Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalCalendárioPublicaçõesFAQGruposRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

Compartilhe | 
 

 Historias de um País sem memoria

Ir em baixo 
AutorMensagem
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 00:48

Santarém 08/8/2015

Portugal tem uma história musical e sonora vasta e rica mas os registos gravados estão dispersos em arquivos municipais, radiofónicos e em posse de particulares.
Estes arquivos e colecções não são facilmente acessíveis, nem sempre estão convenientemente catalogados e correm riscos vários de degradação, delapidação ou dispersão e desaparecimento.
As gravações que mais riscos correm de se perderem, se não estiverem já perdidas, serão as mais antigas, pré-rádio e televisão, ou seja os cilindros de Thomas Edison de cujo catálogo constam 144 gravações portuguesas, segundo consta num estudo de José Ramos Tinhorão, e antigos discos de shellac a 78rpm.
Estranha-se o facto de Portugal não ter uma Instituição de referência, à semelhança da Torre do Tombo, dedicada à salvaguarda da sua memória colectiva sonora .
Estranha-se igualmente que o País não esteja representado na IberMemoria (Plataforma Iberoamericana para a preservação do património sonoro e audiovisual) ou na IASA (International Association of Sound and Audiovisual Archives).
Torna-se por isso urgente a criação de um arquivo de âmbito Nacional de referência, que promova a confluência dos registos dispersos para um local seguro, onde se proceda à preservação e catalogação dos arquivos físicos e convertê-los em digital ( Metadata), por forma a torná-lo acessível a académicos, particulares e investigadores.
A Fonoteca Nacional Portuguesa seria o equipamento privilegiado para guardar os sons e os documentos sonoros que retratam a nossa sociedade.

Continuarei este tópico com artigos interessantes ao tema em questão.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 00:49

Bruce Bastin, o paciente inglês
por

J. P. O. 05 agosto 2005

Bruce Bastin, 67 anos, é um coleccionador puro. Desde a primeira proposta de aquisição do espólio pelo Estado português, elaborada em 2001 por José Moças, a história fez-se de avanços e recúos, correspondência sem resposta e muita indefinição das entidades portuguesas. Mas Bastin manteve firme a intenção de vender a Portugal, mesmo tendo o interesse de compradores americanos. Porque o lugar do fado, diria, é em casa.
O inglês pediu 1,1 milhões de euros para se desfazer do espólio, preço "muito abaixo do real valor de mercado", assegura Rui Vieira Nery - "algumas destas peças leiloadas no eBay podem valer quase isso". Mas isso foi quando o acervo se fazia de cinco mil registos. Desde então Bastin continuou a somar peças e reuniu três mil registos ao espólio, a maioria achados por José Moças no Brasil. E no entanto, o preço mantém-se, num gesto que todos os actores ouvidos pelo DN - sem excepção - têm por admirável.
O inglês tinha fixado 31 de Julho como data limite para fechar o negócio, porque era é dia de encerramento do ano fiscal em Inglaterra e Bastin quer vender a sua empresa - a editora Interstate Music -, na qual inscreveu o património das suas colecções - no plural, porque a de fado é apenas uma e nem de perto a maior. Nas suas mãos, Bastin tinha, entre outras, a maior colecção de blues/ragtime do mundo, prontamente adquirida por entidades norte-americanas assim que se soube da sua disponibilidade. "Felizmente", nota José Alberto Sardinha, "não estamos perante alguém que precisa de dinheiro. Apenas um homem com quase setenta anos que decidiu retirar-se."

http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=618488

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 00:56

CINCO MIL DISCOS
Colecção de música portuguesa adquirida a Bruce Bastin já está em Portugal
LUSA 16/01/2008 - 19:10

Entre as raridades encontram-se registadas as vozes de Júlia Florista e Júlia Mendes NUNO FERREIRA SANTOS

Os cinco mil discos de música portuguesa, maioritariamente de fado, da colecção do britânico Bruce Bastin já se encontram em Portugal. Até ao final do mês devem dar entrada no Museu do Fado, disse fonte ligada ao processo.

"A viagem correu bem, apesar da tempestade que apanhámos, mas chegou tudo em boas condições, são e salvo", disse o produtor discográfico José Moças que acompanhou o transporte do espólio de camião desde domingo à noite, de Bexhill-on-Sea (Inglaterra) até Portugal.

No total, o espólio pesa cerca de uma tonelada, devendo ser posteriormente transportado de Torres Vedras, onde se encontra, para o Museu do Fado em Lisboa, onde será conferido por uma comissão de peritos, como estabelece o protocolo de compra assinado entre o Ministério da Cultura, a EGEAC (Empresa municipal de Gestão e Animação Cultural de Lisboa) e o coleccionador.

A comissão é constituída pela directora do Museu da Música, Maria Helena Trindade, e pelo catedrático da Universidade Nova de Lisboa (UNL) António Tilly dos Santos em representação do Ministério da Cultura, os musicólogos Salwa Castel-Branco e Pedro Félix em representação da EGEAC, e José Moças em representação do coleccionador.

A compra do espólio foi assegurada pelo ministério e pela EGEAC com 400 mil euros cada, e o restante garantido por um mecenas que pretende manter o anonimato.

Dos resultados da avaliação depende o cumprimento do protocolo de compra assinado em Dezembro passado no Palácio Foz. "Caso a avaliação não corresponda ao esperado, o Estado poderá denunciar o protocolo", disse fonte ligada ao processo.

O musicólogo José Moças, que desde a primeira hora tem estado ligado a este processo através do coleccionador inglês, disse que os membros da comissão avaliadora "se irão surpreender com o que vão encontrar".

O segundo lote de três mil discos, proveniente do Brasil - onde foram encontrados por Moças e adquiridos por Bastin - deverá chegar em Junho, disse José Alberto Sardinha, o advogado português do coleccionador.

Segundo José Alberto Sardinha, "tal como o transporte destes primeiros cinco mil, também o dos restantes três mil discos será às custas de Bruce Bastin".

O espólio foi adquirido por 1,1 milhões de euros que serão pagos de forma faseada até 2009.

Entre as "raridades" encontram-se registadas em 78 rotações as vozes das lendárias Júlia Florista e Júlia Mendes, das mais insignes da tradição fadista, para além de Alfredo Marceneiro, Maria Alice, Maria Silva ou Maria do Carmo Torres.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 01:01

Doação do Espólio de discos de 78 rpm de José Moças à Universidade de Aveiro


No dia 17 de dezembro, na cerimónia de comemoração do 39º aniversário da UA, foi assinado o protocolo com o editor e colecionador José Moças para o tratamento, classificação e digitalização de um espólio de cerca de 6.000 discos de música portuguesa em 78 rpm (música tradicional, música para teatro, música erudita, etc.) editados entre 1900 e 1950 (incluindo quatro discos que foram gravados no Porto, em 1900, no âmbito da primeira viagem dos emissários de Emile Berliner para promover o gramofone na Europa).
Doação do Espólio de discos de 78 rpm de José Moças à Universidade de Aveiro
Espólio

No dia 17 de dezembro, na cerimónia de comemoração do 39º aniversário da UA, foi assinado o protocolo com o editor e colecionador José Moças para o tratamento, classificação e digitalização de um espólio de cerca de 6.000 discos de música portuguesa em 78 rpm (música tradicional, música para teatro, música erudita, etc.) editados entre 1900 e 1950 (incluindo quatro discos que foram gravados no Porto, em 1900, no âmbito da primeira viagem dos emissários de Emile Berliner para promover o gramofone na Europa).

A escolha da UA resulta, no discurso de José Moças, de três razões: “A primeira resulta de uma amizade enorme com a Dr.ª Susana Sardo, com a sua omnipresente disponibilidade e a sua extraordinária capacidade e inteligência. A segunda razão é a própria Universidade de Aveiro, onde encontro a garantia e compromisso de tornar útil o meu espólio, colocando-o ao serviço do conhecimento, da cultura e da juventude do meu país, produzindo investigação e teses de mestrado ou doutoramento. O meu país precisa de conhecer os protagonistas, autores, compositores e intérpretes de uma época essencial da nossa história da música. A terceira pela forma entusiasta com que fui recebido pelo Emérito Reitor desta Universidade, quando tomei a decisão da doação.”

Não menos importante foi a sua convicção de que “…em conjunto podermos produzir uma memorável série de livros e discos…” e a promessa de novas doações, nomeadamente um fundo discográfico ligado a Amália Rodrigues porque “Esta é a minha herança ou presente, neste caso à Universidade de Aveiro e ao meu país.”
Para a concretização deste projeto a UA contou ainda com a participação da Fundação Calouste Gulbenkian que financiou o equipamento necessário para o tratamento destas unidades e o curso de formação de três técnicos dos SBIDM.
O tratamento técnico deste fundo iniciar-se-á em 2013 e ficará a cargo dos SBIDM. Haverá, no entanto, uma colaboração estreita com o DECA, nomeadamente no uso do estúdio dos compositores para a passagem dos discos a formato digital.
Espera-se que, no futuro, a importância deste fundo suscite a particular atenção dos investigadores e alunos do DECA e do Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança da UA, embora também se pretenda que investigadores e alunos externos possam desenvolver projetos de investigação.
Esta doação foi já noticiada no Jornal @ua_online, na Linhas: Revista da Universidade de Aveiro (Nº 18) e no Diário as Beiras.

Excerto retirado da SBIDM - Universidade de Aveiro - Folha Interna nº 39 de Nov-Dez 2012

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 09:19

20-09-2006

Ministra da Cultura anuncia Arquivo Sonoro Nacional

A ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, anunciou na terça-feira a criação do Arquivo Sonoro Nacional, que passará a funcionar como depósito legal dos fonogramas, de acordo com a lei em vigor desde em 1982.
O anúncio foi feito durante a assinatura do protocolo entre a Câmara Municipal de Lisboa e o Ministério da Cultura para a aquisição do espólio fonográfico português em posse do coleccionador britânico Bruce Bastins, no Museu do Fado, em Lisboa.
Isabel Pires de Lima adiantou ter sido já constituída uma comissão encarregue da criação do Arquivo, que passará a funcionar numa estrutura que inclui o Museu da Música.
Esta comissão, presidida por Dulce Helena de Brito, assessora do secretário de Estado da Cultura, é ainda constituída pela musicóloga Salwa Castelo-Branco, o etnomusicólogo António Tilly dos Santos, a directora do Museu da Música, Maria Helena Trindade, um representante do Instituto Português de Museus, João António Herdade, e pelo adjunto da ministra Luis Machado.
Até 30 de Novembro, esta comissão apresentará um relatório sobre a criação de uma estrutura que inclua o Museu da Música e o Arquivo Nacional Sonoro.
A ministra sublinhou a importância do espólio discográfico do coleccionador inglês, qualificando-o como «uma fonte única» para a história da música e da cultura em Portugal na primeira metade do século XX, e também para a apresentação da candidatura do fado a património da humanidade, em 2007.
Diário Digital / Lusa

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mister W
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4330
Data de inscrição : 07/03/2012
Idade : 50
Localização : Margem Sul... Margem Norte...

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 12:42


Obrigado Milton! 2cclzes

Bela transcrição cronológica de um tema que já não me surpreende, mas continua a deixar-me triste...

Infelizmente (ou nem tanto), as iniciativas de relevo nesta àrea ficam normalmente a cargo dos privados. De louvar os papeis de José Moças, da UA e de Bruce Bastin que parece preocupar-se mais com o "nosso" espólio do que o próprio estado Português.
Voltar ao Topo Ir em baixo
António José da Silva
Membro AAP
avatar

Mensagens : 64600
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 51
Localização : Quinta do Anjo

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 13:24

Mister W escreveu:

.... e de Bruce Bastin que parece preocupar-se mais com o "nosso" espólio do que o próprio estado Português.



O que torna o assunto ainda mais triste.

_________________
Digital Audio - Like Reassembling A Cow From Mince  


If what I'm hearing is colouration, then bring on the whole rainbow...


The essential thing is not knowledge, but character.
Joseph Le Conte
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 14:33

O Bruce Bastin é (segundo creio) um "garimpeiro" dos sons e já conseguiu fazer outras coleções do genero para vender a outros Países...
O problema da coleção Bastin é que o fiel depositario não faz nada com aquilo a não ser fecha-la a 7 chaves ...
Já a coleção do Moças está a ser bem preservada e transcrita (e editada pela Tradisom) para memória futura.

Não sei se levaram avante a ideia de depositar a coleção no Museu da Musica.
Na minha modesta opinião esse acervo devia ser preservado na Torre do Tombo ou numa instituição ligada à mesma.

Consta no site do Museu da Musica isto :



Fonogramas

O acervo fonográfico é constituído por cerca de nove mil peças, entre as quais, discos antigos de 78 e 80 rotações, outros mais recentes de 33 e 45, discos de metal, rolos de pianola, rolos de cera, bobinas electro-magnéticas, cassetes de áudio e CDs, correspondendo a centenas de registos que, nalguns casos, podem fornecer valiosas informações históricas sobre as práticas de afinação, andamento e execução da época em que foram gravados.

Das diversas composições registadas em cerca de 400 rolos de pianola - na sua maioria conservando a interpretação própria dos autores - são de assinalar a "Ballada", composta e executada por José Viana da Mota (uma das duas únicas gravações existentes com interpretações do grande pianista); a "Goyesca" n.º 3, de Enrique Granados, tocada pelo compositor e os "Prelúdios" n.º 4 a 9 interpretados pelo seu autor, Ferruccio Busoni.

Entre os discos de 78 rpm podem encontrar-se interpretações de cantores célebres como Tomás Alcaide, Francesco Tamagno, Luísa Tetrazzini, Adelina Patti, Enrico Caruso, Conchita Supervia ou Feodor Chaliapine; de grandes orquestras sinfónicas sob a regência de maestros como Bruno Walter, Fürtwängler, Stokowsky e Toscanini e de outros conjuntos de câmara. Encontram-se ainda, nesse formato, diversas gravações com Jacques Thibaud, Alfred Cortot, Pablo Casals, e concertistas como Guilhermina Suggia, entre outros.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
anibalpmm
Membro AAP
avatar

Mensagens : 7948
Data de inscrição : 05/03/2012
Idade : 51
Localização : Quinta do Anjo

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 15:42

Ei acervo do famoso Giacometti por onde andará?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 18:11

anibalpmm escreveu:
Ei acervo do famoso Giacometti por onde andará?

Está na terra do carrrapau... Laughing

http://www.mun-setubal.pt/pt/pagina/michel-giacometti-1929-1990/127

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 18:18

E já que se falou no homem, aqui está um trabalho acerca da obra de Giacometti :

http://www.gaitadefoles.net/imprensa/giacometti_misterio.htm

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
salsapica
Membro AAP
avatar

Mensagens : 248
Data de inscrição : 28/05/2015
Idade : 44
Localização : Varadero, Cuba e Lisboa

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 20:03

Um belo tópico!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 20:05

Continuando a saga :

Em 2013 e por iniciativa do grupo parlamentar do PCP , a Assembleia da Republica aprova a criação do Arquivo Sonoro Nacional :

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=37731

E em 2014 sai um despacho com a criação de uma(outra depois da de 2006) "equipa" de iluminados para a preparação do Arquivo...

http://www.gmcs.pt/pt/despacho-n-1164-a2014-criacao-de-uma-equipa-de-preparacao-do-arquivo-sonoro-nacional

Vejam só a quantidade de massa cinzenta que este estudo vai envolver :

"Determina-se o seguinte:

1 - A criação de uma equipa de preparação do Arquivo Sonoro Nacional,constituída pelos dirigentes superiores de 1.º grau ou representantes da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, da Biblioteca Nacional de Portugal, da Direção-Geral do Património Cultural, da Direção-Geral das Artes, do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P., da Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, I.P., do OPART, EPE, do TNDMII, EPE, do TNSJ, EPE, e da Rádio Televisão Portuguesa, S.A. "

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 21:45

Aqui estão as gravações historicas que a Tradisom tem feito graças ao espolio do José Moças :

http://www.tradisom.com/catalogo/portuguese-sound-archives-historicos-e-raros

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
salsapica
Membro AAP
avatar

Mensagens : 248
Data de inscrição : 28/05/2015
Idade : 44
Localização : Varadero, Cuba e Lisboa

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Sab Ago 08 2015, 22:05

O José M, é uma pessoa com grandes valores humanos. É duma simplicidade, sinceridade e honestidade que nem imaginam.

Embora não estejamos juntos faz alguns anos conheço-o pessoalmente e posso confirmar os sacrifícios que fez e faz para levar adiante a divulgação e preservação duma herança cultural que está ao abandono e estará vai-se saber até quando. Todo meu respeito, apoio e admiração para com ele. O que tenho sabido é que estão para sair brevemente resultados do trabalho desenvolvido por ele e a Univ de Aveiro que de certeza poderão vir a marcar atitudes futuras por parte de outras entidades estatais, esperemos bem que sim.

Obrigado Milton por divulgar o trabalho da Tradisom que eu também tenho vindo a seguir faz algum tempo! e digo Tradisom porque é o mesmo que dizer José Moças.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Dom Ago 09 2015, 00:03

O que me entristece por um lado, e por outro me dá esperança, é que deveria ser o Estado á muito tempo a tomar em mãos este patrimonio riquissimo , e no entanto vamos vendo brilhantes exemplos de particulares que abnegadamente se substituem ás instituições...

Para preservar os sons temos que reconhecer o seu valor patrimonial como parte da identidade e história de uma sociedade.

Em 27 de Outubro de 1980 a UNESCO reconheceu o valor dos registos sonoros como património histórico, cultural e social dos povos, e recomendou a sua salvaguarda e conservação.

Este País e os representantes do povo (esta é para rir) que são por todos nós régiamente pagos sempre se fizeram de surdos e nunca reconheceram a importancia que um arquivo sonoro pode representar para consolidar e enaltecer a identidade do povo que os elegeu...

Deviam pegar no excelente exemplo do Mexico que tem uma Fonoteca de referencia internacional :



Já para não falar no British Library Sound Archive :


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
salsapica
Membro AAP
avatar

Mensagens : 248
Data de inscrição : 28/05/2015
Idade : 44
Localização : Varadero, Cuba e Lisboa

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Dom Ago 09 2015, 00:34

Milton escreveu:


Este País e os representantes do povo (esta é para rir) que são por todos nós régiamente pagos sempre se fizeram de surdos e nunca reconheceram a importancia que um arquivo sonoro pode representar para consolidar e enaltecer a identidade do povo que os elegeu...


Meu caro vivemos num país Stéreo partidáriamente, mas Mono mentalmente...Mono a tocar em sistema 5.1 ou seja com muito ruído...

Voltar ao Topo Ir em baixo
zaratustra
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4764
Data de inscrição : 09/07/2010
Localização : Frossos, Albergaria-a-Velha

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Dom Ago 09 2015, 01:44

Milton escreveu:
O que me entristece por um lado, e por outro me dá esperança, é que deveria ser o Estado á muito tempo a tomar em mãos este patrimonio riquissimo , e no entanto vamos vendo brilhantes exemplos de particulares que abnegadamente se substituem ás instituições...

Para preservar os sons temos que reconhecer o seu valor patrimonial como parte da identidade e história de uma sociedade.

Em 27 de Outubro de 1980 a UNESCO reconheceu o valor dos registos sonoros como património histórico, cultural e social dos povos, e recomendou a sua salvaguarda e conservação.

Este País e os representantes do povo (esta é para rir) que são por todos nós régiamente pagos sempre se fizeram de surdos e nunca reconheceram a importancia que um arquivo sonoro pode representar para consolidar e enaltecer a identidade do povo que os elegeu...

Deviam pegar no excelente exemplo do Mexico que tem uma Fonoteca de referencia internacional :



Já para não falar no British Library Sound Archive :



Ou um Smithsonian.

Pré-História e História do Smithsonian Folkways Recordings...
http://www.smithsonianmag.com/arts-culture/all-music-is-folk-music-2580774/

Smithsonian Center for Folklife and Cultural Heritage...
http://www.folklife.si.edu/archive

http://www.folkways.si.edu/browse-collection/smithsonian

Exemplo do arquivo de música folk portuguesa para venda...
http://www.folkways.si.edu/search?query=Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://zaratustrices.blogspot.com/
Alexandre Vieira
Membro AAP
avatar

Mensagens : 2739
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 48
Localização : Outra Banda

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Dom Ago 09 2015, 14:55

Excelente tópico!!! Cinco estrelas!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Dom Ago 09 2015, 17:22

zaratustra escreveu:
[


Ou um Smithsonian.

Exemplo do arquivo de música folk portuguesa para venda...
http://www.folkways.si.edu/search?query=Portugal


E aí está um exemplo de bradar aos céus....os gringos a fazer negocio com a cultura portuguesa!


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milton
Membro AAP
avatar

Mensagens : 15265
Data de inscrição : 02/07/2010
Idade : 56
Localização : Scalabicastro, naquele Jardim á beira, mal plantado

MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   Ter Ago 25 2015, 23:20

Por falar no Smithsonians, vejam só a tecnica que usam de scaning 3D para digitalizar gravaçoes que seriam impossiveis de ouvir com o metodo fisico de atrito da agulha...


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Historias de um País sem memoria   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Historias de um País sem memoria
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Kú de Judas
» O que todos devem saber antes de abrir a boca para falar mal de Michael Jackson!!!
» Refrescar a memória...
» Histórias de embalar
» Nem a morte nos separa!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Música Geral-
Ir para: