Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalCalendárioPublicaçõesFAQGruposRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

Compartilhe | 
 

 Without listening to sound you will listen to music

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Without listening to sound you will listen to music   Qua Nov 21 2012, 23:00

Without listening to sound you will listen to music

Audio-tekne's
"Tone Quality Improvement technique"


1.Method that judges the sound of a stereo system.

The products of our company are introduced to Italy by greatest evaluation of the audio magazine " Fedelta del suono".
Audio Tekne incorporated
Representative Kiyoaki Imai(imai@audiotekne.com)

Are not there misunderstanding or mistake in the method you judged the sound? Let's try to review it again.



The stereo system is a tool for listening to music. Therefore, the foundation which judges sound are returning to the musical starting point first. Please remember the music note written to 5 lines on the score.
Since the sound of La of C major is the frequency of 440Hz, the sound on the two octaves up is not a very high sound, and it is 1760Hz in frequency.
It cannot sing to us as a very high frequency sound. There are not much the sound that we consider high and low frequency sound.
The result as, there is a speaker system with the tweeter's crossover at 5KHz. Please think about the sound in question, if the sound of the tweeter is heard. However, as for the tweeter, please understand that it is necessary to reproduce the atmosphere, tone by a harmonic component.



"The right sound that has a right scale and the tone of a musical instrument (voice), is audibly correct."



An easy method to judge the right sound is enlarging. And the sound is the sound which is not noisy and is not fatiguing. When the sound of two stereo systems is auditioned, the first is noisy and fatiguing which get us get tired, -the system is bad. The reason is high distortion with many odd harmonics and strong stimulation. A good sound is a natural sound in which the transients of the sound and the balance of reverberation are ready. The depth and S/N ratio are good, the sound is of a great delicacy, and at last the music is able to listen to



" Let's listen to music, without hearing sound. "
A musical sound heard in a concert hall is not powerful as we are creating it.



The market of the stereo became big with the advance of a sharp transistor amplifier around 1972. Development of the stereo market was built with blinded by love of gain and the act which precede trade. Consequently, people forgot to listen to original (live) music and then became so that many people have enjoyed sound (effect sound). Furthermore in the street, people without knowing anything about the real sound became in the situation of doing the evaluation of sound.



"Let's listen to music and again, it turns to a starting point. '



When many people listen the sound that has a peak in the treble caused by distortion, they will misunderstand it as good treble sound. The sound of cymbal and a violin can be heard altered. It may be the sound that has a peak. A natural sound approaching a real sound is not unexpected conscious to us, and we are made to feel it nonchalant. Moreover, many people believe that good sound is the one that jumps out from the rear. Therefore, even if the sound of an accompaniment musical instrument orientates many people away from a singer's voice, they do not doubt. Isn't the heard sound of leveled up tweeter? Because, there is no such high frequency sound on a score that it considers. Therefore, if you are listening to the sound of a tweeter, please suspect that level of the tweeter is too high. It is the beginning of an unnatural sound. Such a case is applicable also to the region of bass sound. When people listen to bass sound region that have a peak, many of them misunderstand it as force in the sound of bass drum and furthermore, the bass sound is thought rich along the region of bass sound? And don't many people misunderstand the region of mid sound that is thick and a swelling, as rich music nature? Don't many people regard the sound as a good sound without noticing such an unexpected phenomenon?



" The real abundant sound of music nature, which is not altered freely, and is not peculiar sound, is a natural sound with little distortion." Please choose good software (the live recording of the aria, vocal music and opera is safe) to make an audition.



If the sound is made tonally different by each the audio equipment, sound does not grow into a natural sound with the equipment with which musicality was balanced by force.



Please find the right balance of sound once again by listen to music.



Expression which judges tone quality is, improve from in volume to quality, and it is a method of better. A tone quality expression is not an abstract expression if said that the region of bass and treble sound in a loud sound.




"It is expression which clarifies the scale of the note on a score and the tone of a musical instrument which takes charge of the part sounds correctly."

" First of all, let's return on how to listen to our own sound and the method of judgment for start "





The sound is good only by hearing it, not from talk only or by looking at the audio equipment-- please do not judge it as bad. After actually hearing the sound, it is important to carry out the right judgment.


Without listening to sound you will listen to music

Audio-tekne's
"Tone Quality Improvement technique"


2.Please do not express judgment of tone quality as a good or bad sound. And please ask for the right sound!

The products of our company are introduced to Italy by greatest evaluation of the audio magazine " Fedelta del suono".
Audio Tekne incorporated
Representative Kiyoaki Imai(imai@audiotekne.com)

We think that the audiophiles are endeavoring after a tone quality improvement every day. Many people think that exchanging a part of audio equipment, etc.
And sound's changing and having changed, they have obtained satisfaction by changing the sound by these. However, many people cannot judge with confidence for whether it changed to a good sound. And after wavering judgment, isn't a part of the equipment exchanged again in many cases?
Moreover, when audio equipment and accessories are exchanged and you judge that the sound of audio system became bad, be careful.
Mentally, the exchanged audio equipment is an aggressor and many people are convinced it is bad because of this.
However, if there is no vice (a vice is distortion.) in the exchanged equipment, the vice of other equipment and other accessories is conspicuous, and so many people misunderstand that they have exchanged for a bad equipment.
In order to prevent this failure, a tone quality improvement must be done from the source of the sound.
If a tone quality improvement is done at exit, the vice of the equipments that is used on front will be conspicuous and the sound will be judged as became bad.

If I say by extreme expression. I have to say that bad software does not sound as a good sound.



When you judge it as a good sound or a bad sound, you need the object to compare. It is very Important what is the comparative object. Many people judge tone quality on the basis of the information read in the audio magazine or heard from the public talk. This method is not good. Because, the comparative object are abstract and unstable. And a gap arises between the person who heard the expression and the person who evaluated. Please put the original sound (the concert) into the standard for comparison. If you do so, the gap will decrease. Please stop expression called favorite sound of a stereo equipment. A favorite sound is in a composer, player, conductor, orchestra, a musical instrument, etc. To say that the tone quality of audio equipment has the same tendency is idealistic. To say that, the problem is that a record or CD software becomes off a different tone quality by each audio equipment. In short, different tone quality is based on the sound of the player and musical instrument that were a record. Individuality must not be in the sound of audio equipment. A conclusion should express it as the right sound approaching the original sound (concert) without expressing it as a good sound or a bad sound



Then, when an original sound is expressed by language of the person with few chances to go to a concert as reference, it is:




The original sound is not powerful as we thought of.
Even if volume becomes high, other noises can be heard well -noisily.
Sound does not jump out in front. It spreads in right-and-left back, and reverberation is beautiful.
The separation of the musical in the orchestra cannot be heard in the way we thought of.
The difference in sound between a front seat and back seat is seldom felt. Moreover, you do not get fatigued even if you are listening to it for a prolonged period.
We are able to hear even the soft sound well.


--------- An original sound is felt above.




The sound of the stereo equipment in which there is the right sound, expressed with language, it is.

It is not noisy even if it enlarges volume. And conversation is easy.
Sound does not come out in front, but spreads in right-and-left back, and its reverberation is beautiful. And the normal position is not flat and it is orientated to right-and-left back.
There is no existence of a speaker system. And even if we listen near the speaker system and we move away and hear it again, change of tone quality and volume is not impressive. And the sound can be heard as a good sound.


------- A faithful reproduction of the original sound is felt above.



The difference between the sound of opera and a musical is the same as the difference of an original sound and reproduction sound. Although opera sound feels small, words can be hear well.

A musical is a loud sound that used the microphone. However, it is hard to hear words, and tiredness is felt when you come out of the hall. This is an oval loud sound for which the musical used amplification, and because of this the nerves gets tired. If you have a chance to go to a concert, please go to concert as often as possible. First, many people get the impression of lacking punch and feel the petty the sound. Although it is shameful at now, there was an era when I was feeling like that myself too. I regarded it as the sound with a sound of my own stereo equipment sufficient by the highest autosuggestion. And I am having blamed the original sound without understanding the right sound???? I thought the trap and sadness in the world of a hobby. If the language (the omission of sound, separation, force, etc.) currently used for evaluation of sound in a magazine is visualized and heard when you go to a concert, you will notice that there is no sound expressed in such language, not much. By hearing an original sound (concert), it is recognized as a peculiar oval sound and the sound that is not understood as distortion (portion different from an original sound), and it becomes the shortest path for understanding the right sound.



In order to ask for the right sound, when you buy equipment and accessories, first, you have to have doubts of all, to become calm, and try listening to good software without autosuggestion.



For example

The parts currently used for this equipment are made from some parts sorted out from 100 pieces.
----- Really! your admire becomes uncanny for audio equipment because of it.
However, if it judges on the basis of a quality control, you can also suspect the parts sorted out from poor parts. That is, it is important in what sorting for the purpose of what because of what.


Many people confident about a first-class (famous) maker's apparatus, and using it they think the result is obvious. Then, what conditions are fulfilled? Don't you simply regard the first-class maker article as the good one (tone quality, durability) with it being sensuous? It is important what conditions are fulfilled and you have to have a doubt for whether it is first-class.


Since it is expensive, and high quality articles, because of expensiveness it sound good therefore.
----- we think so, so it is mental. There is equipment that is thought as an expensive high-class by many people. There is a little production, hand-made, with only expensive parts used (the sound is not necessarily good). As a result, there has no added value of the product. For example, although the ornamented makeup cover attached to the magnet portion of a speaker unit, it is well expensive for appearance, but a makeup cover vibrates and it is not good for sound. Moreover, although there is no value if it attaches into a speaker box, a single article goes up goods value and it is useful to sale with it.


Since the vacuum tube of a high reliance has reliability and good performance, it sounds good consequently. However, what is the meaning of a high reliance? It does not necessarily fulfill the conditions used for audio equipment. It may be bad. By what I experienced, the several vacuum tube of Europe that have gold plated pins, are made from quality parts and severe sorting but had large micro phonic, and so I have not used them.


Since the professional equipment is superior to the equipment for public welfare, its sound is good. Then, it is what is concretely excellent.


------The operating conditions of professional equipment are interchangeability and the service nature, and the performance are equalizing, even if it works hard. They are not required for us and sufficient conditions said that sound is good.


Although you think that it is variously still more, it is always having a doubt. Moreover, it is important to hear a man's talk obediently on the other hand and to perform it from reason.



Although believing is important, what has been believed ( does not have a doubts at all) is not good. The equipment is for listening to music and let's do not made forget that it is not the equipment with effect sound that enjoys.



http://www.audiotekne.com/en/policy_index.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qua Nov 21 2012, 23:02

microseiki escreveu:
The market of the stereo became big with the advance of a sharp transistor amplifier around 1972. Development of the stereo market was built with blinded by love of gain and the act which precede trade. Consequently, people forgot to listen to original (live) music and then became so that many people have enjoyed sound (effect sound). Furthermore in the street, people without knowing anything about the real sound became in the situation of doing the evaluation of sound.

Costumo citar muitas vezes este parágrafo.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
Stereo
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3487
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 57
Localização : Lisboa

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 22:07

É certo que nada substitui o som ao vivo. Mas volto a dizer que se continua a comparar o incomparável. Nem o som ao vivo é sempre o ideal, nem o som gravado e muito menos o reproduzido se compara ao que se pode ouvir ao vivo. São coisas completamente distintas e que devem ser igualmente desfrutadas. A única coisa que posso observar nisto é o que dever ser considerado na gravação, pois sem dúvida, cada vez mais o ouvinte que anda nisto de áudio-filia, exige o analógico...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:02



Só agora consegui ler...


...eu ainda não consigo separar os dois, gosto de música boa, que goste/me provoque boas sensações, mas sempre nas melhore condições de gravação e reprodução.

Para mim o querer ouvir uma boa reprodução nas melhores condições é simplesmente para poder usufruir em pleno de uma obra gravada
Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:17

Without listening to sound you will listen to music


parangona publicitária da marca, que ate esta mal traduzida do japonês para o inglês.

"after you stop listening the sound, only them you´ll ear the music"

Assim seria mais correta a tradução.

A 47 Labs publicita "Only simplest can acommodate the most complex"

and so on, and on, and on.............................

Na minha humilde opinião, todos tem razao e nenhum tem razão.
No meio desta mixórdia toda encontra-se a razão.
Mas, embora as leia, tente compreender, assimilar, aquilo que me importa é a minha surdez!!!!

Cheguei a ouvir um sistema completo da Spectral, MIT e Avalon , tudo topo da gama. encontrava-se em demonstração na Excel em Hong Kong.
Fazia tudo correcto! todos os conceitos audiofilos estavam lá e de forma perfeita! isto numa analise/audição critica mas........................

Mas o sistema não permitia deixar-me levar pela musica.
Para o meu cerebro, não era o que eu queria.

Eu queria deixar envolver-me pelas emoçoes da musica, e não pela matematica dos sons.

Se eu tivesse conhecimento para criar aparelhos de reprodução e os comercializasse a minha parangona Publicitaria seria

" simplicity as basic as human emotions"

e isto vale o que vale!

Tal como o Herr Keith da Auditorium 23 afirmou,ao desistir de criar a amplificação que o satisfizesse quando ouviu os Shindo WE 300B. ´Não consigo fazer melhor que isto porque é isto que eu quero.

Musica ao vivo é musica ao vivo. Musica gravada é musica gravada! ponto final
Musica ao vivo é uma experiencia unica no tempo e espaço.
Ate aceito que seja reproduzida quase na integra, mas a experiencia ja nao é a mesma. o tempo passou, o espaço é outro.....

Isto já é cliché e vou deixar de debater este tema.

Mas sempre que encontrar coisa interessantes para ler, vou colocando por estas bandas




Última edição por microseiki em Qui Nov 22 2012, 23:22, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:20

Ulrich escreveu:


Só agora consegui ler...


...eu ainda não consigo separar os dois, gosto de música boa, que goste/me provoque boas sensações, mas sempre nas melhore condições de gravação e reprodução.

Para mim o querer ouvir uma boa reprodução nas melhores condições é simplesmente para poder usufruir em pleno de uma obra gravada

Eu ja deixei de pensar quando oiço musica, se é gravada, se é ao vivo, se é na casa de banho, no urinol.
Tenho uns bootlegs (CD) do Frank Zappa, gravaçoes péssimas mas adoro ouvi-las!!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:24

microseiki escreveu:

Isto já é cliché e vou deixar de debater este tema.

Mas sempre que encontrar coisa interessantes para ler, vou colocando por estas bandas



Eu não acho que devas deixar de trazer estes debates para aqui ...

...eu também gosto de filosofar acerca destas coisas do audio...

...obviamente que estas discussões são melhores fisicamente do que através do computador.

Filosofar é próprio das mentes irrequietas e sedentas de novidade
Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:28

Ulrich escreveu:
microseiki escreveu:

Isto já é cliché e vou deixar de debater este tema.

Mas sempre que encontrar coisa interessantes para ler, vou colocando por estas bandas




...obviamente que estas discussões são melhores fisicamente do que através do computador.



bora lá discutir


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Qui Nov 22 2012, 23:37

microseiki escreveu:
Ulrich escreveu:
microseiki escreveu:

Isto já é cliché e vou deixar de debater este tema.

Mas sempre que encontrar coisa interessantes para ler, vou colocando por estas bandas




...obviamente que estas discussões são melhores fisicamente do que através do computador.



bora lá discutir




Hora e local: AAP PortugÁudio at dawn


lol!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 09:40

Stereo escreveu:
É certo que nada substitui o som ao vivo. Mas volto a dizer que se continua a comparar o incomparável. Nem o som ao vivo é sempre o ideal, nem o som gravado e muito menos o reproduzido se compara ao que se pode ouvir ao vivo. São coisas completamente distintas e que devem ser igualmente desfrutadas. A única coisa que posso observar nisto é o que dever ser considerado na gravação, pois sem dúvida, cada vez mais o ouvinte que anda nisto de áudio-filia, exige o analógico...

Discordo.
O som ao vivo de um instrumento acústico ou de uma orquestra, desde que produzido numa sala adequada, é sempre ideal.

Alta-fidelidade significa sempre a reprodução de musica acústica não amplificada.
Já falei disso aqui:

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t4219-som-ao-vivo-vs-reproduzido#105867

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 10:02

microseiki escreveu:
Without listening to sound you will listen to music


parangona publicitária da marca, que ate esta mal traduzida do japonês para o inglês.

"after you stop listening the sound, only them you´ll ear the music"

Assim seria mais correta a tradução.

A 47 Labs publicita "Only simplest can acommodate the most complex"

and so on, and on, and on.............................

(...)

Tal como o Herr Keith da Auditorium 23 afirmou,ao desistir de criar a amplificação que o satisfizesse quando ouviu os Shindo WE 300B. ´Não consigo fazer melhor que isto porque é isto que eu quero.

E isto não é publicidade... Rolling Eyes (vindo de um representante da Sindo )

microseiki escreveu:
Musica ao vivo é musica ao vivo. Musica gravada é musica gravada! ponto final
Musica ao vivo é uma experiencia unica no tempo e espaço.
Ate aceito que seja reproduzida quase na integra, mas a experiencia ja nao é a mesma. o tempo passou, o espaço é outro.....

Estou plenamente de acordo.
Mas parece-me inegável que a procura pela alta-fidelidade seja válida pelo simples facto de possibilitar a melhor reprodução doméstica possível com a tecnologia do momento.
Agora não podemos esperar fidelidade a um evento musical que não existiu na realidade, resultante da mistura de gravações individuais de vários instrumentos e vozes num espaço sem características acústicas definidas, o estúdio...

microseiki escreveu:
Na minha humilde opinião, todos tem razao e nenhum tem razão.
No meio desta mixórdia toda encontra-se a razão.
Mas, embora as leia, tente compreender, assimilar, aquilo que me importa é a minha surdez!!!!

Cheguei a ouvir um sistema completo da Spectral, MIT e Avalon , tudo topo da gama. encontrava-se em demonstração na Excel em Hong Kong.
Fazia tudo correcto! todos os conceitos audiofilos estavam lá e de forma perfeita! isto numa analise/audição critica mas........................

Mas o sistema não permitia deixar-me levar pela musica.
Para o meu cerebro, não era o que eu queria.

Eu queria deixar envolver-me pelas emoçoes da musica, e não pela matematica dos sons.

Esquece os conceitos audiófilos...não passam de uma obsessão do Zé da Esquina em tornar-se num reviewer que como diz e muito bem o homem da Audio Tekne não passa em muitos casos de um Zé da Esquina sem conhecimentos técnicos ou de som ao vivo não amplificado.
Quais foram as gravações utilizadas na avaliação do sistema em questão?
Não é possível avaliar subjectivamente o "naturalidade" de um sistema se as gravações não forem tecnicamente competentes (nada de close-micing ou multi-micing) e se o conteúdo musical das mesmas não for um evento não amplificado em ambiente de acústica com reverberação natural.

microseiki escreveu:
Se eu tivesse conhecimento para criar aparelhos de reprodução e os comercializasse a minha parangona Publicitaria seria

" simplicity as basic as human emotions"

e isto vale o que vale!

Percebe-se que não tens o conhecimento para criar equipamentos... Razz

Os equipamentos não têm alma, isso é o maior mito audiófilo da história do Audio.

Em primeiro lugar as emoções estão na música e só podem ser reproduzidas se a gravação for efectuada de forma adequada, e aqui levanta-se novamente o problema das gravações em estúdio de música amplificada.
E para reproduzir de forma adequada essas gravações é necessário fidelidade, ou seja, a integridade do sinal na leitura, amplificação e transdução do mesmo...não se trata de matemática dos sons, apenas de fidelidade (podes é não gostar da gravação).

Se procuras um som personalizado o melhor que tens a fazer é passar o sinal por um processador digital onde conseguirás moldar a distorção harmónica e a resposta de frequências ao teu gosto.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 10:31

Encontrei uma velha tentiva de reflexão que escrevi sobre este tema:


O Subjectivismo e os "Efeitos Acessórios" de gratificação instantânea

A um dado momento na história da Audiofilia deu-se uma importante mas de certo modo nefasta viragem nos objectivos tanto de fabricantes como de Audiófilos, e que teve a sua origem no aparecimento da corrente da Avaliação Subjectiva ou Escuta.

Segundo o J.G.Holt (em Stereophile: Sounds Like? An Audio Glossary), esta nova aproximação ao Audio baseou-se na ideia de que os equipamentos e sistemas são produzidos para serem escutados e, como tal, a forma como soam é mais importante do que o seu desempenho técnico (ou a forma como medem).

"Traditional measurements of such things as harmonic distortion,
frequency response, and power output can reveal many things
a product is doing imperfectly, but there have never been
any generally accepted guidelines for equating the measurements
with the way they affect the reproduced sound.
And there was strong evidence that many of the things people
were hearing were not being measured at all."


A Avaliação Subjectiva descarta a questão relativa à forma como as medições se relacionam com aquilo que ouvimos, esforçando-se antes por descrever aquilo escutamos.

"But what should it sound like?", pergunta o autor,
“Como é que deve soar?
A resposta óbvia é que deve soar como ‘a realidade’, mas na verdade
a questão é muito mais complexa.
Se o sistema for preciso ou fiel, irá reproduzir o conteúdo da gravação.
E se a gravação não for uma representação fiel do som original,
um som fiel não soará ‘realista’.
Mas como é que determinamos se uma gravação é ou não fiel?

O problema é que não podemos determinar se uma gravação
soa ou não de forma ‘realista’ sem a reproduzir e não conseguimos
avaliar a fidelidade de um sistema sem escutar como este reproduz...
uma gravação.
Como cada um deles é necessário para avaliar o outro, é difícil
avaliar as qualidades de uma ou do outro, excepto que a combinação
soa ou não de forma (relativamente) ‘realista’.”


Mas o autor acha que isso pode ser feito por um avaliador experiente, treinado para ouvir as diferenças quando estas existem.

”O avaliador experiente não ouve apenas a totalidade do som reproduzido.
Ele ouve ‘dentro’ do som, analisando o desempenho de um equipamento
ou sistema numa série de atributos sónicos que compõem o todo.”


Por forma a tornar possível este método de avaliação o autor e a sua equipa elaboraram um glossário de linguagem subjectiva, permitindo aos reviewers descrever as características dos referidos atributos sónicos de uma forma que pudesse entendida por todos:

Sounds Like? An Audio Glossary


Mas afinal como é que esta mudança na forma de avaliar o desempenho de equipamentos e sistemas veio a afectar negativamente a prática e os objectivos do Audio?

A realidade é que cinco décadas após a “invenção” da avaliação subjectiva como a conhecemos hoje a maioria dos reviewers, muitos fabricantes e uma grande parte dos audiófilos aceitou que já não é necessário ou, para alguns, sequer desejável que um sistema de reprodução doméstica cujo desempenho se aproxime do som ao vivo (ou de uma “representação” ainda que caricatural do som ao vivo).

Ainda Holt (em Where Did We Go Wrong?)

"Falamos com reverência em reproduzir a beleza transcendental
da música, quando na realidade muita da música que existe é áspera,
grosseira e feia (em termos de som).”


Privilegiam-se os 'Efeitos Acessórios' de gratificação instantânea, como o ‘palco audiófilo’ ou o som ‘arejado’, optando consciente ou inconscientemente por equipamentos que pecam por deficiências mais ou menos graves na resposta de frequências, na gama dinâmica e outras colorações.

"E quando escutamos umas colunas ou um leitor de CDs que
apresenta os sinais subversivos de uma sonoridade mais “viva”
ou “realista” do que a média colocamo-los de parte por serem
equipamentos demasiado ‘frontais’ ou ‘agressivos’, como se
muita da música não fosse ‘frontal’ e ‘agressiva’!”


O ‘realismo’ foi abandonado pela tão mencionada ‘musicalidade’.


Responsabilidades?

Na minha opinião esta tendência suicida deve-se em parte à influência das revistas da especialidade.
Conforme afirma Kiyoaki Imai no seu site (Audio Tekne - Tone Quality Improvement technique),

"Com o desenvolvimento da esterofonia as pessoas deixaram
de escutar música ao vivo (real) e hoje em dia preferem ouvir
som reproduzido (artificial), e foram essas mesmas pessoas
(sem conhecimento do som ao vivo) que se tornaram nos críticos
da qualidade de reprodução dos sistemas de audio.”


Os críticos (talvez lhes devessemos chamar ‘publicitários encapuçados’) criaram, ao abrigo da dita Subjectividade, uma série de mitos, placebos e seitas com verdadeiras hordes de seguidores como p.ex. os ‘vintageistas’, os ‘flat earthers’, a ‘escola japonesa’, os ‘pipe and slippers’, etc.

Os audiófilos, talvez por falta de conhecimentos técnicos ou sónicos e deixando-se levar pela escrita enebriante e pelas fotografias lustrosas, acreditaram.
Não só acreditaram como quiseram tornar-se eles próprios críticos, comparadores de equipamentos e acessórios, desvirtuando de a raison d’être de um sistema de reprodução doméstica de gravações de música.

E a indústria, para satisfazer a procura (e a ganância dos ‘publicitários encapuçados’), cumpriu.
Cumpriu com equipamentos que estão longe de se poderem considerar alta-fidelidade e alinhou com as revistas dando à luz uma nova classe de equipamentos e acessórios a que apelidou de High-End.

Breve parêntesis High-End = Luxo (wikipedia: Upmarket (or high-end) commodities are products, services or real estate targeted at high-income consumers.)

Voltemos a Holt (The Absolute Sound of What?).

"Supostamente aquilo que distingue um audiófilo de uma pessoa
vulgar é a noção que o primeiro tem da alta-fidelidade.
O vulgar cliente de uma ‘aparelhagem’ não exige mais do que uma
sonoridade agradável, talvez excitante, e as suas expectativas são
superficiais e fáceis de satisfazer.
Por outro lado, o audiófilo tem a noção de que a reprodução pode
aproximar-se da ‘realidade’, ou seja, do som ‘ao vivo’, e é motivado
pela vontade de conseguir a reprodução mais realista possível.”


Para determinar se um sistema soa realista é necessário que se conheça o som ‘ao vivo’ e na impossibilidade de efectuarmos uma comparação subjectiva directa entre o som reproduzido e a realidade somos obrigados a recorrer à nossa memória, que na verdade nunca é mais do que uma impressão algo lírica da coisa (isto para não falar nos casos de audiófilos que não vão a um concerto à bastante tempo ou naqueles que jamais escutaram música acústica ao vivo não amplificada).

"Para a vasta maioria dos audiófilos o som referência não passa,
portanto, de uma vaga memória transformada em imagem idílica,
um ideal imaginado que andará mais próximo daquilo que cada
um de nós gostaria que fosse a reprodução do som com realismo.
Aqui a fidelidade torna-se um critério dúbio dada a imprecisão
da nossa referência e a avaliação passa a ser uma simples questão
de gosto: ‘se soa bem é bom’.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 12:55

ricardo onga-ku escreveu:

"But what should it sound like?", pergunta o autor,
“Como é que deve soar?

Para mim esta é a questão/premissa base a partir da qual se deve desenvolver a análise.

Como deve soar um álbum gravado em estúdio , em que cada instrumento é gravado num universo à parte ou seja , em sala acústicas herméticas, e toda a obra surge no acto da edição e produção?

Se alguém não sabe como soam as coisas nestes ambientes, qual o som de um timbalão ou de um [i]china type
de 22", de um amplificador ligado directamente à mesa ou através de microfone, não pode ter uma referência e consequentemente não pode aferir concretamente mas sim subjectivamente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran
Membro AAP
avatar

Mensagens : 8496
Data de inscrição : 08/12/2011
Localização : Usuário BANIDO

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:20

Ulrich escreveu:
... eu ainda não consigo separar os dois ...
E isso interessa-te?!
Já agora, para quê?!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:23

Ulrich escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:

"But what should it sound like?", pergunta o autor,
“Como é que deve soar?

Para mim esta é a questão/premissa base a partir da qual se deve desenvolver a análise.

Como deve soar um álbum gravado em estúdio , em que cada instrumento é gravado num universo à parte ou seja , em sala acústicas herméticas, e toda a obra surge no acto da edição e produção?

Se alguém não sabe como soam as coisas nestes ambientes, qual o som de um timbalão ou de um [i]china type
de 22", de um amplificador ligado directamente à mesa ou através de microfone, não pode ter uma referência e consequentemente não pode aferir concretamente mas sim subjectivamente.

No caso das gravações em estúdio, o que importa não é o som "natural" dos instrumentos mas aquilo que resulta do processo de mistura e produção, e que muitas vezes passa por distorcer o som dos instrumentos e até de vozes.
E para escutar esse produto com fidelidade é importante que o sistema seja transparente.

O que não podemos é utilizar essas gravações para avaliar a "naturalidade" do som produzido por um componente ou sistema.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran
Membro AAP
avatar

Mensagens : 8496
Data de inscrição : 08/12/2011
Localização : Usuário BANIDO

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:25

microseiki escreveu:
... Eu ja deixei de pensar quando oiço musica, se é gravada, se é ao vivo, se é na casa de banho, no urinol.
Tenho uns bootlegs (CD) do Frank Zappa, gravaçoes péssimas mas adoro ouvi-las!!

Para quem ouve musica, isso é o que interessa, gostar de ouvir.


Para quem não ouve musica, então sim, essas coisas interessam
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:25

Fran escreveu:
Ulrich escreveu:
... eu ainda não consigo separar os dois ...
E isso interessa-te?!
Já agora, para quê?!


Para já, para mim, significa poder ouvir gravações fantásticas com a melhor qualidade de reprodução que possa, ainda este fds me deliciei a ouvir os álbuns de Billy Cobham, toda quela percussão e pormenores técnicos ali ao pé de mim cheers
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran
Membro AAP
avatar

Mensagens : 8496
Data de inscrição : 08/12/2011
Localização : Usuário BANIDO

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:26

Ulrich escreveu:
Fran escreveu:
Ulrich escreveu:
... eu ainda não consigo separar os dois ...
E isso interessa-te?!
Já agora, para quê?!


Para já, para mim, significa poder ouvir gravações fantásticas com a melhor qualidade de reprodução que possa, ainda este fds me deliciei a ouvir os álbuns de Billy Cobham, toda quela percussão e pormenores técnicos ali ao pé de mim cheers
Mas precisas de saber isso de antemão?!
Não basta ouvir para saberes logo?!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:27

ricardo onga-ku escreveu:

O que não podemos é utilizar essas gravações para avaliar a "naturalidade" do som produzido por um componente ou sistema.

R

É o que eu penso
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ulrich
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4947
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 39
Localização : Aveiro

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 13:32

Fran escreveu:

Mas precisas de saber isso de antemão?!
Não basta ouvir para saberes logo?!

é um sentimento muito especial, é como aquele formigueiro no estômago, ou pequeno frisson que é instantâneo ...

...para mim um exemplo base é o Three of a Perfect Pair dos K.C. ouvi em vários formatos e só depois de comprar e ouvir a edição Japonesa em LP fiquei plenamente fulfilled, não existiam dúvidas: the real thing
Voltar ao Topo Ir em baixo
Stereo
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3487
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 57
Localização : Lisboa

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 20:23

ricardo onga-ku escreveu:
Stereo escreveu:
É certo que nada substitui o som ao vivo. Mas volto a dizer que se continua a comparar o incomparável. Nem o som ao vivo é sempre o ideal, nem o som gravado e muito menos o reproduzido se compara ao que se pode ouvir ao vivo. São coisas completamente distintas e que devem ser igualmente desfrutadas. A única coisa que posso observar nisto é o que dever ser considerado na gravação, pois sem dúvida, cada vez mais o ouvinte que anda nisto de áudio-filia, exige o analógico...

Discordo.
O som ao vivo de um instrumento acústico ou de uma orquestra, desde que produzido numa sala adequada, é sempre ideal.

Alta-fidelidade significa sempre a reprodução de musica acústica não amplificada.
Já falei disso aqui:

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t4219-som-ao-vivo-vs-reproduzido#105867

R

Isto é a ilusão de perfeição, meu caro.
Concordo com o microseiki quando ele diz que ao ouvir uma gravação... aquilo que interessa é ser «arrebatado», pois isto é o que se espera mesmo pela música. É aqui que está a qualidade a desejar; e é neste ponto que apenas alguns músicos se encontram. É nesta perspectiva que devo lembrar um bom exemplo em termos de jaz: Bernardo Sassetti, Trio Motion. Pena não ser analógico!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 20:45

Stereo escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:
Stereo escreveu:
É certo que nada substitui o som ao vivo. Mas volto a dizer que se continua a comparar o incomparável. Nem o som ao vivo é sempre o ideal, nem o som gravado e muito menos o reproduzido se compara ao que se pode ouvir ao vivo. São coisas completamente distintas e que devem ser igualmente desfrutadas. A única coisa que posso observar nisto é o que dever ser considerado na gravação, pois sem dúvida, cada vez mais o ouvinte que anda nisto de áudio-filia, exige o analógico...

Discordo.
O som ao vivo de um instrumento acústico ou de uma orquestra, desde que produzido numa sala adequada, é sempre ideal.

Alta-fidelidade significa sempre a reprodução de musica acústica não amplificada.
Já falei disso aqui:

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t4219-som-ao-vivo-vs-reproduzido#105867

R

Isto é a ilusão de perfeição, meu caro.
Concordo com o microseiki quando ele diz que ao ouvir uma gravação... aquilo que interessa é ser «arrebatado», pois isto é o que se espera mesmo pela música. É aqui que está a qualidade a desejar; e é neste ponto que apenas alguns músicos se encontram. É nesta perspectiva que devo lembrar um bom exemplo em termos de jaz: Bernardo Sassetti, Trio Motion.

Não se trata de "perfeição" mas de "realidade"; é uma ilusão da "realidade"...falo obviamente de gravações ao vivo de música não amplificada tocada em espaços com reverberação natural.
Não conheço o álbum do Sassetti, tem alguma informação técnica sobre a gravação?
Aposto que usaram um mic por instrumento colocado demasiado próximo deste...e nesse caso não serve.

Stereo escreveu:
Pena não ser analógico!

Porquê, a versão digital sofre de "digitalite"? Rolling Eyes

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
Stereo
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3487
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 57
Localização : Lisboa

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 21:30

ricardo onga-ku escreveu:
Stereo escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:
Stereo escreveu:
É certo que nada substitui o som ao vivo. Mas volto a dizer que se continua a comparar o incomparável. Nem o som ao vivo é sempre o ideal, nem o som gravado e muito menos o reproduzido se compara ao que se pode ouvir ao vivo. São coisas completamente distintas e que devem ser igualmente desfrutadas. A única coisa que posso observar nisto é o que dever ser considerado na gravação, pois sem dúvida, cada vez mais o ouvinte que anda nisto de áudio-filia, exige o analógico...

Discordo.
O som ao vivo de um instrumento acústico ou de uma orquestra, desde que produzido numa sala adequada, é sempre ideal.

Alta-fidelidade significa sempre a reprodução de musica acústica não amplificada.
Já falei disso aqui:

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t4219-som-ao-vivo-vs-reproduzido#105867

R

Isto é a ilusão de perfeição, meu caro.
Concordo com o microseiki quando ele diz que ao ouvir uma gravação... aquilo que interessa é ser «arrebatado», pois isto é o que se espera mesmo pela música. É aqui que está a qualidade a desejar; e é neste ponto que apenas alguns músicos se encontram. É nesta perspectiva que devo lembrar um bom exemplo em termos de jaz: Bernardo Sassetti, Trio Motion.

Não se trata de "perfeição" mas de "realidade"; é uma ilusão da "realidade"...falo obviamente de gravações ao vivo de música não amplificada tocada em espaços com reverberação natural.
Não conheço o álbum do Sassetti, tem alguma informação técnica sobre a gravação?
Aposto que usaram um mic por instrumento colocado demasiado próximo deste...e nesse caso não serve.

Stereo escreveu:
Pena não ser analógico!

Porquê, a versão digital sofre de "digitalite"? Rolling Eyes

R

Continuamos na mesma... a realidade é impossível de copiar. Não vivemos numa gravação de cinema, onde tudo é possível. Uma coisa é procurar a melhor abordagem possível, fazer novas experiências para conseguir o melhor resultado... outra é pensar que se está a fazer tal e qual...
O álbum de Sassetti é o que eu disse: o Trio Motion.

Se a versão digital sofre de digitalite? Isso é alguma pergunta? É que não é o digital que sofre com ele, eu é que sofro com este! É aqui que «a porca torce o rabo», pois se pudesse ouvir apenas analógico!
Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 22:40

ricardo onga-ku escreveu:
microseiki escreveu:
Without listening to sound you will listen to music


parangona publicitária da marca, que ate esta mal traduzida do japonês para o inglês.

"after you stop listening the sound, only them you´ll ear the music"

Assim seria mais correta a tradução.

A 47 Labs publicita "Only simplest can acommodate the most complex"

and so on, and on, and on.............................

(...)

Tal como o Herr Keith da Auditorium 23 afirmou,ao desistir de criar a amplificação que o satisfizesse quando ouviu os Shindo WE 300B. ´Não consigo fazer melhor que isto porque é isto que eu quero.

E isto não é publicidade... Rolling Eyes (vindo de um representante da Sindo )

R

Pois, mas após andar a desenvolver a sua amplificação, ouvio os tais Shindos, e foi apos a audição que levou a sua conclusao que era o que ele queria! e depois tornou-se importador
e nao o contrario!

De facto os equipamentos não tem alma, mas tambem os formatos nao o têm. Quem tem são os musicos.
Os formatos e equipamentos tem de ter a capacidade de reproduzir ou captar essa alma.

Quando vou a um concerto quero ouvir a musica, senti-la deixar-me levar por ela, seja ela ao vivo -directa ou ao vivo-indirecta(amplificada) não fazer um exercicio de memoria sobre extensoes de frequencia, distorçoes etc, etc...... que é o que parece que fazes.

A tua unica aparente preocupação parece ser a tecnicidade ou da gravaçãao ou dos aparelhos e é isso mesmo que eu ja deixei de pensar e de me preocupar.

Outra coisa engraçada, é que por exemplo, nas colunas, as suas especificações sao de sala anedoica. na viva real o comportamento do som ouvido numa sala normal, é completamente diferente.
A sala e seu conteudo, sao os tais processadores "digitais" que aconselhas! Por isso a mesma coluna comportar-se-a diferentemente em envolvencias diferentes.
colunas como as open Baffle sao mais dificeis de trabalhar/afinar que as caixas fechadas. O problema encontra-se nessa afinação. e pode-se ter um som fantastico ou uma desgraça, conforme a capacidade e afinação.
Colocar uma coluna mais junto a parede pode aumentar mais ou menos o grave, e não precisamos de electronica pelo meio.


O que depreendo é que achas que nomes como como Schoerder, Thomas Schick, 47 labs, Salabert (Phy), Auditorium 23, Yamamoto sound Craft, Kondo, Yamamura, Wavelenght, Shindo ................................. e muitos outros são todos uma bosta?

Talvez se cheios de Chips e parecendo um mega computador seja mais competente!


O tal sistema da Spectral/MIT/Avalon foi ouvido com uns Cheskys, HigherOctave, JVC, Sony SBM. disso eu lembro-me (1997/8 por ai).
Tambem la estava um sistema WestLake/Jadis e que foi ouvido. formas de apresentar a musica diferente, mas nenhum mexeu comigo.
Se calhar sou mesmo surdo.
depois ouvi uns AudioResearch Classic 60 (comprei) com umas JM LAb mini Utopia (acho que era este o modelo) e adorei.


Agora se tivesse paciencia ia á procura de diversos artigos sobre os sistemas ZEN e contradizia o que foi postado por ti. Cada um acredita no que quer.


Amigos?









Voltar ao Topo Ir em baixo
zaratustra
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4763
Data de inscrição : 09/07/2010
Localização : Frossos, Albergaria-a-Velha

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 22:58

[quote="microseiki"][quote="ricardo onga-ku"]
microseiki escreveu:
Without listening to sound you will listen to music

De facto os equipamentos não tem alma, mas tambem os formatos nao o têm. Quem tem são os musicos.
Os formatos e equipamentos tem de ter a capacidade de reproduzir ou captar essa alma.



Gostei.

Eu diria... os músicos (e os ouvintes) têm Alma... os equipamentos, alma (os que a têm)...

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://zaratustrices.blogspot.com/
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 23:01

Costumas (Ongaku) utilizar a imagem da fotografia para comparativos.

Eu ainda prefiro as imagens a preto e branco e em rolo e nao as superperfeitas das camaras digitais. Um Filme de Fritz Lang a preto e branco no meu cerebro é mais belo que uma superprodução tecnologica da Guerra das estrelas do George Lucas!


Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 23:05

[quote="zaratustra"][quote="microseiki"]
ricardo onga-ku escreveu:
microseiki escreveu:
Without listening to sound you will listen to music



Gostei.

Eu diria... os músicos (e os ouvintes) têm Alma... os equipamentos, alma (os que a têm)...



De facto os equipamentos não tem alma, mas tambem os formatos nao o têm. Quem tem são os musicos.
Os formatos e equipamentos tem de ter a capacidade de reproduzir ou captar essa alma.

Os equipamentos até tem alma! a dos seus criadores!
As gravações tb! a dos seus engenheiros de som! etc,

è tudo o reflexo do homem por de traz!
Pode é ser mais ou menos pessoal, mais ou menos elaborada, mais ou menos, cuidada.................
Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 23:30

microseiki escreveu:
Costumas (Ongaku) utilizar a imagem da fotografia para comparativos.

Eu ainda prefiro as imagens a preto e branco e em rolo e nao as superperfeitas das camaras digitais. Um Filme de Fritz Lang a preto e branco no meu cerebro é mais belo que uma superprodução tecnologica da Guerra das estrelas do George Lucas!

As características (mesmo as "colorações" ou distorções) do filme podem ser utilizadas de forma criativa num filme de ficção com excelentes resultados ao nível da expressividade, tal como certas distorções e "efeitos especiais" podem tornar muito mais interessante uma música gravada em estúdio.
Mas não faz sentido colocar o microfone no cavalete do violino quando o ouvido de quem o escuta está posicionado a 8 ou 20 metros de distância tal como não faz sentido dar um carácter mais excitante ao grave (o famoso grave tenso e extenso dos audiófilos) através de uma depressão no médio baixo, isto na perspectiva do audio como representação da realidade que é um registo de música clássica, de algum jazz e talvez também de uma mão cheia de gravações de música étnica.

Para mim importa diferenciar as funções: os músicos e os instrumentos produzem som, os equipamentos de audio reproduzem a gravação deste som.

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
MicroGruas
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3204
Data de inscrição : 12/11/2011
Idade : 48
Localização : Oriente

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sex Nov 23 2012, 23:49

ricardo onga-ku escreveu:

............Mas não faz sentido colocar o microfone no cavalete do violino quando o ouvido de quem o escuta está posicionado a 8 ou 20 metros de distância ...........
R

Nisso tens toda a razão! mas quando nos encontramos no sweet spot! naquelas "audiçoes" despreocupadas em que andamos de um lado para outro, ja pouco releva.

Mas dou-te toda a razao no que diz respeito ao mic e ao violino.
Numa sala/lojeca de aparelhos Hifi, escutei um audio analogue amp integrado (um grandalhão que não me lembro do nome) e umas Avalon (duas vias floorstanding) e tocava um piano.
no sweetspot o piano era visualizado na vertical com a tampa aberta virada para nós. e os senhores que la vendiam diziam maravilhas daquela gravação! os que gravaram (mic em cima do piano - 30/40cm ) não sabem como gravar e os que vendem não sabem o som do piano e com ele soa numa sala.
e o CD (disco) era audifilo Grade





Voltar ao Topo Ir em baixo
ricardo onga-ku
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012
Localização : Terra d'Angles

MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   Sab Nov 24 2012, 09:32

microseiki escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:
microseiki escreveu:
Without listening to sound you will listen to music


parangona publicitária da marca, que ate esta mal traduzida do japonês para o inglês.

"after you stop listening the sound, only them you´ll ear the music"

Assim seria mais correta a tradução.

A 47 Labs publicita "Only simplest can acommodate the most complex"

and so on, and on, and on.............................

(...)

Tal como o Herr Keith da Auditorium 23 afirmou,ao desistir de criar a amplificação que o satisfizesse quando ouviu os Shindo WE 300B. ´Não consigo fazer melhor que isto porque é isto que eu quero.

E isto não é publicidade... Rolling Eyes (vindo de um representante da Sindo )

R

Pois, mas após andar a desenvolver a sua amplificação, ouvio os tais Shindos, e foi apos a audição que levou a sua conclusao que era o que ele queria! e depois tornou-se importador
e nao o contrario!

Está no seu direito; é o gosto dele, pessoal e intransmissível.
Mas não altera o facto de que os equipamentos da Shindo estão longe de se poderem chamar alta-fidelidade.

microseiki escreveu:
De facto os equipamentos não tem alma, mas tambem os formatos nao o têm. Quem tem são os musicos.
Os formatos e equipamentos tem de ter a capacidade de reproduzir ou captar essa alma.

Estou plenamente de acordo.
E essa capacidade será maior quanto menos distorções produzirem.

microseiki escreveu:
Quando vou a um concerto quero ouvir a musica, senti-la deixar-me levar por ela, seja ela ao vivo -directa ou ao vivo-indirecta(amplificada) não fazer um exercicio de memoria sobre extensoes de frequencia, distorçoes etc, etc...... que é o que parece que fazes.

Achas mesmo que eu vou para um concerto com o computador e o microfone na mão?
Estás a ver o filme ao contrário.
O que eu pretendo é regressar de um concerto na Gulbenkian, colocar um CD a tocar e não ficar deprimido pela falta de realismo do som reproduzido em comparação com o som ao vivo...e a depressão, ou melhor a decepção resulta de problemas específicos, as tais "extensoes de frequencia, distorçoes, etc.".

Ao contrário de uma avaliação subjectiva, as medições são uma ferramenta "científica" que permite caracterizar e quantificar o som dos equipamentos de forma precisa; essas características são universais e têm uma correlação com a escuta.

microseiki escreveu:
A tua unica aparente preocupação parece ser a tecnicidade ou da gravaçãao ou dos aparelhos e é isso mesmo que eu ja deixei de pensar e de me preocupar.

Se há coisa que não faço em casa há anos são escutas de avaliação; isso só nos xôs, onde vou para escutar novas colunas.
A minha preocupação permanente é mais uma curiosidade natural pelo funcionamento das coisas e de um gosto pela excelência, tanto na captação como na reprodução; permitiu-me aprofundar os meus conhecimentos e ajuda-me a não "ir em cantigas"...
A verdade é que não mexo no meu sistema desde meados de 2009; não é perfeito mas estou contente com o seu desempenho tanto ao nível da escuta como das medições.
O que eu precisava mesmo era de "mexer" na acústica da sala...

microseiki escreveu:
Outra coisa engraçada, é que por exemplo, nas colunas, as suas especificações sao de sala anedoica. na viva real o comportamento do som ouvido numa sala normal, é completamente diferente.
A sala e seu conteudo, sao os tais processadores "digitais" que aconselhas! Por isso a mesma coluna comportar-se-a diferentemente em envolvencias diferentes.
colunas como as open Baffle sao mais dificeis de trabalhar/afinar que as caixas fechadas. O problema encontra-se nessa afinação. e pode-se ter um som fantastico ou uma desgraça, conforme a capacidade e afinação.
Colocar uma coluna mais junto a parede pode aumentar mais ou menos o grave, e não precisamos de electronica pelo meio.

Já o disse hoje e volto a afirmar: no que se refere a colunas já está tudo dito desde os anos 70-80.
A medição da resposta em câmara anecóica não será igual à resposta na minha sala que será diferente da resposta na tua sala.
Mas um conjunto adequado de medições permite caracterizar o desempenho da coluna e antecipar a forma como esta se irá comportar na sala.
Já escrevi um tópico sobre o assunto e iniciei outros com descrições exaustivas das várias medições, o que significam e como se relacionam com aquilo que escutamos; será assim tão "chato" fazer um minúsculo esforço para aprender um pouco de técnica?
A posição das colunas...leste este tópico?

http://www.audioanalogicodeportugal.net/t2251-posicionamento-de-colunas

Graças às medições não só consegues visualizar quais variações na resposta como pode perceber quais são as frequências afectadas e com que intensidade...achas que isso seria possível com os ouvidos, especialmente a escutar um programa musical?

microseiki escreveu:
O que depreendo é que achas que nomes como como Schoerder, Thomas Schick, 47 labs, Salabert (Phy), Auditorium 23, Yamamoto sound Craft, Kondo, Yamamura, Wavelenght, Shindo ................................. e muitos outros são todos uma bosta?

Talvez se cheios de Chips e parecendo um mega computador seja mais competente!

A minha experiência resume-se a um amplificador, um transporte e um D/AC da 47Labs e a dois pares de colunas single-driver com os quais convivi na a minha fase de "audio-mitómano".

E não diria que os produtos dos fabricantes que referes - todos eles "artesãos do som" (à excepção do Schroeder e do Gordon Rankin/Wavelenght) - são uma "bosta"; servem um nicho que na minha opinião está iludido, que valoriza mais um conceito (single-ended-triode, single-driver, no-oversampling, etc.) do que o desempenho e que na maior parte dos casos não escuta música com grande complexidade sónica como as obras orquestrais que aprecio (evitando desse modo as deficiências de tais conceitos).
Um bom exemplo dessa "cegueira" são as colunas single-driver.

Não nos podemos esquecer que esta "corrente" tem origem no Japão, um país onde o artesanato tem uma importância cultural como em mais nenhum lugar do planeta, onde o artesão é venerado como um ídolo e onde o orgulho de posse atinge é um símbolo cultural, talvez mesmo espiritual, ao contrário do que se passa no ocidente onde prevalece o materialismo e a vontade de afirmação pelo status...
Artesanato significa duas coisas: fabrico manual e "cristalização" no tempo de um conceito ou de um desenho.

Quanto ao "cheio de chips", não me parece que a "simplicidade" seja um domínio exclusivo da corrente dos "alfaiates".
Existem outros fabricantes que produzem equipamentos e colunas com circuitos de grande simplicidade mas que não voltaram as costas aos avanços tecnológicos e que a meu ver colocam o desempenho acima do conceito (minimalismo).

O meu amplificador actual não é mais complexo do que um 47Labs mas os componentes electrónicos são de melhor qualidade e têm um desempenho superior, a filtragem da rede é mais eficaz, a alimentação é muito mais poderosa e o grounding incomparavelmente mais competente...
O "Gaincard" não tem nada de especial, é apenas uma (pouco cuidada) implementação do op-amp tal como foi definida pelo fabricante nos datasheets e o NOS D/AC põe em prática o delírio de um destes "alfaiates" do som que volta as costas a toda a teoria em que se baseia o audio digital.

microseiki escreveu:
O tal sistema da Spectral/MIT/Avalon foi ouvido com uns Cheskys, HigherOctave, JVC, Sony SBM. disso eu lembro-me (1997/8 por ai).
Tambem la estava um sistema WestLake/Jadis e que foi ouvido. formas de apresentar a musica diferente, mas nenhum mexeu comigo.
Se calhar sou mesmo surdo.
depois ouvi uns AudioResearch Classic 60 (comprei) com umas JM LAb mini Utopia (acho que era este o modelo) e adorei.

Estavas em Macau em 98?
Eu também.

Quando perguntei quais foram as gravações utilizadas na avaliação do sistema, referia-me mais às músicas do que às editoras.
O vendedores escolhem quase sempre gravações que estão longe de ser adequadas para avaliar o desempenho dos sistemas, espectaculares na profusão de detalhe (resultante de microfones mal posicionados) mas inúteis para determinar a "naturalidade" do som.
Para isso é necessário utilizar gravações de música acústica não amplificada em ambiente com reverberação natural, com dois microfones que não acentuem as altas frequências posicionados de forma "civilizada"...e saber como soa os instrumentos e as vozes ao vivo ajuda.
Nada de Barbies, de Krells, de Bubbles, dos já gastos Stimela e Brothers in Arms...

microseiki escreveu:
Agora se tivesse paciencia ia á procura de diversos artigos sobre os sistemas ZEN e contradizia o que foi postado por ti. Cada um acredita no que quer.

Não precisas...acredita já os devo ter lido todos na minha fase de "crente".
Mas concordo contigo: cada um "acredita" naquilo que quer.
Eu também já "acreditei"; depois tive a sorte de escutar um sistema excepcional e percebi que o "conhecimento" era um método muito mais eficaz para melhorar o desempenho do sistema.
Como diz um famoso Audiófilo português: "Música é Arte, Audio é Engenharia".

R
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Without listening to sound you will listen to music   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Without listening to sound you will listen to music
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Without listening to sound you will listen to music
» Giannini Thunder Sound SL - em processo de reabilitação
» Mastering engineer George Marino from Sterling Sound DIES!
» Vox Sound x Selenium
» Sound Maker Black Bass 120 - Problema no 1º dia de uso de verdade

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Áudio Geral-
Ir para: