa. Smile

Paulo, as outras medidas são 15x20cm? (largura e profundidade)...

O amplificador que seria o ideal no caminho da Tabula Rasa não pode ser complexo... seria antinomico nmho! Neste modesto e sintético coming out tento mostrar até que ponto a busca intelectual e sensitiva são um caminho de cruz, uma forma de calvario entre aspas! O meu amplificador desejado, esperado, imaginado é sò meu... é isto o fim deste caminho para nòs todos, e sém palavras, espero...

Mas, intelectualmente a busca continua e não vai acabar nunca mesmo se regularmente ela entrechoca a parede das emoções... aprendi a viver com estas contradições, é mesmo a essência do meu trabalho! Preciso de fazer esse Arno Ultimo... não necessito dele pela função ou resultado mas, pela possivel aprendizagem ou luz, uma pulsão me empurra até ao fim da historia (spoiler)...

Neste nivel de intimidade e devaneio o françês seria a minha lingua de predileção, a unica na qual me exprimo melhor e por extensão mento menos... mas tém de ser assim, desejo e necessidade não são do tudo as mesmas coisas e a escolha, como mostro neste topico, é uma realidade constante para a qual não hà abstenção!...

O tamanho das caixas é mais ou menos 17x17x6cm... um quadrado Exclamation

Fernando Salvado gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 11:18

TD124 escreveu:

O amplificador que seria o ideal no caminho da Tabula Rasa não pode ser complexo... seria antinomico nmho!

(...)

O momento de "tábula rasa" prende-se com a procura do tempo/lugar onde tudo pode ter um (novo) princípio. Como a simplicidade é complexa e a busca será pelo melhor dentro do simples... já está a ver onde isto pode parar. Laughing

Não o chateio mais, estarei atento aos desenvolvimentos da história e movimentos do seu intelecto. Wink
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 13:25

José Miguel escreveu:
...O momento de "tábula rasa" prende-se com a procura do tempo/lugar onde tudo pode ter um (novo) princípio. Como a simplicidade é complexa e a busca será pelo melhor dentro do simples... já está a ver onde isto pode parar. Laughing

Não o chateio mais, estarei atento aos desenvolvimentos da história e movimentos do seu intelecto. Wink

Para começar não me chateias em nada, não sei de onde tiras essa ideia... e se a minha resposta de ontém foi algo hermética é porque a escritura desta historia de A a Z mostra(me) até que ponto o percurso deste aparelho é complétamente singular e sém equivalente na minha vida, ao ponto de me perturbar! Se eu estivesse a falar do Anti-Lenco ou de qualquer outro produto que fiz o desenvolvimento intelectual seria muito mais linear pois funciono sempre da mesma maneira: Objectivo, orçamento, possibilidade tecnica, busca das soluções, simplificação das soluções, fabricação... até agora, no que conto sobre os Arno não é este caminho que foi seguido e o primeiro elemento para mim que é o "Objectivo" apareçe(me) mesmo muito fosco, isto é(me) estranho e perturbador pois tenho a impressão de algo que nasceu do acaso e que nunca teve um objectivo concréto  scratch

Quanto ao amplificador ideal para o meu sistema tábula rasa eu compreendo muito bem o que dizes e tenho a certeza que também entendeste o que eu disse ontém... aliàs, pelo que venho de escrever no inicio desta intervenção a coisa pode apareçer ainda com mais sentido. Quando começei o sistema tábula rasa e visto que me fixo sempre antes um objectivo, eu jà sabia quais seriam as colunas, fontes e evidentemente o amplificador... o Arno e ainda menos o Duplo Arno não são projectos compativeis... ném subjectivamente ném técnicamente mesmo se intelectualmente o Arno "pode encaixar" no projecto! Num forum somos sempre por natureza generalistas e acabamos muitas vezes por esqueçer as multiplas excepções do audio...

A grande maioria das colunas existentes são electrodinâmicas, multivias e com caixa... mas também existém as electroestàticas, as isodinâmicas, as cornetas, as colunas abertas (OB), as full-range, as hibridas e etc. No primeiro grupo penso que um aparelho de qualidade pode se casar com uma grande maioria ora que nas excepções vai ser necessario um aparelho com tecnologia adaptada. As electroestàticas necessitam aparelhos potentes e capazes de funcionar com impedâncias muito baixas... as isodinâmicas necessitam muita potência e com uma rapida resposta transitoria, as cornetas necessitam pouca potência e suavidade e as full-range necessitam ainda outras coisas consoante o modelo e nestes casos não hà aparelho "universal" ném "transversal". Se juntar-mos ao que digo a existência de um "objectivo subjectivo" então o aparelho vai necessitar uma tecnologia e uma sonoridade especifica... é por isso que o amplificador da tábula rasa sempre existiu na minha cabeça, basta fazê-lo...

Evidentemente que é possivel (tudo é possivel teoricamente) que outros aparelhos possam funcionar tão bem ou melhor, mesmo o Arno e Duplo Arno, mas nesse caso chamo a isso um problema de rico e não serà grave, bem ao contràrio! O Duplo Arno existe na minha cabeça como um aparelho que poderia atacar colunas multivias grandes com facilidade e precisão do tipo D80, B&W, Kef ou Magico... com full-ranges de alta sensibilidade como as minhas futuras colunas o aparelho deve "empurrar" demasiado mas quém sabe, sò experimentando Laughing

ricardo.canelas gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 13:54

A frase "não o chateio mais" prendia-se com o desvio ao tema central do tópico, apenas isso. Wink

Compreendo o que diz do amplificador e relação com as suas futuras colunas, parte de um princípio que deverá ter muito para dar (as generalizações são movimentos essenciais do intelecto, não é possível pensar sem elas Wink). Compreendo ainda que pensa o Arno "duplo" pela via da maximização da potência, eu projectei que dada a sua preferência pelo original optasse por seguir a da pureza do amplificador (baixa potência se parasitas, por isso a caixa separada).

Cada cabeça sua sentença, mesmo ao lermos os mesmos textos que o Paulo escreve. Smile
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 14:22

José Miguel escreveu:
A frase "não o chateio mais" prendia-se com o desvio ao tema central do tópico, apenas isso. Wink

... Compreendo ainda que pensa o Arno "duplo" pela via da maximização da potência, eu projectei que dada a sua preferência pelo original optasse por seguir a da pureza do amplificador (baixa potência se parasitas, por isso a caixa separada). ...

Acho que vou deixando no interior destes relatos "miolo" suficiente para que qualquer discussão de audio não seja off-topic! Os Arno são o ponto de partida mas qualquer discussão pode ser feita à volta pois no fundo são aparelhos de audio... o aspecto inabitual do aparelho pode criar vàrias reflexões e a sua historia também então, hà começo mas não hà fim...

A "pureza" de um produto tém muito que se diga e pessoalmente vejo "pureza" nalguns produtos complexos... ora no caso do Arno eu vejo a "pureza" como um trabalho de "absoluta simplificação", mas a historia ainda não acabou! O problema técnico principal dos Arno foi a falta de espaço mesmo se os ultimos resolvem complétamente isso e até sobra! O transformador do Arno està fora da caixa e é uma versão audio grade então é como se jà tivesse uma alimentação separada... mas se quizer fazer uma versão de 50W sò o transformador serà quase tão grande quanto o chassis e não sei aonde vou meter as duas vàlvulas e os dissipadores necessarios, a dupla caixa torna-se uma obrigação. Como quero atacar com esse aparelho colunas com cargas complexas e grandes altifalantes vou ter necessidade de um circuito bem mais complexo assim que duma alimentação a condizer... vou sair do concepto de "simplificação" para entrar num concepto aonde necessito espaço e a separação da alimentação e do circuito ofereçe-me isso... dai as duas caixas Wink

Fernando Salvado gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 15:01

Nas novelas acabamos por fazer tiro ao vilão, algures na narrativa acertamos. Smile

No final da história ainda vamos ver o Arno "duplo" ao lado de umas colunas... tudo montado. dvil



Vou trabalhar mais uma horita, depois tenho de explorar álbuns partilhados... dar uso ao amplificador que temos. Smile
Ir para o topo Ir para baixo
mannitheear
Membro AAP
mannitheear


Mensagens : 1288
Data de inscrição : 01/08/2013

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 18:28

As a lucky "user" of the latest Arno amp Version Type II I see it here a bit pragmatic.

I like the looks and concept very much but at first it's an amplifier!
So, as I have high efficiency speakers with impedance linearization, the power is more than enough! But it works also very well with the tiny Tablette 8 which has low efficiency! And the sound performance exceeds my push pull tube amp as well as the preamp + class D combo. It seems an unfair comparison, but pragmatic.

In fact the little wonder box leaves for me only one small point open, and this point affects only a very small percentage of listening situations.

Soundwise it plays in a extremely high league without any flaws and with every type of music!

2cclzes


Última edição por mannitheear em Qui Nov 25 2021, 07:13, editado 1 vez(es)
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 21:47

mannitheear escreveu:
As a lucky "user" of the latest Arno amp Version I see it here a bit pragmatic...
Historia de um aparelho (de A a Z...) Ms10

Hi Man, there are only 10 Arno's made (11 with the original) so five are the Fase1, Version1 or Type1 (its the same) and the last five are the Fase2, Version2 or Type2! As you can see on the photo this is the rear sticker on your amp and its marked Type II and the serial number is 4V2MS wich means N°4/Version2/Proprietary Name...
Indeed you have the last Arno handmade by me but its a Version2 and not a Version1... you should have the N°5 but i kept this number for me since i wanted to have the "game over" number... creator privilege Laughing

Funny thing... all eleven Arno's are completely or rather different except yours and mine that are twins... only the front buttons are different!...

I haven't talk yet about the Fase2 amps since its another story Wink
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 22:24

Paulo, eu creio na frase do Manfred está "As a lucky "user" of the latest Arno amp Version I (i/eu) see it..."

Caso assim seja, não se perdeu nada, ganhamos uma imagem da traseira do amplificador e da forma como faz a seriação - usar o nome do proprietário é um belo toque. Wink
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQua Nov 24 2021, 23:48

José Miguel escreveu:
Paulo, eu creio na frase do Manfred está "As a lucky "user" of the latest Arno amp Version I (i/eu) see it..."

Caso assim seja, não se perdeu nada, ganhamos uma imagem da traseira do amplificador e da forma como faz a seriação - usar o nome do proprietário é um belo toque. Wink

Tens razão vi (li) como "Version I" Embarassed

As traseiras também são todas diferentes... fora o do Manfred e o meu, quanto ao nome do proprietario sempre fiz, nos aparelhos em madeira e mesmo nos Anti-lenco até tém assinatura e data de fabricação Laughing

Ir para o topo Ir para baixo
mannitheear
Membro AAP
mannitheear


Mensagens : 1288
Data de inscrição : 01/08/2013

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQui Nov 25 2021, 07:25

José Miguel escreveu:

Caso assim seja, não se perdeu nada, ganhamos uma imagem da traseira do amplificador e da forma como faz a seriação - usar o nome do proprietário é um belo toque. Wink

The owner's name (initiales) appear often even on the PCB (circuit board) of anTiTon devices to underline the uniqueness of every unit.

@Paulo: what about another story like this one about the headphone amps? The enFase is just another small but incredible good device with a history. Biz!
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQui Nov 25 2021, 09:40

mannitheear escreveu:
...The owner's name (initiales) appear often even on the PCB (circuit board) of anTiTon devices to underline the uniqueness of every unit... what about another story like this one about the headphone amps? The enFase is just another small but incredible good device with a history. Biz!
Historia de um aparelho (de A a Z...) P1090016

Indeed, it was a way to show that every unit was made in a single way and completely "housemade"! It will be a bit different in the future i think. Yes, the canamp have a great and long history but i guess that i'll prefer to talk about the big SEamps i'm doing just now... their "complete history" is far more interesting and strange! Even the Anti-Lencos wich is a product completely adopted by german audiophiles is a crazy project deserving many words Wink

Alexandre Vieira e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQui Nov 25 2021, 09:54

Historia de um aparelho (de A a Z...) Infarn10

Em relação ao N°4 (InfArno) esqueci-me de dizer que o aparelho tecnicamente não é um hibrido mas um puro transistorisado pois o sinal não atravessa a vàlvula! O andar de entrada utilisa a vàlvula como resistência variavel de carga dos transistores Jfet... o que cria um efeito de expansor de dinamica variando em função do sinal de entrada! Isto explica em parte o "inferno" que foi a optimisação deste andar assim que a sonoridade final que "mete medo" Laughing

Alexandre Vieira gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyQui Nov 25 2021, 11:26

mannitheear escreveu:
José Miguel escreveu:

Caso assim seja, não se perdeu nada, ganhamos uma imagem da traseira do amplificador e da forma como faz a seriação - usar o nome do proprietário é um belo toque. Wink

The owner's name (initiales) appear often even on the PCB (circuit board) of anTiTon devices to underline the uniqueness of every unit.

@Paulo: what about another story like this one about the headphone amps? The enFase is just another small but incredible good device with a history. Biz!

TD124 escreveu:
mannitheear escreveu:
...The owner's name (initiales) appear often even on the PCB (circuit board) of anTiTon devices to underline the uniqueness of every unit... what about another story like this one about the headphone amps? The enFase is just another small but incredible good device with a history. Biz!
Historia de um aparelho (de A a Z...) P1090016

Indeed, it was a way to show that every unit was made in a single way and completely "housemade"! It will be a bit different in the future i think. Yes, the canamp have a great and long history but i guess that i'll prefer to talk about the big SEamps i'm doing just now... their "complete history" is far more interesting and strange! Even the Anti-Lencos wich is a product completely adopted by german audiophiles is a crazy project deserving many words Wink

Hi there,

A piece of equipment will always be a piece of equipment and its function should be the hallmark of its nature, however having something like this will always end up being special.

I have already told Paulo in another place, I repeat here: there is History and stories, when these two realities appear well mixed, the result tends to be superlative. Wink


I wait for more developments and will be looking to pull more from the narrator. dvil Laughing
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySex Nov 26 2021, 09:59

Historia de um aparelho (de A a Z...) Cla-1013

Antes de abordar a Série2 (Fase2) do projecto Arno pareçe-me importante fazer um pequeno devaneio à volta da amplificação que vai ajudar a compreender, espero, a continuação desta historia. Cada audiophilo tém geralmente uma preferência de coração por um dos elos do sistema... para alguns é a fonte, para outros é a amplificação e para muitos, talvez a maioria, são as colunas. Se é verdade que estas ultimas téem um papel fundamental no resultado por vàrias razões debatidas e conhecidas, também é verdade que nenhum elemento funciona sozinho e o resultado sonoro é sempre a soma do todo! Isto leva-nos até um ponto regularmente citado nas conversas mas pouco explicado que é: o que faz a "qualidade" de um aparelho de audio? Penso que cada audiofilo tém a sua propria ideia e a argumentação vai do gosto passando pela técnica até aos devaneios sobre a sinergia inter-elementos mas... um olhar historico faz apareçer alguns fenomenos estranhos. Actualmente é rarissimo encontrar uma pessoa que utilise um Garrard 201 para escutar vinis mesmo em 75rpm, portanto é o antepassado dos giras modernos... também é mais do que raro ver um audiofilo equipado com altifalantes a excitação, ou seja, com electro-imanes... ora que também são os avozinhos das colunas! No entanto é comum de ver pessoas equipadas com SE de 300B, 2A3, 211 ou 845 que representam a pré-historia da amplificação e mesmo ver essa tecnologia antedeluviana ser apregoada como um expoente subjectivo... isto dà que pensar obviamente. Negar a progressão tecnologica do audio é como negar a evolução da medicina, seria puro negacionismo, e é obvio que se o audio tivesse evoluido com o mesmo pragamatismo que o video poucas tecnologias teriam sobrevivido. Da mesma maneira que um audiofilo tém de escolher entre as diferentes proposições do comércio um fabricante tém de escolher entre diferentes conçeitos técnicos, ele està obrigado a dar um sentido, qualquer que seja, aos seus produtos. Para mim, o elemento que mais define a qualidade de um amplificador é a sua universalidade e transversalidade ou seja... a capacidade de se adaptar a situações e elementos diferentes sém perder as suas caracteristicas técnicas e subjectivas. Sendo o amplificador o elemento "do meio" ele tém de um lado que respeitar o sinal da fonte fazendo o seu trabalho de amplificação e do outro lado controlar as colunas sém deixar apareçer deficiências audiveis... uma coisa mais complicada quando se sabe a carga dinamica (esforço) que uma coluna mais o filtro representam. As medidas estàticas dão indicações preciosas mas um amplificador é como um carro... ele nasçe em laboratorio, passa pela oficina e afina-se na pista! Com este objectivo na mente iniciei a nova fase do projecto Arno buscando essa transversalidade tão desejada assim que a vontade de ver este aparelho se tornar em algo inicialmente impensàvel que era de se metamorfosar em pequeno amplificador audiofilo...

Vai continuar...

Alexandre Vieira e ricardo.canelas gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySex Nov 26 2021, 10:39

José Miguel escreveu:
... A piece of equipment will always be a piece of equipment and its function should be the hallmark of its nature...

Well said and it is true in certain fields, like the video ... infortunately, I am not sure that this is the case in the audio scratch
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySex Nov 26 2021, 13:56

TD124 escreveu:
José Miguel escreveu:
... A piece of equipment will always be a piece of equipment and its function should be the hallmark of its nature...

Well said and it is true in certain fields, like the video ... infortunately, I am not sure that this is the case in the audio scratch

Paulo, por compreender onde quer chegar (acho eu) é que disse que os aparelhos acabam por não ser só aparelhos. Wink

A comparação com fotografia ou vídeo era muitas vezes usada pelo Ricardo onga-ku, mas para tentar quebrar os mitos do áudio, o Paulo com essa frase deixa espaço para o mito viver (pela dúvida que levanta). A audição é um sentido e funciona de forma genérica como todos os outros sentidos. O que muda então para que a evolução seja simples de encaixar quando o sentido é a visão e não seja simples de encaixar com o sentido é a audição?

Deixo um exemplo: quando recebi o meu actual telefone apontei a câmara a um tapete, assim como apontei o meu anterior. Olhei para o tapete e olhei para os dois ecrãs, o actual telefone tem as cores exageradamente saturadas, mas não deixa de ser mais actual.

Vivemos de referências e vivemos do que aprendemos, a mundividência de cada um é fruto de um corpo de conhecimento e experiências, um destes dias as novas gerações vão acusar a Natureza de pálida... pois os modelos mais comuns de telefones tendem a ter filtros aplicados de raiz e o mundo com e sem filtros é diferente.

No áudio não é diferente, já assisti a debates onde se tentou até lançar o fumo da presença ou não no estúdio de gravação para se conseguir opinar devidamente... como se não existisse um enorme trabalho de produção feito depois da sessão de gravação. A que é que comparamos o que ouvimos por meio de um sistema? O que temos em mente quando analisamos? Que referências e experiências temos?


Um equipamento, aprofundei esse conhecimento por aqui, é um equipamento. Contudo eu nunca deixei de acreditar que é mais do que isso, é História (factos) e estórias (não-factos), somos nós. Um equipamento é o que nele colocamos (como funcionam os sentidos e a nossa razão). Smile

O Arno é a prova disto, para si tem muitos factores que o tornam especial, para mim que leio também (ainda que diferentes dos seus, mas é por isso que leio e lhe escrevo), mas pode muito bem haver quem olhe para esta narrativa ou o escute e não compreenda a razão disto existir. Agora imagine-se uma pessoa a ouvir o amplificador Arno antes e depois de ler isto tudo, antes e depois de falar consigo algumas horas, antes e depois de saber que caso queira um ele será único.
As experiências seriam diferentes, antes e depois, pois a pessoa que iria experimentar já teria mudado. Isto não nega que o amplificador antes de outra coisa respeitaria a sua função, mas algo na experiência "depois" teria sido somado. (o mesmo valeria se estivéssemos a falar de uma televisão ou projector, de um vinho ou alimento como tantas vezes refere, de um perfume).

O chão de uns pode ser o teto de outros, seja no campo da audição, da visão, do palato, do olfacto ou do tacto. Quando entram as paixões em jogo, a razão é beliscada e ainda bem. Wink
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySex Nov 26 2021, 21:54

José Miguel escreveu:
...A comparação com fotografia ou vídeo era muitas vezes usada pelo Ricardo onga-ku, mas para tentar quebrar os mitos do áudio, o Paulo com essa frase deixa espaço para o mito viver (pela dúvida que levanta). A audição é um sentido e funciona de forma genérica como todos os outros sentidos. O que muda então para que a evolução seja simples de encaixar quando o sentido é a visão e não seja simples de encaixar com o sentido é a audição?...

José eu sou um provocador inato... por natureza evidentemente, pela evolução e também um pouco por gosto, mas raramente (ou inconscientemente) de maneira gratuita. Eu não quero destruir o "mito do audio", nunca quiz... simplesmente porque esse "mito" é o motor da nossa paixão a todos! Que seja eu no palco, os DIY'ers por detràs dos bastidores ou o consumidor na plateia, todos fazemos parte deste espectaculo (commedia dell'arte) que é o AUDIO. Sém esse "mito" o audio resume-se a certezas que rapidamente serão reveladas, açeitadas e a fase seguinte serà falar de musica ou se calar... esperando a proxima evolução tecnica disruptiva. O "mito do audio" subentende a ideia que nesta disciplina técnica algo existe para além da ciência... como no mundo da fabricação de instrumentos existe um "mito" que ultrapassa a mecanica e a marcenaria e coloca o resultado num espaço metafisico... como o Chi chinês, o Ki japonês ou o Prana para os indianos. Finalmente que se queira ou não, é essa busca esoterica, por vezes quase messiânica nmho, que em parte nos anima e mesmo aos mais pragmaticos de entre nòs. O desejo de atingir a reprodução "ultima e magica" é o sonho de qualquer audiofilo independentemente da sua "igreja"... que ele seja amador, DIY'er ou designer! È um tema vasto, complexo e polémico mas digo isto para explicar que não tenho o "mito do audio" no visor da minha espingarda... jà não digo a mesma coisa dos que fazém comercio do "mito" ou que o perpetuam para atingir objectivos pessoais, mas isto jà é uma outra conversa que mereceria ser abordada noutro lugar Wink

Quanto à tua questão é obvio que não tenho a resposta... ou ela é demasiado complexa para encaixar neste modesto topico. Ainda hoje no meu ultimo texto escrevi: (...)se o audio tivesse evoluido com o mesmo pragamatismo que o video poucas tecnologias teriam sobrevivido. A contradição é uma das mamas da audiofilia e vamos todos beber nessa fonte senão... o vinil estaria morto e enterrado e com ele todas as tecnologias que não apresentam um alto desempenho objectivo, aka mensuravel...
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySex Nov 26 2021, 22:45

Já não devia escrever a esta hora, foi uma semana demasiado cheia (depois do jantar ainda tive de fazer contas) e a garrafa de Louis Jadot Bourgogne Pinot Noir está vazia... mas aqui vai: eu não tenciono terminar "mitos", eles servem sempre de motivo para alongar conversas e lançar perguntas difíceis. Smile

Creio que no mundo do vídeo passa-se o mesmo que no áudio, vejamos: ainda há quem defenda e use película para filmar e fotografar, há mesmo quem afirme que esse é o caminho certo (pelo raciocínio exposto, a película deveria pertencer aos museus).


Fugindo um pouco ao centro do alvo, mas ainda acertando no alvo: um destes dias ouvia um fotógrafo falar sobre a razão de usar o preto/branco na fotografia, falava de teorias da percepção e afins... dizia ele que há cores que fazem o nosso cérebro focar ("colar-se") mais do que outras e o preto/branco permite que o observador consiga captar a imagem como um todo; as fotografias são tiradas para mostrar a totalidade do que está impresso e não um ponto amarelo ou encarnado (cores que nos chamam mais a atenção).

Entendo os conceitos em jogo e compreendo o fundo de raciocínio, no áudio passa-se o mesmo?
Talvez... o "excesso de pormenor" (realismo) ou a "fidelidade" (objectivo último) poderão estar para o áudio como a cor e realismo estão para a fotografia, a ultra definição para o cinema.
Quem monta um sistema em casa será um "fotógrafo"?
Acredito que alguns sim, há sistemas que nascem de conceitos ponderados.

O Paulo tem uma gigantesca vantagem sobre mim neste campo, pois cria! Eu apenas largo palavras que são palavras sobre o que experimento, o Paulo pode criar o que lhe/nos permite aceder à Música (as "máquinas fotográficos"). Eu serei sempre um observador que tenta compreender e escolhe as ferramentas mediante o que conhece, o Paulo pode ser o fotógrafo que escolhe fotografar com as máquinas que considera mais pertinentes.

No meio de tudo isto não perdi a questão do amplificador Arno, peças que evoluíram à medida dos desafios de uso, dos objectivos dos proprietários e, muito importante, dos assombramentos do criador. Smile

Agora vou dedicar-me a escutar Música em volume muito moderado. drunken
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySab Nov 27 2021, 14:25

Historia de um aparelho (de A a Z...) P1090910

A Fase2

Apòs o ultimo Arno da Fase1 dava a coisa como encerrada e deixei de pensar neste projecto durante meses, talvez mesmo mais de um ano, mas um dia um amigo meu foi acordar estes aparelhos. Ele tinha mudado de cidade por causa do trabalho e deixado o seu grande sistema na casa segundaria... ele buscava um pequeno sistema, mas elitista, para o seu novo pequeno apartamento. Foi ele que me falou de um Arno ao qual respondi que seria melhor fazer um aparelho de raiz... conheço a sua grande exigência tanto na musica quanto nos vinhos e temia que ele se cansasse rapidamente. Ele insistiu e vi neste pedido a possibilidade de repensar este projecto. Com a experiência dos dois ultimos da Fase1 decidi de revisitar o projecto ponto por ponto e que este modelo seria um "verdadeiro hibrido", ou seja, a vàlvula e o transistor seriam alimentados igualmente. Isto levou-me a escolher uma vàlvula que seja linear com uma alimentação em baixa tensão e decidi de fazer um circuito pouco ortodoxo e artificialmente desiquilibrado... o objectivo sendo de eliminar complétamente os residuos de sonoridade da valvula. Mais uma vez o aparelho foi cablado ponto por ponto (como o n°4) pois temia encontrar dificuldades de optimisação mas... desta vez funcionou desde o inicio sém nenhum problema. Um novo transformador ligeiramente mais grande foi desenhado e a alimentação foi complétamente repensada com o objectivo de uma resposta rapida em vez de constante. Uma vez acabado, medido e escutado o aparelho partiu para um curto estagio na casa de vàrias pessoas com sistemas diferentes. Sém dizer nada ao inicio eu recolhi as impressões de cada um e tive a surpresa de constatar que elas eram muito similares... a transversalidade que eu desejava tornava-se uma realidade. Começei a escutà-lo com as minhas Ref8Sign e a optimisar alguns pontos e de repente tomei consciência que era um dos melhores melhores amplificadores que tinha ouvido com essas colunas... sò um SE de 300B do passado tinha sido mais excitante! Desde esse momento tornava-se evidente que tinha de possuir um e isto era o mais belo elogio que podia lhe fazer. Decidi de ir fazer algumas escutas com ele na casa de amigos com fontes e colunas diferentes e de julgar por mim mesmo... fiquei entusiasmado pela capacidade do aparelho a se adaptar a vàrios elementos e que na maioria estavam numa gama muito superior. Decidi de fazer de novo uma série de cinco e visto que um seria meu apenas três encomendas seriam açeites. Este, o N°1V2 partiu se casar com um par de Ref8Sign pois o meu amigo ficou tão subjugado pela escuta e casamento quanto eu... a fonte é um leitor Audioaero Capitole Ref e ainda hoje é o seu sistema de sala. O N°2V2 foi realisado pouco depois mas com um circuito impresso e os resultados foram um pouco inferiores. De novo foi necessario repensar a coisa e tentar estabilisar este aparelho que alternava excitação e frustração...

Vai continuar...

galvaorod gosta desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySab Nov 27 2021, 14:55

Historia de um aparelho (de A a Z...) P1090911

A comparação lado a lado entre o N°1 da Fase1 e o N°1 da Fase2 mostra as diferenças estéticas relacionadas com as diferenças tecnologicas... mas também mete em evidência uma forma de constância na vontade de obter linhas minimalistas. A diferença de seis vezes na potência também demonstra a evolução do projecto e sobretudo a falta de eficiência dos Single Ended... um transformador desse tamanho para obter simplesmente 2.5W por canal... com um classe D seria de certeza possivel de obter 20W ou mais Exclamation

ricardo.canelas, galvaorod e Fernando Salvado gostam desta mensagem

Ir para o topo Ir para baixo
galvaorod
Membro AAP
galvaorod


Mensagens : 875
Data de inscrição : 14/04/2017

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptySab Nov 27 2021, 16:19

Excelente tópico.
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyDom Nov 28 2021, 12:05

José Miguel escreveu:
... O Paulo tem uma gigantesca vantagem sobre mim neste campo, pois cria! Eu apenas largo palavras que são palavras sobre o que experimento, o Paulo pode criar o que lhe/nos permite aceder à Música (as "máquinas fotográficas"). Eu serei sempre um observador que tenta compreender e escolhe as ferramentas mediante o que conhece, o Paulo pode ser o fotógrafo que escolhe fotografar com as máquinas que considera mais pertinentes...

...Quem monta um sistema em casa será um "fotógrafo"?
Acredito que alguns sim, há sistemas que nascem de conceitos ponderados...

Na tua primeira frase, que vejo como um possivel elogio que me toca, existe uma afirmação e duas probabilidades, vou abordà-las separadamente: A afirmação é que o acto de "criar aparelhos" é uma avantagem ora que eu questiono-me sempre se a minha profissão é uma sorte, um azar, uma vocação, uma sina, algo de elevador ou ao contràrio de destructor... a resposta depende dos dias! Penso que no caso dos DIY'ers que téem conhecimentos suficientes para "criar" e que recusam a via da economia, do desempenho esteril, da simples copia, do umbilicalismo e da comparação enviezada o acto criador é efectivamente nobre e serà deles o reino dos céus! No caso do designer professional o acto criador (produto) està no centro de um triangulo aonde em cada ponta està a técnica, a estética e o mercado... o sucesso do produto depende do equilibrio entre estes três elementos e o unico que pode ser sacrificado é a técnica, os outros nunca! O acto criador torna-se muito menos nobre visto assim e isto daria pano para mangas...
Quanto à possibilidade do criador de fazer ferramentas de reprodução de alta-qualidade e à possibilidade de as escolher de maneira pertinente... fazes a aposta que o designer faz produtos de qualidade e que ao mesmo tempo ele é um utilisador pertinente destas ferramentas... imaginas que o mecanico que faz as grandes camaras também pode ser um grande fotografo, foi aqui que vi um elogio, infelismente desmerecido! Penso que hà pessoas que fazém coisas, pessoas que utilisam essas coisas e pessoas que sublimam essas coisas e não são as mesmas. O Enzo Ferrari tinha um afinador para os seus carros, os engenheiros da Leica não téem a reputação de serem grandes fotografos e os audiofilos que sublimam os seus sistemas são rarissimos. Fica a reflexão à volta de algo que sempre disse: Os bons produtos no audio independentemente da tecnologia, preço ou desempenho não são raros... o que é raro são os sistemas que sublimam esses elementos!!!...

Também acredito que um audiofilo possa ser um "fotografo" e efectivamente existém sistemas ponderados que vão nessa direção... apesar de raros e que o resultado conclusivo o seja ainda mais pois querer, poder e alcançar não são sinonimos!...
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyDom Nov 28 2021, 15:56

O Paulo faz muitas vezes a malandrice de responder e esquecer o contexto das frases que cita. pirat

Eu concordo com o que diz sobre os construtores e utilizadores, ou seja, na maior parte das vezes eles não se encontram na mesma pessoa. Contudo, repare que me dirijo a si e eu sei (como o próprio Paulo sabe) que no seu caso encontram-se. Wink


O fotógrafo que referi não faz as suas próprias câmaras, escolhe as que quer usar e transforma algumas para chegar onde quer. Quando apresenta as suas fotografias acaba por revelar objectos, paisagens, pessoas ou animais como quer e como gosta de pensar que eles merecem ser observados (não estou no campo da fidelidade, apenas no plano da observação e reflexão).

Quando transportei isto para o áudio pensei na possibilidade de uma pessoa ter o que quer da Música enquanto realidade, ou seja, enquanto objecto para os nossos sentidos e razão. Poderei no final não concordar com a pessoa, mas penso sempre que há algo de especial neste exercício que ultrapassa a paixão, pois coloca a razão a trabalhar para melhor se sentir. Nos seus relatos dos sistemas longínquos há alguns que poderiam ser exemplo, no fundo o seu caminho de "tábua rasa" também o é. Smile
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyDom Nov 28 2021, 16:28

José Miguel escreveu:
... O fotógrafo que referi não faz as suas próprias câmaras, escolhe as que quer usar e transforma algumas para chegar onde quer. Quando apresenta as suas fotografias acaba por revelar objectos, paisagens, pessoas ou animais como quer e como gosta de pensar que eles merecem ser observados (não estou no campo da fidelidade, apenas no plano da observação e reflexão)...

Sei que não escreveste essa frase com este objectivo mas, não pude deixar de pensar que esse fotografo reage como a maioria dos audiofilos com o seu sistema... serão os audiofilos artistas que se ignoram e que preferem uma visão artistica e pessoal da gravação mais do que a fidelidade Question

Laughing
Ir para o topo Ir para baixo
José Miguel
Membro AAP
José Miguel


Mensagens : 8795
Data de inscrição : 16/08/2015
Idade : 40
Localização : A Norte, ainda a Norte...

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyDom Nov 28 2021, 16:44

TD124 escreveu:
José Miguel escreveu:
... O fotógrafo que referi não faz as suas próprias câmaras, escolhe as que quer usar e transforma algumas para chegar onde quer. Quando apresenta as suas fotografias acaba por revelar objectos, paisagens, pessoas ou animais como quer e como gosta de pensar que eles merecem ser observados (não estou no campo da fidelidade, apenas no plano da observação e reflexão)...

Sei que não escreveste essa frase com este objectivo mas, não pude deixar de pensar que esse fotografo reage como a maioria dos audiofilos com o seu sistema... serão os audiofilos artistas que se ignoram e que preferem uma visão artistica e pessoal da gravação mais do que a fidelidade Question

Laughing

Não me vou citar a mim mesmo, mas a minha pergunta levanta essa lebre... é precisamente isso que queria colocar em debate quando questionei se em casa (com um sistema) podemos ser fotógrafos...

A fotografia não visa apenas documentar, pois não!?! dvil

Há conceitos que considero altamente pertinentes e outros nem por isso... um audiófilo não tem de ser alguém que visa "documentar", pode muito bem querer ter uma perspectiva própria e, ao mesmo tempo, não desvirtuar o objecto que reproduzirá.
Ir para o topo Ir para baixo
TD124
Membro AAP
TD124


Mensagens : 7253
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 56
Localização : França

Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) EmptyDom Nov 28 2021, 18:53

José Miguel escreveu:
... Há conceitos que considero altamente pertinentes e outros nem por isso... um audiófilo não tem de ser alguém que visa "documentar", pode muito bem querer ter uma perspectiva própria e, ao mesmo tempo, não desvirtuar o objecto que reproduzirá.

Compreendo muito bem o que dizes e penso que é o que tentamos fazer todos apesar que... na tua frase jà existe esse espaço que é a "raiz do mal" pois a perspectiva pessoal sém desvirtuar é uma forma de corda bamba sobre um precipicio...

Professionalmente, não desvirtuar pode conduzir à via das medidas e entrar numa historia (competição?) sém fim que acabe em bandas de 0 a 1Mhz, distorções de 7 zeros apos a virgula e potências de mais de 1000Watts... sém que isto seja uma garantia de fidelidade absoluta! A perspectiva pessoal também pode conduzir a sonoridades mais belas do que a realidade (gravação) apesar de medidas mediocres como aconteçe nos maus Single-Ended... o espaço de manobra real e intelectual é reduzido.

No dominio pessoal, a coisa pode ser feita pela sensibilidade e o pragmatismo guardando em permanência os limites dos dois objectivos na mente. O Nik Wallenda atravessou o Grand Canyon sobre uma corda bamba e provou que era possivel... penso que esse teu "audiofilo" também pode existir e conseguir! No entanto penso que geralmente essa via da perspectiva propria sém desvirtuar acaba por priveligiar sistematicamente a perspectiva propria. Num mundo aonde o vinil coabita com o digital e muitas (demasiadas?) vezes é preferido, "não desvirtuar" é um eufemismo para evitar de dizer que a fidelidade à gravação afinal conta por pouco Wink
Ir para o topo Ir para baixo
Conteúdo patrocinado





Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty
MensagemAssunto: Re: Historia de um aparelho (de A a Z...)   Historia de um aparelho (de A a Z...) Empty

Ir para o topo Ir para baixo
 
Historia de um aparelho (de A a Z...)
Ir para o topo 
Página 1 de 1

Permissões neste fórumVocê não pode responder aos tópicos
Áudio Analógico de Portugal :: Áudio Geral-
Ir para: