Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalCalendárioPublicaçõesFAQGruposRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

Compartilhe | 
 

 O derradeiro leitor de CD?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3
AutorMensagem
ricardo onga-ku
Membro AAP


Mensagens : 4809
Data de inscrição : 02/01/2012

MensagemAssunto: Re: O derradeiro leitor de CD?   Qui Set 26 2013, 13:46

TD124 escreveu:
ricardo onga-ku escreveu:

...
A função de um equipamento de audio é a de reproduzir a música gravada , e pode também ser um objecto de luxo para aqueles que querem mostrar que estão bem na vida...
...
R
Olà Ricardo,

tens razão!... um equipamento audio serve a reproduzir a musica gravada e a nada mais... mas!,... mas o problema é intelectualmente como o fazer, pois o problema é demasidado complexo, e vou-me explicar...

Uma via é de buscar o desempenho... o que se chama a via logica ou ciêntifica... então neste caso vamos ser pragmaticos: O desempenho de uma fonte digital é directamente ligada ao Chip DAC utilisado, como numa fonte analogica (Vinyl) é ligado à célula!... È a célula e o DAC, que determinam essencialmente a largura de banda, a distorsão, a diafonia, a dinamica, o nivel de ruido etc, etc... então basta agarrar numa célula fantastica e metê-la num gira discos correcto com um braço correcto e o desempenho é enorme e é verdade!... da mesma maneira que se agarra numa mecanica em plastico de CD, um andar de saida com muita realimentação e o desempenho (medivel) é enorme...   ... sim é fàcil, a unica coisa é que isso foi feito milhares de vezes... e o resultado não é à medida do que se espera pois:...

A grande célula num gira correcto vai ter o mesmo desempenho, mas!!!...  ... a transparência é média, a tensão e o ataque das notas é médio também, e o equilibrio timbrico (fundamental) é desigual em função da frequência... e não dà valor ao trabalho dos musicos, ném à musica em geral...   ... e a mesma coisa se passa no dominio digital...

Outra via é de agarrar num sistema com um desempenho X, e trabalhar à volta dele afim de harmonisar todos os elementos objectivos/subjectivos ou seja : assegurar-se que o equilibrio de reprodução seja elevado... pois diz-me là o que é mais importante para ti:

A quantidade de distorsão... (que é medivel e apresentado como sendo do desempenho...)
Ou a forma da distorsão e o equilibrio a todas as frequências e niveis... (que ninguém mede nem apresenta...)

A quantidade de diafonia a 1Khz... (que é medivel e apresentado como sendo do desempenho...)
Ou o equilibrio da diafonia a todas as frequências... (que ninguém mede nem apresenta...)

A dinamica teorica em laboratorio perante uma frequência fixa...
Ou a dinamica em sinal complexo numa situação real, ou proxima desta...

A potência medida em laboratorio a uma frequência, um canal e sobre resistência fixa...
Ou a potência medida em situação real, ligado a um filtro, dois canais em serviço e sinal complexo...

A relação sinal/ruido medido com entrada em curton circuito em laboratorio...
Ou a relação medida durante o funcionamento, pela substração do sinal e do barulho...

Tenho a certeza que quase sempre escolheste a segunda opção!... ora a segunda NUNCA é apresentada, pois não faz parte da norma HiFi (determinada nos anos sessenta!!!...), e seria muito malvada para alguns aparelhos, certos ném sequer sobreviveriam à medida... então a reprodução da musica é simples ???Wink ... queres continuar a agarrar-te a medidas que pouco dizem (quanto à qualidade da restituição), ou começar a ver o problema de um ângulo mais vasto, e infelismente mais complexo ???...

Abraço Ricardo e até breve
Olá Paulo,

Este tema dá pano para mangas e no outro dia não conseguimos falar sequer 5 minutos sobre o assunto; era bom poder acompanhar a discussão com medições, com a escuta de equipamentos-exemplo de topologia e "filosofia" variada e, claro, um bom petisco...

Bem, há um ponto em que estamos absolutamente de acordo: as especificações fornecidas pelos fabricantes são redutoras e enganadoras.

Mas se por um lado certas medições podem ser simplificadas e redutoras é também possível efectuar medições mais exaustivas e por conseguinte mais capazes de caracterizar certos parâmetros do desempenho de um equipamento.

Um bom exemplo é o da medição da resposta de frequências de um amplificador recorrendo a um circuito que simule a carga de uma coluna, como aquele utilizado pela Stereophile:


Circuit of Ken Kantor loudspeaker simulator,
intended to represent a two-way, sealed-box
minimonitor with a nominal impedance of 8 ohms

http://www.stereophile.com/reference/60

Para melhor visualizar a eficácia desta metodologia de medição nada melhor do que um exemplo, como a resposta de um integrado Audio Note Jinro (a preto) de $26.500 USD:


Audio Note Jinro, volume control at maximum, frequency response at 1V into:
simulated loudspeaker load (gray),
8 ohms (left channel blue, right red),
4 ohms (left cyan, right magenta),
2 ohms (green). (1dB/vertical div.)

Sem este circuito de simulação de carga o amplificador teria, aparentemente, um desempenho exemplar embora algo limitado em extensão nos extremos da banda de frequências.
E tu sabes melhor do que qualquer um de nós que na realidade a carga das colunas irá produzir variações na reposta e essas variações serão diferentes de coluna para coluna, com algumas a acentuar os agudos e outras os médios ou os graves...

Mas a minha crítica ao produto que deu origem a este tópico não se baseia apenas nas especificações técnicas ou nas medições efectuadas pelo "crítico", resulta também da minha experiência de escuta com equipamentos de topologia semelhante, neste caso a conversão sem filtro de reconstrução ou se sobre-amostragem, e da audição de equipamentos da marca.
Todas as topologias têm limitações, tanto ao nível da electrónica como das caixas acústicas, mas há topologias claramente mais limitadas do que outras.

A minha experiência de escuta levou-me a concluir que um sistema mais "transparente", ou que permite maior "fidelidade", é aquele que melhor reproduz a gravação e como eu não tenho acesso ao evento musical original essa gravação é para todos os efeitos a música.
Mas é importante ressalvar que quando falo de música estou a referir-me ao som produzido por instrumentos acústicos ou vozes em ambiente com reverberação natural.


Claro que as técnicas e equipamentos de gravação e reprodução têm as suas limitações mas procuro, tanto quanto possível, reproduzir esse som (natural) na minha sala.

Com já referi noutras conversas, nunca escutei um sistema com amplificação S.E.T. e cornetas multi-via de qualidade, e infelizmente todos os sistemas que mais se aproximam destas topologias produzem uma sonoridade "colorido", muitas vezes ao ponto de essas "colorações" ou distorções se tornarem demasiado proeminentes e dominantes, sobrepondo-se à "claridade" tímbrica (mais ou menos fiel) que foi possível registar na altura em que se deu o evento musical.

No caso do sistema de leitura de CD em questão, perturba-me que o Peter Qvortrup tenha pegado "num sistema com um desempenho X, e trabalhado à volta dele afim de harmonisar todos os elementos objectivos/subjectivos" e depois os parâmetros medidos sejam piores do que aquilo que é possível obter...
Talvez ele tenha procurado obter do equipamento uma sonoridade mais próxima do vinil mas isso a meu ver seria um erro na perspectiva de quem quer escutar a música (ou a gravação da música) e não os equipamentos de reprodução.

Um abraço,
Ricardo
Voltar ao Topo Ir em baixo
TD124
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3304
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 52
Localização : França

MensagemAssunto: Re: O derradeiro leitor de CD?   Qui Set 26 2013, 15:33

ricardo onga-ku escreveu:


Olá Paulo,

Este tema dá pano para mangas e no outro dia não conseguimos falar sequer 5 minutos sobre o assunto; era bom poder acompanhar a discussão com medições, com a escuta de equipamentos-exemplo de topologia e "filosofia" variada e, claro, um bom petisco...

Efectivamente, a anàlise da alta-fidelidade toma todo o seu sentido quando é escutada!... e de preferência num quadro pré-estabelecido permitindo de isolar as particularidades de cada elemento, e englobados num protocolo de escuta comum. Era o que eu fazia no meu clube... e o petisco era no fim, pois não é a melhor maneira de ser objectivo...  Wink 

Bem, há um ponto em que estamos absolutamente de acordo: as especificações fornecidas pelos fabricantes são redutoras e enganadoras.

Não são eles os culpados (para mim...), é o trabalho do legislador de impôr medidas mais modernas, objectivas e discernantes para testar o material... mas estão-se barimbando para a hifi então !!!

Mas se por um lado certas medições podem ser simplificadas e redutoras é também possível efectuar medições mais exaustivas e por conseguinte mais capazes de caracterizar certos parâmetros do desempenho de um equipamento.

Evidentemente que é possivel!... mas para que essas (novas) medições tenham sentido, seria bom de explicar ao consumidor como lê-las... senão a manipulação e desengano vai continuar eternamente...

...
No caso do sistema de leitura de CD em questão, perturba-me que o Peter Qvortrup tenha pegado "num sistema com um desempenho X, e trabalhado à volta dele afim de harmonisar todos os elementos objectivos/subjectivos" e depois os parâmetros medidos sejam piores do que aquilo que é possível obter...

... compreendo, mas atenção!... manipular é um exercicio com dois gumes, pois segundo o "manipulador", o resultado final poderà ser magnifico ou lamentàvel... talvez seja o unico dominio na hifi aond existem os "verdadeiros mestres"... talvez!!!

Talvez ele tenha procurado obter do equipamento uma sonoridade mais próxima do vinil mas isso a meu ver seria um erro na perspectiva de quem quer escutar a música (ou a gravação da música) e não os equipamentos de reprodução.

Pois é!... mas quem quer a verdade???... em 18 anos de alta fidelidade encontrei sobretudo pessoas que buscam "um som que lhes agrade" ao qual eles vão chamar alta-fidelidade, verdade ou mesmo musicalidade... se é esse o preço para que o aparelho se venda... é normal que o PQp aplique esses conçeitos... e se calhar ném sequer é esse CD que ele ouve em casa!...

Um abraço,
Ricardo
O problema fundamental reside na impossivel união entre verdade e musicalidade... pois no meio està o homem, e este està fundamentalmente partilhado entre os dois conceitos... penso eu !!!

Até+

_________________
Il semble que la perfection soit atteinte, non quand il n'y a plus rien à ajouter mais quand il n'y a plus rien à retrancher... Antoine de Saint-Exupéry
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fulci
Membro AAP


Mensagens : 115
Data de inscrição : 10/08/2011
Idade : 37
Localização : Porto

MensagemAssunto: Re: O derradeiro leitor de CD?   Dom Out 20 2013, 19:25

Fran escreveu:
Milton escreveu:
Fran escreveu:
Milton escreveu:
... se me saisse  o euromilhoes deixava de ouvir musica gravada
Se assim fosse, serias um "ignorante" no que há musica toca.  
Queres dizer, continuava a ser um ignorante , mas era um ignorante com muita sorte...
Não quis dizer isso, pois quem sou eu para dizer que A ou B, é ignorante, seja em que área for.

Repara bem, Genesis, Yes, Pentangle, Led Zeppelin, King Crimson, VDGG, etc etc (pois não conheço os teus gostos musicais), já não tinhas direito a ouvir, ou se tinhas (em alguma reunião dos musicos), não era quando tu querias, mas sim quando eles (musicos/bandas) quizessem  lol!
Ouvir qualquer desses ainda seria possível pelo preço certo, difícil seria ouvir um Charles Mingus, um Coltrane ou uns Beatles. Para isso já não há dinheiro no mundo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O derradeiro leitor de CD?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3
 Tópicos similares
-
» O derradeiro leitor de CD?
» Leitor cd Philips cd 614
» Leitor de Cd's Vintage Technics SLP-310
» Vendo em conjunto; Amplificador + Gira-Discos + Leitor de CD´s
» leitor de 5 cds

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Digital-
Ir para: