Áudio Analógico de Portugal
Bem vindo / Welcome / Willkommen / Bienvenu

Áudio Analógico de Portugal

A paixão pelo Áudio


Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...
 
InícioPortalCalendárioPublicaçõesFAQGruposRegistrar-seConectar-se
Fórum para a preservação e divulgação do áudio analógico, e não só...

Compartilhe | 
 

 OMD (16/II/2018)

Ir em baixo 
AutorMensagem
Ghost4u
Membro AAP
avatar

Mensagens : 4395
Data de inscrição : 13/07/2010
Localização : Ilhéu Chão

MensagemAssunto: OMD (16/II/2018)   Dom Fev 18 2018, 06:11




Electrizante



        Sábado, 17 de Fevereiro, 17h00. Na caixa que mudou o mundo, enxergo um orador no trigésimo sétimo congresso de um partido de direita centrada. Trata-se da figura incontornável do teatro político português, que permaneceu mais tempo na presidência de um Governo (37 anos), transformando a Ilha da Madeira. Conhecido por frontal, controverso e reaccionário, a sua intervenção foi aguardada com expectação pelos militantes. Porém, o discurso salobro, vago e quadrado, sem palavras carregadas de intenções e de exactidão, não provocou entusiasmo nem fez palpitar a platéia e, a meu ver, nem sequer serviu de "música para os meus ouvidos". Relato esta impressão, em antítese à vivência na noite de sexta-feira, na Aula Magna.



        A convite dos OMD, a lisboês Balla (referência ao futurista pintor italiano, Giacomo Balla), actuou durante meia hora. «Sobressalto» e «Montra», onde habilmente está entrançado o esboço de «Rapaz caleidoscópio», dos UHF, constituiram um bom edifício interpretativo de Armando Teixeira (voz), que disse compreender o facto do público se manter sentado, pois quando vai a concertos, gosta de assistir assentado. Mas essa frase se tornaria despojo a partir do segundo tema do duo britânico.



       A Orchestral Manoeuvres In The Dark, apresentando o álbum «The punishment of luxury», editado à seis meses, abriu a actuação com «Ghost star» e «Isotype». Desde então, ficou perceptível que Andy McCluskey (voz e baixo) e Paul Humphreys (sintetizador), com enorme devoção ao público que preencheu a lotação da sala, iriam deslumbrar. "Finalmente! Finalmente tocamos em Portugal! Mas porquê que demorou quase 40 anos para tocar para este fantástico público? Pedimos desculpa por ter demorado tantos anos para cá vir", disse McCluskey em diversos momentos na interactividade que manteve com a assistência. Destilando jovialidade e energia contagiante, o vocalista, em grande forma física e vocal, preenchia cada metro do palco, conseguindo tudo o que pretendia do auditório em matéria de coreografia.




       Após «Souvenir», o ambiente electrónico do final da homenagem à mais famosa das mártires católicas francesas, «Joan of Arc», foi embelezado em uníssono pelo público, marcando o ritmo com palmas. Efectivamente, o magnetismo era tal, que se existissem pacemakers de dúbia qualidade, certamente teriam dificuldade em regularizar o ritmo cardíaco do utente.



       De salientar que em duas ocasiões, «(Forever) live & die» e «What have we done», Paul deu voz às canções, passando McCluskey para as teclas.


       Para quem somente se revê nos discos conceptuais, como «Organisation» (1980) e «Architecture & morality» (1983), perante a actuação inflamadora, as defesa foram desmontadas com os dançáveis temas da criadora dupla de synth pop, que electrizaram a noite com 21 temas ao longo de uma centena de minutos. A actuação terminou com «Electricity», acompanhada da promessa de em regressarem em breve ao nosso país.




Tiro ao boneco e blá-blá-blá com a antiga grafia: Ghost4u
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fernando Mota
Membro AAP
avatar

Mensagens : 1913
Data de inscrição : 31/12/2012
Idade : 43
Localização : Lisboa

MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   Dom Fev 18 2018, 10:15

Estou bastante arrependido de não ter ido a este concerto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
touraj



Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/09/2012

MensagemAssunto: OMD   Dom Fev 18 2018, 17:11

Mais um excelente relato de um não menos excelente escriba.
Donos de uma sonoridade única ,das primeiras bandas que admirei e continuo a admirar desde a adolescência,
os OMD são daqueles que por mais que procuremos ,têm uma identidade muito própria dificil de dizermos esta ou aquela banda são iguais ou parecidas até, algo que aprecio em qualquer músico quando começamos a procurar e concluimos ,como neste caso, que como os OMD apenas...os OMD
Nostálgicos, envolventes com algum experimentalismo á mistura gosto muito deles
Obrigado ao ser que habita algures numa ilha por este retrato relatado (bem) ilustrado
Espero mesmo que voltem:
Voltar ao Topo Ir em baixo
takeooff
Membro AAP
avatar

Mensagens : 683
Data de inscrição : 09/11/2016
Idade : 47
Localização : Cascais

MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   Dom Fev 18 2018, 19:16

Fantastica foto-reportagem, lá se foram as unhas
Espero que não demorem outro tanto a voltar...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alexandre Vieira
Membro AAP
avatar

Mensagens : 3626
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 48
Localização : The Other Band

MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   Dom Fev 18 2018, 20:22

Não tivesse sido essa a data do meu aniversario e teria lá ido
Grande reportagem!  
E os videos do concerto em modo integral e qualidade hd e tudo o que pessoal tem direito?  
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ferpina
Membro AAP
avatar

Mensagens : 10182
Data de inscrição : 06/07/2010
Idade : 63
Localização : Assado - Perú

MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   Dom Fev 18 2018, 23:11

Alexandre Vieira escreveu:
... E os videos do concerto em modo integral e qualidade hd e tudo o que pessoal tem direito?  

Essa cadeira é do 2º semestre, ainda não a fez, falta o exame study

Para o homem estudioso das focas, leões marinhos, gaivotas e cagarras, o meu 2cclzes  pela excelente foto reportagem.

_________________
Cumprimentos, Fernando Pina
Voltar ao Topo Ir em baixo
analogue
Membro AAP


Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/03/2017
Localização : Lisboa

MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   Qui Fev 22 2018, 16:43

Eu fui e não gostei nada que tivessem vindo sem banda. Sou dos que prefere os tais discos conceptuais mas já sabia que iam tocar de tudo um pouco. Infelizmente não tocaram nada do Dazzle Ships mas sem banda também não valia a pena. Claro que 95% do público adorou. Que voltem rápido para uma coisa mais elaborada, a voz e a energia continuam em altas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: OMD (16/II/2018)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
OMD (16/II/2018)
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Fénix Distro - Verão 2018: Promoções
» Pesquisa: Qual o melhor baixo custo/benefício?
» 2017 - Balanço Musical do Ano (e expectativas para 2018)
» Feliz ano 2018
» Previsões eleições 2018

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Áudio Analógico de Portugal :: Eventos * Reportagens * Recortes de Imprensa-
Ir para: