Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalCalendárioPublicaçõesFAQGruposRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

Compartilhe | 
 

 Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 11:20

Um artigo interessante (já antigo) sobre as deficiências das "mini-monitoras":

Who stole the bass? by Anthony H. Cordesman

http://www.stereophile.com/features/44/index.html#JmHFK5CwYldy1vbU.97

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 11:23

tradução do google "melhorada":

Gostaria de expressar a minha crescente aversão pelas “mini-monitoras” e para a desonestidade com que são promovidas e testadas pelas revistas.
Eu consigo perceber a necessidade ainda que limitada de tais unidades em condições de escuta invulgares ou casos particulares mas não vejo, no entanto, qualquer utilidade de tais colunas na maioria das salas de escuta domésticas.
Não vejo nenhuma razão válida para a sua produção, e sinto que existem muito mais deficiências do que aquelas que lhes têm sido apontadas.
Deixem-me começar por resumir o meu raciocínio em termos não técnicos:

Independente da dimensão de umas colunas (grandes ou pequenas), a menos que tenham sido concebidas para ser utilizado próximo de uma parede, será sempre necessário posicioná-las a alguma distância das paredes mais próximas para que se obtenha o melhor desempenho.
Além disso, as colunas “mini-monitoras” requerem suportes bastante elevados.
A ilusão de que as “mini-monitoras” são mais fáceis de posicionar do que as colunas de dimensões mais convencionais ignora as leis “reais” de posicionamento de colunas.

• As leis da física simplesmente não permitem a existência de uma coluna com uma sensibilidade utilizável consiga produzir graves precisos abaixo de 120Hz. Quer a coluna esteja ou não equalizada, algo terá de ceder, geralmente em detrimento da precisão da gama média-baixa até ao grave. Não se trata do desempenho ao nível dos graves profundos ou numa gama limitada de música, mas do desempenho medíocre na gama onde a maioria das músicas tem a maioria de sua energia.

• Estas “mini-monitoras” não produzem uma melhor gama-média à custa de uma menor extensão das baixas frequências — elas simplesmente produzem mais energia no médio-baixo em relação aos graves. Uma pequena coluna exige muito mais compromissos para que se consiga obter uma gama média plana e dinâmica do que uma maiores dimensões, e praticamente obriga o designer a adoptar algum tipo de truque de concepção para obter a ilusão de um baixo aceitável. Pelo mesmo preço, um designer competente irá obter melhor desempenho se optar por conceber uma coluna de maiores dimensões.

• Uma “mini-monitora” com limitações ao nível da extensão de graves, mesmo exagerando os graves que produz, nunca soará musicalmente natural. Um tal equilíbrio tonal não existe na realidade, ao vivo; a imagem vai ser artificialmente exagerada, e o efeito de palco tende a ser demasiado largo e difuso. A resolução e os transitórios ficarão mais aparentes porque as oitavas superiores não serão mascarados ou melhor integradas numa gama média-baixa adequada.

• Se uma “mini-monitora” com limitações ao nível da extensão de graves e/ou dinâmica apresentar um decaimento no extremo agudo, de modo que as altas frequências pareçam naturalmente equilibradas com a falta de grave, obteremos um som "polido", doce, confortável, mas sem realismo e poder. O resultado é bom para a música de fundo, mas é quase tão satisfatório como uma pintura politicamente correcta, um vinho politicamente correcto, ou qualquer outro prazer politicamente correcto.

• Em ambos os casos, o ouvinte, eventualmente, tende a restringir a sua escuta a música adequada às (in)capacidades da “mini-monitora”, em vez de explorar toda a gama de experiências musicais. E a selecção de música não deve depender das colunas.

• Não há nenhuma razão para a existência de tais colunas. Praticamente todas as “mini-monitoras” melhores são produtos britânicos. Embora sejam geralmente vendidas a preços razoávei s​no Reino Unido, elas são escandalosamente caras nos EUA em comparação com colunas full-range americanas, tais como alguns modelos da Thiel, Vandersteen, VMPS, etc.

• Se por um lado o uso de sub-woofers ou woofers externos pode ajudar, apenas uma unidade de graves especificamente projetada para funcionar com uma “mini-monitora” pode realmente produzir bons resultados. A maioria das “mini-monitoras” apresenta “colorações” nos baixos, um exagero que lhes permita soar razoavelmente bem quando usadas sozinhas. Isso torna o emparelhamento com uma unidade de graves muito mais difícil.

• A opção por uma unica unidade de graves, irá degradar de imagem e o efeito de profundidade de um sistema de som a menos que a frequência de corte se situe bem abaixo dos 80Hz. A adição de unidades de baixo (mesmo que seja uma única), no entanto, tende a aumentar o custo de um sistema de “mini-monitoras” para valores acima do de umas colunas de gama larga. Além disso, a maioria das combinações de “mini-monitoras” e unidades de baixo são muito mais feias do que um par de colunas full-range, e mais difíceis de posicionar na sala de audições. E também envolvem ligações mais complexas, que muitas vezes implicam o uso de amplificadores e interligações extra — que custam dinheiro e degradam a qualidade do som.

Estas generalizações têm uma base técnica sólida, mas muitos desses problemas não são totalmente evidentes para o audiófilo porque não existem normas universalmente aceites na indústria de áudio para medir a resposta de baixa frequência e da gama dinâmica em colunas de som.

Qualquer fabricante pode reivindicar uma resposta até 40-50Hz se ignorar a necessidade de níveis realistas máximos de volume (gama dinâmica), baixos níveis de distorção e/ou o nível de atenuação (dB) na resposta de graves.


Última edição por ricardo onga-ku em Dom Jan 31 2016, 03:52, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 11:46

Vejamos a medição de algumas colunas efectuadas em câmara anecóica pelo Martin Colloms (Hi-Fi Choice):

-3dB de atenuação das baixas frequências medida a 86dB.

AR-18, 70Hz
BBC LS3 / 5A, 95Hz
Celestion SL6S, 70Hz
Goodmans Maxim, 120Hz
KEF C10, 110Hz
Mordaunt Curto-MS100, 95Hz
ProAc Tablette EBT Super, 95Hz (?)

Este tipo de desempenho não é simplesmente compatível com as necessidades da reprodução de música.

E piora quando começamos falamos de valores mais elevados (96-100 dB) e com um impacto notável na distorção.
Embora o tamanho dos altifalantes é não seja uma indicação de baixa distorção, o facto é que a maioria das “mini-monitoras” ‘clipam’ efectivamente os picos nas baixas frequências mesmo a níveis de escuta que podemos considerar normais com colunas de dimensões “normais”.
Isto é, naturalmente, um excelente motivo para publicar medições de distorção de segunda e terceira ordem para cada frequência, e para a publicação do nível de corte (‘clipping’), ou ponto em que os altifalantes começam realmente começar a distorcer.
Mas a publicação de tais medidas iria, provavelmente, colocar dois terços dos fabricantes de colunas de hoje fora do negócio!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pierre
Membro AAP
avatar

Mensagens : 1489
Data de inscrição : 24/11/2010
Idade : 48
Localização : Elvas

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 12:03

Nas minhas Rega RS1 nota-se perfeitamente o que descreves:
" truque de design para obter a ilusão de baixo aceitável "

Com as AE Aegis Evo One, os resultados são mais naturais em termos de grave, só que mais problemas em afasta-las e posicionamento difícil em relação às paredes.

Tenho estes dois pares de colunas ligadas, com os mesmos amp,s. As rega mais afastadas entre si e as AE mais juntas pelo que descrevi.

No entanto, como descreves, a facilidade natural de reprodução tende a ser mais evidente nas de maior porte e altifalante das AE.
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 14:50

Primeiro, em geral mais de colunas de chão. Dito isto, vou dar a minha opinião que vale o que vale.

As mini monitoras aparecem no UK e não no US, porque as casas no UK são bem menores em média. Não esquecer que as salas para onde essas colunas parecem rainhas, têm modos em torno dos 50Hz e são pequenas, não necessitando de elevado SPL e portanto ultrapassando esse problema da distorção. Assim, têm a sala a fazer de muleta, quando elas pouco SPL debitam nessas frequências.

E mesmo na distorção, tive cá em casa umas Xavian XN270 (cortesia da Zenaudio, exemplar na relação com o cliente) e a altos SPL não notei distorção nenhuma. Com a muleta da sala (forte ganho nos 47Hz) elas chegavam bem cá baixo - ainda devo ter as medições algures.

Dito isto, em cenário real, com salas não dedicadas (em que poderíamos criar gigantes bass-traps), acho pode ser benéfico o uso de monitoras.
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 17:56

As primeiras "mini-monitoras" foram concebidas para os pequenos estúdios e os estúdios móveis (Ford Transit) da BBC para monitorizar voz, daí o nome de monitoras.
Mais tarde apareceram modelos comerciais como as Linn Kan e as ProAc Tablette que de certo modo procuravam emular as BBC LS3/5a.

Eu também gostei de ouvi as XN270 num dos xôs aí na capital, mas não acho que se possam classificar de "mini-monitoras"; são demasiado grandes para isso:
XN270 ~ 0,0261 m3
LS3/5a ~ 0,0097 m3

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
António José da Silva
Membro AAP
avatar

Mensagens : 64409
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 51
Localização : Quinta do Anjo

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Sab Jan 30 2016, 23:27

Só agora é que vi este tópico. Ainda não li nada, nas quem me conhece e a minha "filosofia do som", sabe perfeitamente que só não prendo e castigo quem roubou o grave se não puder. lol!

_________________
Digital Audio - Like Reassembling A Cow From Mince  


If what I'm hearing is colouration, then bring on the whole rainbow...


The essential thing is not knowledge, but character.
Joseph Le Conte


Última edição por António José da Silva em Dom Jan 31 2016, 09:21, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pierre
Membro AAP
avatar

Mensagens : 1489
Data de inscrição : 24/11/2010
Idade : 48
Localização : Elvas

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 08:43

É preferível ter menos graves do que estes mascararem a gama média e agudos, devido às dificuldades de posicionamento e integração de uma pequena e problemática sala.

Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 18:10

Convém distinguir entre "mais" (intensidade) grave e grave "mais baixo" (extensão).
Intensidade significa que uma dada gama de frequências está desenquadrada do resto do espectro enquanto que extensão refere-se à frequência mínima (nos graves) ou máxima (nos agudos) que a coluna reproduz.

Por exemplo, as BnW CM1 produzem um pico ("mais" grave) com uma intensidade de 5dB aos 90Hz para "disfarçar" a falta de extensão dos graves (60Hz a -6dB).


Listening Window, 20Hz - 20kHz (measured @ 2m, plotted @ 1m)
Response curve is an average of five measurements: on-axis, 15 degrees left and right off-axis, 15 degrees up and down off-axis


Esse pico nos 90Hz pode muito bem exagerar uma ressonância em certas salas e por conseguinte levar a um pior desempenho do que umas colunas com maior extensão mas uma resposta mais plana.


Além disso, o nível de distorção (compressão dinâmica / clipping) a 90dB nas baixas frequências é elevadíssimo (quase 20%), como aliás foi explicado pelo autor do artigo e que se deve às pequenas dimensões da caixa e do woofer.


THD+N @ 90dB, 50Hz - 10kHz (measured @ 2m)
Top curve: frequency response @ 90dB SPL; Bottom curve: THD+N @ 90dB (50Hz - 10kHz)

fonte: http://www.soundstagenetwork.com/measurements/speakers/bw_cm1/

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 18:29

Esse clipping é falta de pulmão do amplificador! Razz

Agora a sério, eu por exemplo acho que colunas com resposta plana são aborrecidas. Muito por causa das curvas de Fletcher-Munson.
Voltar ao Topo Ir em baixo
António José da Silva
Membro AAP
avatar

Mensagens : 64409
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 51
Localização : Quinta do Anjo

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 19:11

tfonseca escreveu:
Muito por causa das curvas de Fletcher-Munson.


Porra, affraid quem é esse gajo.

_________________
Digital Audio - Like Reassembling A Cow From Mince  


If what I'm hearing is colouration, then bring on the whole rainbow...


The essential thing is not knowledge, but character.
Joseph Le Conte
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pierre
Membro AAP
avatar

Mensagens : 1489
Data de inscrição : 24/11/2010
Idade : 48
Localização : Elvas

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 20:29

António José da Silva escreveu:
tfonseca escreveu:
Muito por causa das curvas de Fletcher-Munson.


Porra, affraid  quem é esse gajo.


Será que ele queria dizer " ... das curvas de Michèle Mouton " Question
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 20:59

tfonseca escreveu:
Esse clipping é falta de pulmão do amplificador! Razz

Agora a sério, eu por exemplo acho que colunas com resposta plana são aborrecidas. Muito por causa das curvas de Fletcher-Munson.

Então todos os instrumentos são "aborrecidos"...  geek

Por essa lógica, e usando a imagem como analogia, a metade direita da foto tem uma resposta plana ("aborrecida" mas fiel) enquanto que a da esquerda tem uma reposta ondulada (distorcida mas muito mais "interessante"):



Num tom mais sério, a função de um sistema de alta fidelidade é a reprodução fiel do sinal gravado.
Se a resposta não for plana, a reprodução não é fiel.


Na minha opinião, falar nas curvas de Fletcher-Munson só faz sentido se escutarmos música a um volume muito reduzido, já que o ouvido humano perde sensibilidade nos externos de frequência quando o nível de pressão sonora é muito baixo:



Nesses casos é conveniente ajustar a resposta de frequências de modo a compensar essa menor sensibilidade acentuando os extremos; alguns amplificadores mais antigos vinham equipados de um circuito que fazia isso mesmo chamado LOUDNESS ou por vezes CONTOUR (talvez por alusão a equal-loudness contour).

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Dom Jan 31 2016, 23:02

Os instrumentos não são aborrecidos, os meios de gravação não são perfeitos e os estúdios muitas vezes equalizam o som de uma certa maneira que pode não ser a melhor para os nossos sistemas.

A própria PSB, creio que era o chefe de projecto, dizia que se fizessem o voicing das colunas flat, ninguém ia gostar.

Ah, e sim, eu não escuto música ao mesmo SPL que o instrumento real, na maioria das vezes. Aliás, já tive uma amiga cantora de ópera a cantar cá em casa e tive medo que os vizinhos se manifestassem Laughing

Como dizia o outro, no áudio o que uns adoram outros detestam.

Ah, mais interessante que esses circuitos loudness que havia antigamente é o que a Devialet anda a fazer, em que a curva de resposta é função do volume. E viva o DSP cheers
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 09:48

"o que uns adoram outros detestam" é audio, mas não é alta fidelidade:

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t8142-autopsia-da-alta-fidelidade


A resposta deve ser o mais flat possível (±3dB em câmara anecóica em toda a gama, menos entre o médio-alto e agudos) mas no ponto de escuta e de acordo com os estudos de organismo reputados como o BBC Research Department e a Bruel & Kjaer deve ter uma ligeira inclinação descendente do grave para o agudo.
A BBC determinou ainda que uma ligeira atenuação (2dB) na gama da presença 2-4kHz produz uma sensação subjectiva de recuo da imagem que é benéfica na escuta de música orquestral.

Três bons exemplos:


PSB Imagine T2 (free-field frequency response 20Hz - 20kHz measured @ 2m, plotted @ 1m)


Harbeth Monitor 30 (free-field frequency response 20Hz - 20kHz measured @ 2m, plotted @ 1m)


Revel Ultima Salon2 (free-field frequency response 20Hz - 20kHz measured @ 2m, plotted @ 1m)

fonte: http://www.soundstagenetwork.com/index.php?option=com_content&view=article&id=16

Claro que nem só da resposta de frequências vive o som de umas colunas mas é esta que dita o equilíbrio tonal (ou o balanço das cores), a sua característica mais marcante.


Quanto à reposta variável da Devialet, penso que é uma boa ideia especialmente para aqueles que não escutam sempre com o mesmo nível de pressão sonora; p.ex. depois do jantar a volume elevado e depois das 11PM a níveis mais civilizados.
Não deixa de ser um LOUDNESS, mas mais refinado.

R


Última edição por ricardo onga-ku em Seg Fev 01 2016, 09:56, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3314
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 52
Localização : França

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 09:52

ricardo onga-ku escreveu:
Um artigo interessante (já antigo) sobre as deficiências das "mini-monitoras":

Who stole the bass? by Anthony H. Cordesman !...

Bom, là vou ter que arregaçar as mangas de novo e distribuir umas quantas lambadas sobre este velho, repetitivo, chato e quase estupido tema !!!...

lol! ... mas simplesmente a metade!!!

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 09:57

Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns. Razz

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
mannitheear
Membro AAP
avatar

Mensagens : 808
Data de inscrição : 01/08/2013

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 11:25

ricardo onga-ku escreveu:
Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns.  Razz

R

Opinions like this prevented me to try Mini Monitors for a (too) long time.

I never head any audible distortions from my Tablette 8, even at quite high volume levels. But what we really want is not a perception of loud music but rather feel the energy. And energy is not simply volume but coherence and clarity.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pierre
Membro AAP
avatar

Mensagens : 1489
Data de inscrição : 24/11/2010
Idade : 48
Localização : Elvas

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 12:18

ricardo onga-ku escreveu:
Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns.  Razz

R

Claro. Por isso é que se inventou o pedal de distorção da guitarra eléctrica!
lol!
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 13:58

Agora fiquei confuso. É flat ou não? É que ±3dB ainda é qualquer coisa. E esses -2dB nos 2-4kHz já vão contra a ideia de fidelidade do sinal...

Ficaria feliz com isto?

Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 14:46

tfonseca escreveu:
Agora fiquei confuso. É flat ou não? É que ±3dB ainda é qualquer coisa. E esses -2dB nos 2-4kHz já vão contra a ideia de fidelidade do sinal...

A coluna é o equipamento que mais distorce o sinal, daí que uma variação limitada a 4dB ou mesmo 6dB em toda a gama seja considerado uma margem indicativa de um nível de desempenho suficientemente elevado.

tfonseca escreveu:
Ficaria feliz com isto?


Recentemente tive cá umas 802 S3 Matrix e achei-as um verdadeiro terror...
E as audições que efectuei em xôs de modelos mais modernos não me deixarem com muito melhor impressão.

Na minha opinião as colunas que têm as altas frequências mais elevadas do que a gama média e baixa podem ser boas para comparar equipamentos (ou as misturas em estúdio) mas são inadequadas para reproduzir música, especialmente se tivermos em conta que muitas gravações já sofrem de um desequilíbrio tonal que exagera os agudos.
Além disso a existência de um pico de mais de 2-3dB na gama onde o ouvido é mais sensível (ver curvas Fletcher-Munson) é muito desagradável (tom de 4kHz).
Defendo ainda que os altifalantes com cones rígidos só podem ser usados se a frequência de passa-baixo estiver suficientemente longe da frequência de ressonância/break-up e o filtro de corte tiver uma pendente muito íngreme.



Quando se analisam as medições de resposta de frequências da Stereophile convém ter em atenção duas coisas:

Em primeiro lugar a medição não é efectuada em câmara anecóica; o altifalante que produz os graves é medido com o microfone praticamente encostado para evitar os efeitos produzidos pela sala e o resultado da "soma complexa" é artefacto com a forma de um pico de aproximadamente 6dB por volta dos 70Hz.

BnW 802D

A medição das minhas PSB também apresenta esse pico (mas é ligeiramente mais plana em toda a gama de frequências):

PSB Imagine T2

Se repararem a legenda da medição das 802 diz o seguinte:
B&W 802D, anechoic response on tweeter axis at 50", averaged across 30° horizontal window and corrected for microphone response, with the complex sum of the nearfield midrange, woofer, and port responses, taking into account acoustic phase and distance from the nominal farfield point, plotted below 300Hz.

Esse efeito é descrito pelo JA neste video: https://youtu.be/j77VKw9Kx6U?t=17m30s


Além disso não se trata de uma medição ao eixo mas a média um conjunto de medições com o microfone posicionado acima e ao lado do eixo numa grelha deste tipo:

"my published responses are the average of seven measured responses, taken at 5 degree intervals across a 30 degrees horizontal window on the reference axis" - John Atkinson

Segundo a legenda:

B&W 802D, anechoic response on tweeter axis at 50", averaged across 30° horizontal window and corrected for microphone response, with the complex sum of the nearfield midrange, woofer, and port responses, taking into account acoustic phase and distance from the nominal farfield point, plotted below 300Hz.


Para a resposta de frequências ao eixo eu prefiro guiar-me pelo gráfico da waterfall que para as BeW 802D é o seguinte:

B&W 802D
cumulative spectral-decay plot at 50" (0.15ms risetime)

fronte: http://www.stereophile.com/content/bw-802d-loudspeaker-measurements#lS0k2c8r6bP93shY.99



Daí que eu prefira as medições da Soundstage que são efectuadas por engenheiros credibilizados no National Research Council do Canadá:

http://www.soundstagenetwork.com/measurements/test_loudspeakers.htm

R


Última edição por ricardo onga-ku em Seg Fev 01 2016, 15:58, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 14:59

mannitheear escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:
Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns.  Razz

R

Opinions like this prevented me to try Mini Monitors for a (too) long time.

I never head any audible distortions from my Tablette 8, even at quite high volume levels. But what we really want is not a perception of loud music but rather feel the energy. And energy is not simply volume but coherence and clarity.

This could be because the Tablette 8 doesn't produce much bass and has limited low frequency extension.
The BnW CM1s produce a lot of distortion as can be seen in the measurement I posted earlier.
It might even happen that you enjoy the distortion it produces, who knows...

And as Cordesman wrote:

"These speakers do not produce a better midrange at the expense of bass — they simply produce more midrange energy relative to the bass.
(...)
If a small speaker with a restricted bass range or low-frequency dynamics has flat upper octaves, it will never sound musically natural.
No live performance ever has such a balance in timbre; the imaging will be artificially exaggerated, and the soundstage will tend to be too wide and diffuse.
There will be too much transient detail because the upper octaves will not be masked or balanced by adequate lower-midrange and upper-bass information."


These could be nice "effects" but they're "effects" nonetheless, distortions and limitations.


I've had "mini-monitors" in the past from Wharfedale and Kef, and over the years I've listened to them quite a few times at shows (ProAcs, Sonus Fabers, BnWs, Morels, Monitor Audios, etc.)...nowadays I just skips those rooms.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 17:16

ricardo onga-ku escreveu:

Recentemente tive cá umas 802 S3 Matrix e achei-as um verdadeiro terror...

O que estava a montante?
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 18:04

tfonseca escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:

Recentemente tive cá umas 802 S3 Matrix e achei-as um verdadeiro terror...

O que estava a montante?

transporte: Macbook Pro c/ BitPerfect ou HQPlayer -> USB -> DAC: TEAC UD-H01 -> amplificador: RMD Audio Design

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3314
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 52
Localização : França

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 18:13

ricardo onga-ku escreveu:
Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns.  Razz    ...

Hà pessoas que vivem muito bem (como tu certamente...), com colunas que possuem velocidades muito superiores nos agudos que nos graves, com respostas impulsionais de fase (reais e em carga complexa) anémicas e anorexicas, com palcos superiores à realidade e distorções de espaço permanentes... e que afinal gostam disso, e acham mesmo alta-fidelidade!!!...

Queres falar de deficiências do audio comigo e medir colunas?... tà bom, sou bom cliente para isso pois troquei sem esforço nem pena todas as (grandes (tamanho)) colunas da minha vida por pequenas (tamanho de novo)... mas devo escutar verdadeiramente muito mal. A realidade é que hoje, não hà uma unica pessoa à minha volta que tenha grandes colunas (todas as tecnologias confundidas). Mas, o teu gajo tém razão... pois no audio como digo sempre todos téem razão e estão errados ao mesmo tempo !... e enquanto esta situação vai durar, escuto musica melhor do que tu, e isto porque perco dum lado e ganho dos outros!!!... e com mini-colunas meu amigo !!!

E a alta-fidelidade é como o vinho, pois a composição do vinho não te dà o gosto... é necessario provà-lo !!!

cheers

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 18:47

TD124 escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:
Não há volta a dar: certas limitações, deficiências, distorções e afins são agradáveis...para alguns.  Razz    ...

Hà pessoas que vivem muito bem (como tu certamente...), com colunas que possuem velocidades muito superiores nos agudos que nos graves, com respostas impulsionais de fase (reais e em carga complexa) anémicas e anorexicas, com palcos superiores à realidade e distorções de espaço permanentes... e que afinal gostam disso, e acham mesmo alta-fidelidade!!!...

Queres falar de deficiências do audio comigo e medir colunas?... tà bom, sou bom cliente para isso pois troquei sem esforço nem pena todas as (grandes (tamanho)) colunas da minha vida por pequenas (tamanho de novo)... mas devo escutar verdadeiramente muito mal. A realidade é que hoje, não hà uma unica pessoa à minha volta que tenha grandes colunas (todas as tecnologias confundidas). Mas, o teu gajo tém razão... pois no audio como digo sempre todos téem razão e estão errados ao mesmo tempo !... e enquanto esta situação vai durar, escuto musica melhor do que tu, e isto porque perco dum lado e ganho dos outros!!!... e com mini-colunas meu amigo !!!

E a alta-fidelidade é como o vinho, pois a composição do vinho não te dà o gosto... é necessario provà-lo !!!

cheers

Não percebo porque é que escutas música melhor do que eu porque se eu perco de um lado também ganho dos outros.
Mas tens razão: em audio tudo é simplesmente uma questão de gosto.
Ainda mais nas colunas onde cada opção implica aceitar um dado conjunto de compromissos...

A meu ver, ou seja para mim e para o género de música que escuto, as limitações inerentes à topologia mini-monitora (gama de frequências mutilada nas baixas frequências e constrangimentos dinâmicos) são demasiado restritivas.
Se outros vivem bem com elas ainda bem para eles mas isso não muda o seu potencial de desempenho.

R



P.S.: se quiseres ler o artigo que deu origem ao tópico verás que o Martin Colloms, abertamente apaixonado e acérrimo defensor das LS3/5a, procura rebater (a meu ver sem grande sucesso) a questão da falta de graves (mas abstêm-se no que se refere à compressão dinâmica).
Voltar ao Topo Ir em baixo
tfonseca
Membro AAP
avatar

Mensagens : 816
Data de inscrição : 18/04/2012

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 19:03

ricardo onga-ku escreveu:
tfonseca escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:

Recentemente tive cá umas 802 S3 Matrix e achei-as um verdadeiro terror...

O que estava a montante?

transporte: Macbook Pro c/ BitPerfect ou HQPlayer -> USB -> DAC: TEAC UD-H01 -> amplificador: RMD Audio Design

R

Não conheço o RMD, mas as 802 são conhecidas por serem bastante difíceis de alimentar. Mais do que as 802N/D. Mas pode ser uma questão só de gosto...
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 20:25

Não é só de gosto...fiquei a sangrar dos ouvidos por mais de uma vez.
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4811
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   Seg Fev 01 2016, 23:23

RMD Audio Design:

https://www.facebook.com/RMD-Audio-Design-292565744265752

Se não estou em erro o Ricardo vai estar presente na próxima feira do AAP.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Who Stole The Bass?...ou porque as mini-monitoras não "funcionam"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Tascam Bass Trainer ou Korg Pandora, quem ja usou ou recomenda?
» Mini-Review Oschar Schmidt by Washburn OB45 (VIDEO)
» Trastes do Squier Jazz Bass Classic Vibe
» FENDER JAZZ BASS MIM (Problemas no Braço)
» Jazz Bass 1961

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Colunas, Altifalantes e Crossovers-
Ir para: